Sorocaba e Região

Homem morto durante furto em Itapetininga matou professor dois dias antes, diz Polícia

Os dois crimes ocorreram em outubro em Itapetininga; suspeito tinha fugido de hospital penitenciário
O acusado foi morto por um segurança após tentar furtar o supermercado. Crédito da foto: Reprodução / Google Street View

A Polícia Civil concluiu que o homem morto durante tentativa de furto a um supermercado de Itapetininga, em 18 de outubro, é o autor do assassinato do professor de teatro Lucas Bonini. Segundo o delegado Agnaldo Nogueira Ramos, Lucas foi encontrado morto dois dias antes, com um ferimento de faca, em um trecho da linha férrea da cidade e o crime era investigado como latrocínio, que é o roubo seguido de morte.

A investigação apontou Alexandre Pinto de Arruda como suspeito, após a checagem do código identificador do celular do professor de teatro, que estava com ele e foi levado após o assassinato. Os policiais chegaram até um homem que inseriu um chip no aparelho seis horas após o crime. Ele foi localizado no bairro Bom Retiro, em Angatuba, e alegou que teria adquirido o celular de Alexandre por R$ 100.
Segundo a Polícia Civil, no momento da entrega, Alexandre teria revelado que o aparelho havia sido roubado. Ele disse ainda ao comprador que havia matado uma pessoa e exibiu uma faca que teria sido usada no crime. A mesma faca foi encontrada com o acusado após ser morto no supermercado dois dias depois.
O delegado informou que o acusado estava recolhido sob medida de segurança no Hospital Penitenciário de Franco da Rocha II. Porém, havia sido liberado no dia 2 de outubro para visita familiar e deveria voltar no dia 10, o que não ocorreu. A Polícia Civil informou que ele tinha antecedentes criminais por furto, roubo, resistência, desacato, latrocínio, homicídio, cárcere privado e tráfico de drogas.
O homem que comprou o celular e mais dois, que acabaram ficando com o aparelho depois, foram identificados e indiciados pelo crime de receptação dolosa. A investigação foi conduzida pela Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itapetininga, que fechou o caso como latrocínio. Conforme o delegado, o fato de o acusado ter desferido apenas um golpe de faca reforça que se tratou de morte após roubo.

O caso

O professor de teatro Lucas Bonini foi encontrado morto em um trecho da linha férrea da Vila Arruda, no dia 16 de outubro. Segundo a Polícia Civil, uma pessoa que passava pelo local encontrou a vítima e acionou 190. A Polícia Militar informou que o corpo possuía marcas de violência e um corte de faca na altura do tórax. Ele não portava documentos, mas foi identificado dois dias depois.

Tentativa de furto

A tentativa de furto ocorreu no dia 18 de outubro, em um supermercado no Centro de Itapetininga. De acordo com a Polícia Militar, o acusado invadiu o comércio e o alarme disparou. Um policial militar aposentado, que trabalha como segurança para a empresa de vigilância contratada pelo estabelecimento, se dirigiu ao local para tentar impedir o furto.

O acusado teria então esfaqueado o segurança, que reagiu atirando no homem. O homem baleado morreu no local. Ele estava sem documentos e depois foi reconhecido como Alexandre Pinto de Arruda, que constava como evadido do hospital penitenciário. O segurança foi socorrido e permaneceu internado.

Comentários