Informação Livre

Cancelamento de títulos suspenso

Cancelamento de títulos suspenso
Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS

O TSE suspendeu os efeitos do cancelamento das inscrições eleitorais decorrentes da revisão do eleitorado de 2019, conforme Resolução 23.616. Isso significa que somente nas cidades onde o cadastramento da biometria foi obrigatório em 2019, aqueles que não compareceram poderão votar, porque o cancelamento de seus títulos foi suspenso. Assim, após as eleições, eles deverão agendar atendimento para regularizar a situação. A situação acima é o caso de eleitores de 20 cidades da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS). Os municípios são, segundo o TRESP: Alambari, Alumínio, Araçariguama, Boituva, Cerquilho, Cesário Lange, Ibiúna, Iperó, Itapetininga, Jumirim, Mairinque, Piedade, Pilar do Sul, Porto Feliz, Salto, São Miguel Arcanjo, São Roque, Sarapuí, Tapiraí e Tietê. Porém, não é caso de Sorocaba, cuja revisão biométrica o prazo obrigatório terminou em 2018. Deste modo, os eleitores sorocabanos que não fizeram o cadastramento biométrico e tiveram seus títulos cancelados não poderão votar nas eleições 2020.

Leia mais  Deputado pede desculpas no Conselho de Ética

Contra o trabalho infantil

Sete candidatos que concorrem à Prefeitura de Sorocaba assinaram a carta de compromisso do Fórum Permanente de Sorocaba para Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FPETI). O documento tem o objetivo de reafirmar os compromissos do próximo prefeito da cidade e elenca vinte compromissos a fim de garantir os direitos fundamentais da criança e do adolescente, com ênfase na prevenção e erradicação do trabalho infantil e proteção ao adolescente trabalhador. Assinaram Carlos Péper (Solidariedade), Dr. Leandro (Democratas), Maria Lucia (PSDB), Flaviano Lima (Avante), Raul Marcelo (Psol), Renan Santos (PDT) e Rodrigo Manga (Republicanos).

Morre João Cunha

O advogado e ex-deputado federal João Cunha morreu na manhã de ontem em Ribeirão Preto (SP). Ele estava internado no Hospital Unimed daquela cidade, em estado grave. A família não informou a causa da morte do ex-parlamentar que tinha 81 anos. Como deputado, Cunha ganhou notoriedade por ser o responsável pelo voto número 344, o decisivo para garantir a vitória de Tancredo Neves contra Paulo Maluf na eleição da Câmara para presidente da República, em 1985.

Leia mais  Comitiva da Abemi visita Sorocaba

‘Tenho a honra de dizer que o meu voto enterra a ditadura funesta que infelicitou a minha Pátria‘, disse à época. A escolha de Tancredo como o primeiro presidente civil após a ditadura militar, foi a última eleição indireta no País. Nascido em Ribeirão Preto, Cunha foi vereador na cidade entre 1969 e 1975, deputado por quatro mandatos, entre 1975 e 1991, e passou pelo MDB, PDT e PMN.

Comentários