Buscar no Cruzeiro

Buscar

Mato e buracos causam transtornos aos sorocabanos

14 de Abril de 2021 às 00:01
Vinicius Camargo [email protected]

Mato e buracos causam transtornos aos sorocabanos No Éden, um erro na construção da guia gera rachaduras e favorece o crescimento do mato. Crédito da foto: Fábio Rogério

O mato alto e os buracos em calçadas e no asfalto têm causado transtornos para moradores de diversos bairros de Sorocaba. Em alguns locais, o mato avança sobre a maior parte das calçadas, impedindo a passagem de pedestres. Em outros, problemas na pavimentação asfáltica oferecem riscos à segurança dos residentes. Os reclamantes dizem já ter contatado a Prefeitura diversas vezes, para cobrar a resolução, mas nenhuma providência foi tomada. O Executivo afirma que avaliará as condições de todos os lugares e tomará as devidas providências.

Na rua Comendador Oetterer, na Vila Carvalho (zona norte), os buracos e o mato tomam conta da calçada em frente ao Cemitério da Saudade. Morador da Vila Angélica, nas proximidades do local, o aposentado Jefferson Vieira Paladini, de 58 anos, passa pela via cerca de três vezes por semana, para ir ao Centro. Segundo ele, a situação é recorrente, mas a administração municipal não a resolve. Conforme Paladini, muitas crianças, idosos e pessoas com deficiência andam por ali e podem sofrer quedas ou ser picadas por animais peçonhentos, como escorpiões, que vivem no mato.

Raízes de árvores, afirma, cuja poda não é feita há tempos, também ocupam a calçada. Paladini conta já ter presenciado, inclusive, um cadeirante tentando circular pela rua com bastante dificuldade. Diz, ainda, ter sofrido um acidente, por conta dos buracos. “Já até tropecei ali. Foi um tropeção simples. Mas, se eu fosse idoso, obeso ou pessoa com deficiência, me machucaria”, acredita.

Na avenida Francisco Roldão Sanches, no Alto da Boa Vista, zona industrial, o cenário é semelhante. “A pista de caminhada não existe mais, de tanto mato”, informa a empresária Rosicler Rocha, moradora de um condomínio próximo. De acordo com ela, o mato impede as pessoas de se exercitar na pista de caminhada. Os funcionários dos residenciais localizados na avenida igualmente não conseguem atravessá-la, quando saem do trabalho para irem embora. Por isso, precisam fazê-lo pela rua.

Mato e buracos causam transtornos aos sorocabanos No Alto da Boa Vista, a pista de caminhada foi tomada pelo mato. Crédito da foto: Fábio Rogério

Por conta do matagal, afirma Rosicler, alguns animais, a exemplo de cobras, já foram vistos na região. A presença dos bichos, juntamente com a falta de iluminação pública, outro problema, comprometem a segurança dos pedestres, principalmente, à noite, considera. “É perigoso até a pessoa pisar em cima de uma cobra”, alerta. Ela comenta já ter pedido a roçagem do mato à prefeitura várias vezes, mas o serviço não foi feito.

Já na esquina das ruas João de Oliveira Cassú e João Mustafá, no Éden, igualmente na zona industrial, um erro na construção da guia pode ter favorecido o aparecimento do mato. Segundo o aposentado David Rodrigues da Silva, de 77 anos, morador da primeira via, as trincheiras para o escoamento da água para os bueiros foram instaladas longe da guia. Em razão do espaço entre as estruturas, houve rachaduras e o mato passou a crescer justamente nesses vãos.

Silva vive ali há 30 anos e pontua que o problema existe desde quando chegou ao bairro, em 1991. Até 2018, ele mesmo cortava o mato. Porém, por considerar esta uma função da prefeitura, não a faz mais. A administração municipal efetuou o serviço no local pela última vez em novembro de 2020, completa ele. Por isso, o aposentado pede não só a roçagem do mato, pois considera uma medida paliativa, mas, também, a adequação da guia, para impedir a volta do matagal. Silva menciona ter acionado o Executivo ao menos três vezes. Contudo, não teve a demanda atendida. “Eu paguei o asfalto e a calçada. Então, eu tenho direito à guia”, fala.

Moradores da rua Lourenço Corrêa, na Vila Astúrias, zona leste, o casal de aposentados Palmira Alves Ferraz, de 64 anos, e José Carlos Ferraz, de 62, se locomovem com dificuldade, devido a problemas de saúde. Os buracos e desníveis no asfalto, localizados em frente à casa deles, os prejudica ainda mais. Palmira e Ferraz dizem fazer todas as tarefas no bairro a pé, como ir à farmácia, ao supermercado, à padaria, dentre outros estabelecimentos. Quando têm de sair, a idosa se escora no marido, para não cair nos buracos, enquanto ele se apoia na pilastra de madeira do ponto de ônibus, no intuito de garantir o equilíbrio.

De acordo com o idoso, há dois meses a prefeitura fez o recapeamento superficialmente. Devido ao reparo ineficiente, os buracos estão novamente abertos. Enquanto o impasse não é sanado, o casal continua a conviver com o empecilho ao simples hábito de caminhar. “Como eu, que tive AVC (Acidente Vascular Cerebral), vou passar ali?”, questiona Ferraz, destacando o derrame sofrido há dois anos, que lhe deixou com sequelas.

Em nota, a prefeitura, por meio da Secretaria de Serviços Públicos e Obras (Serpo), informou que equipes serão encaminhadas aos endereços citados, de acordo com cada necessidade. O objetivo, completa a administração municipal, é verificar a situação dos pontos, para tomar providências e solucionar os entraves.

Segundo a municipalidade, o cronograma de serviços de manutenção e revitalização segue diariamente, de domingo a domingo. O andamento dos trabalhos pode ser acompanhado em tempo real, pelas mídias sociais do Executivo, assim como é publicado mensalmente no Jornal Município de Sorocaba.

A prefeitura garante, ainda, ter realizado esses serviços em larga escala no primeiro trimestre deste ano. “Por exemplo, já são mais de 6,6 milhões de metros quadrados de roçagem e 3.183 podas de árvores; mais de 52 mil m² de tapa-buraco; 103 mil m² de patrolamento de vias; 3.283 unidades de manutenção de iluminação; 900 toneladas de coleta seletiva; 77 mil metros cúbicos de entulhos no Aterro de Inertes; 1.345 m³ no Ecoponto da Vila Helena; mais de 17 mil quilômetros de vias varridas”, elenca. (Vinicius Camargo)