Sorocaba e Região

Gaiolas de comércio ilegal de aves são destruídas pela prefeitura

Somente neste ano, de janeiro a maio, o parque recebeu 145 animais resgatados
Gaiolas de comércio ilegal são destruídas
A ação foi realizada pela Prefeitura e Polícia Ambiental e aconteceu no zoológico. Crédito da foto: Divulgação / Secom Sorocaba

A Prefeitura de Sorocaba e a Polícia Militar Ambiental realizaram nesta sexta-feira (5) destruição de 17 gaiolas de aves, que foram apreendidas na região. A ação aconteceu no Parque Zoológico Municipal Quinzinho de Barros. Um rolo compressor destruiu todo o material. A ação simbólica contra o tráfico de animais marcou a passagem do Dia Mundial do Meio Ambiente, comemorado em 5 de junho, e foi acompanhada pelo secretário do Meio Ambiente, Maurício Tavares da Mota, e pela tenente da Polícia Ambiental, Luciana Beltrame Del Debbio.

“Esta é uma das grandes ameaças à biodiversidade e a nossa ideia foi realizar essa ação em parceria com a Polícia Ambiental para chamar a atenção da sociedade a respeito do tráfico de animais”, destacou o titular da Secretaria do Meio Ambiente e Sustentabilidade (Sema).

As espécies apreendidas pela Polícia Ambiental são encaminhadas para o Zoológico de Sorocaba, onde recebem os cuidados veterinários necessários, passam por processo de recuperação e aqueles que possuem condições são reintroduzidos na natureza.

Leia mais  Polícia Ambiental apreende arma e redes de pesca em Itupararanga

 

Somente neste ano, de janeiro a maio, o parque recebeu 145 animais resgatados. Eles chegam machucados por inúmeros motivos, um deles é o tráfico de animais. De acordo com a tenente Luciana, nos primeiros cinco meses deste ano, a Polícia Ambiental apreendeu em todo o Estado de São Paulo 69,3 toneladas de pescado, 27 quilômetros de redes ilegais, 6.700 armadilhas de caça, 355 armas de fogo, além de resgatar 7.200 animais.

Tráfico de animais

Todos os animais que não são domésticos e que tenham o ciclo de vida, em parte ou no todo, ocorrendo dentro do País são considerados silvestres. De acordo com a Lei Brasileira de Crimes Ambientais, não é permitido caçar, apanhar ou ter quaisquer espécies de animal silvestre sem a devida licença ou autorização.

Embora, o tráfico de animais silvestres abranja todos os grupos, as aves são as maiores vítimas, cerca de 80% do total. É importante que a população não compre animais silvestres sem documentação e denuncie os casos à Polícia Ambiental. (Da Redação, com informações da Secom Sorocaba)

Comentários