Sorocaba e Região

Arquidiocese lança Campanha da Fraternidade em Sorocaba

A campanha incentiva as pessoas a melhorar as relações com as outras, por meio da conversa e da compreensão
Crédito da foto: Pedro Henrique Negrão (17/02/2021)

Duas Missas de Cinzas realizadas na manhã desta quarta-feira (17), na Catedral Metropolitana de Sorocaba, marcaram o início do período da Quaresma e o lançamento da Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2021 na cidade. As celebrações, realizadas às 10h e às 12h, foram presididas pelo arcebispo metropolitano da Arquidiocese, dom Julio Endi Akamine, e contaram com a presença de fiéis. Neste ano, com o tema “Fraternidade e Diálogo: compromisso de amor”, a campanha incentiva as pessoas a melhorar as relações com as outras, por meio da conversa e da compreensão. Já o lema desta edição é “Cristo é a nossa paz. Do que era dividido fez uma unidade”.

Segundo Dom Julio, tanto o lema, quanto o tema escolhidos para este ano destacam, sobretudo, a importância do diálogo e da união entre as pessoas. Conforme o arcebispo, a sociedade vivencia, hoje, um período de grandes conflitos e divisões. Por isso, a campanha incentiva as pessoas a pensar sobre o próprio comportamento. Nessa autoanálise, detalha o arcebispo, todos devem encontrar maneiras de começar a ouvir mais os outros e, assim, diminuir as divergências. Desta forma, os cidadãos tornam-se unidos e passam a conviver pacificamente. “Não há outra maneira, se não buscarmos fraternidade, de acabarmos com esses movimentos de ódio, de exclusão, de divisão’, reforçou. O próprio caráter ecumênico da campanha de 2021, lembra o sacerdote, promove a união. Nesta edição, a participação não está limitada a membros da igreja católica, mas, sim, aberta a adeptos de todas as religiões cristãs.

Leia mais  Prefeito anuncia unidade do Samu para animais em Sorocaba

Essas indicações devem ser seguidas durante toda a Quaresma, iniciada nesta quarta (17) e que segue até o dia 4 de abril, quando será celebrado o feriado de Páscoa. Além disso, os fiéis devem cumprir as três práticas tradicionais e penitenciais quaresmais – esmola, oração e jejum. Conforme o arcebispo, seguir esses princípios é uma forma de estabelecer “relação com Jesus, com o Pai”.

Em relação à esmola, as pessoas são convidadas a contribuir com as famílias de baixa renda, por meio de doações de recursos financeiros. As ofertas devem ser feitas na missa do Domingo de Ramos, a ser celebrada, neste ano, em 28 de março. Na ocasião, ocorre o chamado gesto concreto, ou coleta da Campanha da Fraternidade. Toda a verba arrecadada nesse dia é destinada para projetos sociais auxiliados pela igreja católica. A ajuda não precisa, necessariamente, ficar restrita a essa data e igualmente pode ser prestada diretamente aos mais pobres, da maneira desejada pelo fiel e quando ele tiver oportunidade, informa o arcebispo.

Já para jejuar, os cristãos devem abdicar de uma das duas principais refeições do dia (almoço ou jantar). Também podem fazer penitências alimentares, deixando, por exemplo, de comer doces, diz o sacerdote. As orações, por sua vez, devem ser intensificadas, nessa época. Os cristãos, pontua Dom Julio, devem rezar por si mesmos e pelo próximo.

Leia mais  Pai é preso suspeito de tentar matar bebê de 6 meses afogado

Os hábitos não devem ser desenvolvidos apenas no decorrer de campanha ou da Quaresma. Eles têm ser mantidos ao longo de toda a vida, para que os seus bons “efeitos e consequências sejam permanentes”, destaca o sacerdote.

Cinzas

Ainda na missa, dom Julio realizou a tradicional cerimônia de depósito das cinzas sobre a cabeça dos fiéis. As cinzas, segundo a igreja católica, simbolizam a penitenciação. Quando os cristãos as recebem, o sacerdote pede que eles se convertam e creiam no evangelho. (Vinicius Camargo)

Comentários