fbpx
Sorocaba e Região

Manifestação contra Bolsonaro acontece em Sorocaba

Grupo seguiu em passeata pelo Centro

 

Com faixas e cartazes, manifestantes protestam contra Jair Bolsonaro. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Um dia após manifestação de apoio à candidatura de Jair Bolsonaro com a participação do seu filho, o deputado federal Eduardo Bolsonaro, nesta sexta-feira (21) foi a vez da realização em Sorocaba de um ato contrário ao candidato do PSL a presidente da República. Um protesto contra Bolsonaro reuniu aproximadamente 400 pessoas no centro da cidade — segundo avaliação dos organizadores e da Polícia Militar — em todo o percurso, desde a concentração inicial, incluindo uma passeata e encerramento.

A concentração ocorreu às 16h30 na rampa de acesso ao terminal de ônibus Santo Antônio e se estendeu em passeata pela rua Francisco Scarpa e avenida Afonso Vergueiro, até à Estação Ferroviária, onde terminou perto das 19h. O trânsito foi interrompido durante a passagem dos manifestantes, a maioria mulheres. Elas também homenagearam Marielle Franco, vereadora do Psol assassinada há sete meses no Rio.

Convocada pelo Coletivo Feminista Rossa Lilás, a manifestação teve a adesão de representantes da União dos Estudantes Secundaristas, da União dos Negros pela Igualdade (Unegro) e do Levante Popular da Juventude, além de militane do PT e do Psol. As vereadoras Iara Bernardi (PT) e Fernanda Garcia (Psol) estiveram presentes.

Com cartazes e palavras de ordem, os manifestantes pediram o fim do machismo, da violência contra a mulher e defenderam a igualdade de gênero. Nas falas, os manifestantes acusaram Bolsonaro de ser machista, homofóbico e de não respeitar as mulheres. Também divulgaram a hashtag #elenãomulherescontrabolsonaro, que tem abrangência nacional.

A estudante Bárbara Gonzáles, de 22 anos, integrante do Coletivo Rosa Lilás, disse acreditar que as mulheres terão “prejuízos” com uma eventual vitória de Bolsonaro nas eleições de outubro. Não foram registrados incidentes durante o percurso. O ato foi encerrado por volta das 18h45. “Ele não, ele nunca, ele jamais”, disse Maria Teresa Ferreira, de 42 anos, integrante do Unegro.

Em discurso, Iara se referiu ao candidato como “o inominável”, e Fernanda Garcia, como o “não-dito”. Homens também acompanharam a manifestação. O professor universitário, cientista político, jornalista e psicanalista João José Negrão, acompanhou a filha Laura Negrão, de 18 anos, na manifestação. Ele afirmou que “é animador ver essas meninas e meninos assumindo a ação, a participação política”. Na sua análise, os jovens são uma “esperança” para combater e barrar o fascismo e para buscar avanços da democracia: “É uma geração se formatando.”

 

 

 

 

 

 

Atualizada às 22h10 – 21/09/2018

Comentários