Informação Livre

Conselho da Mulher faz ato por funcionamento 24h da DDM

Projeto de lei aprovado permite que as delegacias fiquem abertas 24 horas por dia, inclusive aos sábados, domingos e feriados
Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) atende casos de violência doméstica e de gênero. Crédito da foto: Arquivo JCS/ Emídio Marques

Violência não tem horário

As Delegacias de Polícia de Defesa da Mulher (DDMs), vinculadas à Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-SP), poderão funcionar 24 horas por dia, inclusive aos sábados, domingos e feriados, para o atendimento especializado às mulheres vítimas de violência em todo o Estado. O projeto de lei que dispõe sobre o funcionamento ininterrupto, inclusive aos sábados, domingos e feriados, das DDMs em São Paulo foi aprovado na quarta-feira (5/12) pelos deputados estaduais, na Assembleia Legislativa do Estado (Alesp). Agora, cabe ao governador Márcio França sancionar a lei até o fim de dezembro, ou, depois disso, ao governador eleito João Doria. A proposta aprovada também prevê que a SSP deverá dotar as delegacias de recursos materiais e humanos, com profissionais femininas atuando 24 horas do dia nas Delegacias de Defesa da Mulher, de modo a garantir um atendimento especializado às mulheres vítimas de violência no Estado. Das 132 unidades atualmente existentes, 131 funcionam somente em horário comercial, o que obriga as vítimas a procurarem os distritos policiais para fazerem a denúncia. No ano passado, mais de 50 mil mulheres relataram violência doméstica em São Paulo, de acordo com o Anuário de Segurança Pública de 2018. É o maior número de registros absolutos do País.

Leia mais  Vacinação de policiais

Sorocaba terá ato neste domingo

O Conselho Municipal dos Direitos da Mulher de Sorocaba realiza neste domingo, às 10h, uma manifestação para exigir a abertura 24 horas ininterruptas da Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), que atende casos de violência doméstica e de gênero. A ação faz parte da Campanha Permanente pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, que consiste em 16 dias de ativismo para a alertar a sociedade sorocabana sobre o tema. Somente em 2018, foram registrados mais de 900 casos de violência doméstica em Sorocaba na Delegacia de Defesa da Mulher. Segundo a presidente do Conselho Municipal da Mulher, a advogada Emanuela Barros, os números são ainda maiores, pois a Delegacia funciona apenas de segunda a sexta-feira, até às 18h. “Nos fins de semana e no período da noite, quando na maioria das vezes acontecem os atos de violência doméstica, os boletins de ocorrência são registrados em outras delegacias e não na delegacia especializada da mulher”, afirma. Emanuela destaca ainda que lei semelhante já foi aprovada, porém não foi sancionada. O ato será realizado em frente à Delegacia de Defesa da Mulher de Sorocaba, que fica na rua Caracas, 846, no Jardim América.

 

Leia mais  Shopping doa 35 mil máscaras ao Fundo Social de Sorocaba

CPFL age em Araçoiaba

Uma equipe de profissionais da CPFL está substituindo postes, reformando equipamentos, podando árvores, protegendo fios de alta tensão na área rural de Araçoiaba da Serra. Essa grande reforma está sendo feita depois que a empresa de energia constatou que a região toda estava carente de atenção, em especial nessa época de chuvas, quando muitas quedas prolongadas de energia aconteciam, causando prejuízos, em especial, aos produtores rurais. Essa empreitada está sendo estendida a outras cidades da região, incluindo bairros e condomínios de alto padrão em Sorocaba. Na foto, o gerente de serviços de campo, Amaury Haga e o coordenador de operações, Luciano, em visita de avaliação em um dos haras da região.

Comentários