Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Idosos aprendem a usar os recursos do telefone celular

03 de Agosto de 2018
Ana Claudia Martins [email protected]

idosos-aprendem-mexer-celular Selfie com o celular parte da turma que participa do curso. Crédito da foto: Fábio Rogério

Uma pesquisa divulgada no mês passado pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil aponta que quase metade dos brasileiros que acessam a internet o fazem pelo celular. Porém, essa ainda não é uma realidade para todos os idosos, visto que as pessoas com 60 anos ou mais apresentam uma certa dificuldade para acompanhar o desenvolvimento de novas tecnologias de comunicação.

Para tentar mudar essa realidade, um grupo de cerca de 15 idosos participa de um curso voltado para pessoas com mais de 60 anos que queiram aprender a mexer em celular, utilizar wi-fi, baixar aplicativos, tirar fotos, visualizar e filmar, inserir e utilizar contatos na agenda, entre outros. As aulas são ministradas no Espaço Viver Bem, da Unimed Sorocaba, que fica no bairro Vergueiro.

Segundo o médico geriatra, Charles Rodrigues, os idosos não conseguem acompanhar a velocidade com que a tecnologia está evoluindo. “Há 20 anos não existia nem celular e muito menos smartphones e hoje em dia esses aparelhos fazem tudo, então, o idoso tem dificuldade para acompanhar isso e precisa aprender.”

Para o médico, os idosos têm um pouco de medo de mexer no computador ou no celular e quebrá-los. “Eles têm medo do novo e de quebrar o equipamento, então ele precisa ser ensinado.

Porém, como a curva de aprendizado do idoso é mais lenta, é preciso ter paciência e ensiná-lo com calma, e um maior número de vezes. Ele precisa ser ensinado, mas da forma como se ensina o idoso.”

O geriatra destaca ainda que os cursos de inclusão digital especificamente para os idosos são fundamentais. “Já os idosos que trabalham têm um pouco mais de facilidade para mexer com o computador, o celular e navegar na internet, mas porque eles são obrigados a ter”, analisa. O médico conta ainda que a mãe dele, com 92 anos, aprendeu a mexer no smartphone que ganhou porque um sobrinho a ensinou. Além disso, o aparelho foi configurado para mostrar na tela os números e letras em tamanho maior, para facilitar o uso para a idosa.

De acordo com a Unimed Sorocaba um total de 106 idosos participam mensalmente das atividades oferecidas a eles no Espaço Viver Bem. Além das aulas para aprender a usar o smartphone, eles também participam de aulas de ginástica, caminhada, artesanato e coral.

Troca de mensagens

Aos 71 anos, Tereza Dias Haddad já troca mensagens com as amigas, familiares e parentes por meio do aplicativo WhatsApp, e já sabe até tirar fotos pelo celular e enviar para os seus contatos da agenda do aparelho. Ela disse que já participou de pelo menos três aulas do curso oferecido no Espaço Viver Bem da Unimed Sorocaba e que no dia a dia sentia a necessidade de aprender a usar todos os recursos do smartphone. “Meu marido e minha filha me ensinaram algumas coisas e o restante fui aprendendo aqui no curso”, conta.

idosos-aprendem-mexer-celular Eny e Teresa já sabem trocar mensagens em redes sociais pelo celular. Crédito da foto: Fábio Rogério

Tereza afirma que também já aprendeu a navegar na internet, a usar as redes sociais e outras funções do celular, mas ainda tem receio de fazer compras pela web e de usar aplicativos de bancos. “É mais fácil e cômodo fazer compras pela internet e fazer consultas na sua conta pelo celular ao invés de ir até a agência bancária, mas ainda tenho um pouco de receio.”

Aos 81 anos, Eny Reinoso Varanda, trocou o celular por um smartphone com mais recursos e ainda está aprendendo a usar o WhatsApp, a navegar na internet, tirar e enviar fotos, entre outras funcionalidades do aparelho. “Eu tinha um celular que só usava para receber e fazer ligações. Daí meu filho me deu um aparelho novo com mais opções e estou fazendo o curso para aprender a usar.” Eny tem filhos e parentes que moram em outro Estado e já começou a usar o aplicativo de troca de mensagens para se comunicar com eles. “Tenho familiares que moram no Espírito Santo e na Bahia, então, pelo WhatsApp é mais fácil falar com eles. Adoro aprender coisas novas, então, o curso veio em boa hora e é bastante útil”, disse ela.

Inclusão

O geriatra Charles Rodrigues reforça que é fundamental que os idosos sejam incluídos na sociedade digital para que não fiquem isolados. “Tudo o que você aprende desenvolve novas áreas do seu cérebro. Então, todo novo aprendizado vai ser muito bom para eles e isso acaba se refletindo em outras áreas da vida. Este aprendizado da tecnologia digital só traz benefícios e é importante trazer o idoso para a sociedade digital ce não excluí-lo.”