Sorocaba e Região

ETA Vitória Régia opera em fase de testes

Nova estação de tratamento de água está prevista para ser inaugurada em maio
Nova ETA adota tecnologia pioneira na América Latina e tem captação feita diretamente do Rio Sorocaba.. Crédito da foto: Divulgação/Secom Sorocaba

Prevista para ser inaugurada em maio deste ano, a Estação de Tratamento de Água (ETA) do Vitória Régia já funciona em fase de testes. A unidade, localizada na zona norte, capta água diretamente do Rio Sorocaba e é a única na América Latina que utiliza o ozônio no tratamento, uma tecnologia inovadora e que garante alto nível de qualidade e pureza da água.

De acordo com o Serviço Autônomo de Água Esgoto (Saae), a ETA está em operação com uma carga de 250 litros de água por segundo, a fim de promover ajustes no sistema. Quando estiver em pleno funcionamento, terá capacidade para produzir 750 litros de água tratada por segundo, captada diretamente do rio Sorocaba, com possibilidade de duplicar esse volume em uma segunda etapa.

“Estamos fazendo testes de pré-condicionamento, que consistem em ajustes finos no processo, a fim de garantir um serviço de excelência, tanto quanto é a qualidade da água já oferecida pelo Saae na cidade, tratada em outras estações, mas à base de cloro e não por ozônio”, destaca o diretor-geral do Saae, Ronald Pereira da Silva.

A previsão é que a fase de testes esteja concluída em duas semanas. Parte da água captada para a realização desses procedimentos alimenta um circuito fechado dentro da estação, a fim de corrigir parâmetros, calibrar equipamentos e identificar possíveis falhas no processo. Outra parte é descartada em uma lagoa de estabilização do Saae.

“Os testes ocorrem de forma prática, pois se trata de um processo novo e mais eficaz”, complementa o diretor-geral do Saae. Além do tratamento de água por meio de oxidação intermediária com ozônio, o novo sistema permite a recuperação e a reutilização da água de lavagem de filtros e mantém tecnologia para tratamento do lodo gerado no processo, com descarga zero, eliminando e reduzindo perdas no processo.

Leia mais  Trabalhadores dos transportes públicos reivindicam vacina contra a Covid-19 em caráter de urgência

Alternativa e investimento

A ETA Vitória Régia é a principal alternativa de Sorocaba para as quatro adutoras que captam água bruta da represa de Itupararanga, manancial que abastece 85% da cidade de Sorocaba. O novo sistema vai reforçar a distribuição de água tratada na Zona Norte da cidade, onde ocorre a maior concentração populacional do município. Também estará interligado à estrutura de distribuição atualmente existente e também poderá abastecer o restante do município, em caso de situações emergenciais.

“Quando a ETA estiver funcionando plenamente, esse volume de 750 litros de água por segundo será o suficiente para abastecer 30% da cidade, ou seja, vai diminuir a dependência do município de Itupararanga. Já, a ETA Cerrado trata 2.300 litros por segundo e a ETA Éden, 300 litros por segundo”, complementa o diretor-geral do Saae.

A ETA Vitória Régia ocupa uma área de 166 mil metros quadrados, com acesso pela Avenida Antônio Silva Saladino. A pedra fundamental da obra foi lançada em setembro de 2017 e o investimento total é de R$ 78 milhões, sendo R$ 48 milhões provenientes de financiamento e contrapartida da autarquia, também financiada, de R$ 22 milhões, por meio do Programa Saneamento para Todos e CPAC, do Governo Federal/Caixa Econômica, além de mais R$ 8 milhões em recursos próprios.

A captação é feita diretamente no Rio de Sorocaba, por meio de quatro adutoras de 800 mm, cada. A água passa por uma unidade de pré-tratamento e depois segue por uma adutora de 900 mm, com 3,5 quilômetros de extensão, até chegar à ETA Vitória Régia, onde ocorre o tratamento definitivo, à base de cloro, ozônio, flúor, policloreto de alumínio e cal.

Leia mais  ICMS ambiental dobrado deve ser visto como oportunidade

Conforme os dados repassados ao Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), ano referencia 2019, Sorocaba apresenta um índice de atendimento de água de 99,50%, em relação à população total do município, com um total de 231.585 ligações ativas.

Despoluição do Rio Sorocaba

A captação de água bruta no Rio Sorocaba, para tratamento e distribuição, é possível graças à conclusão de um conjunto de obras executadas pelo Saae, desde o ano 2000, como parte do Programa de Despoluição do Rio Sorocaba. As ações consistem em coletar, afastar, bombear e tratar o esgoto produzido na cidade.

“Foram construídas 17 estações elevatórias de esgoto, para recalque da carga de dejetos para as sete ETEs, que são as estações de tratamento de esgoto que entraram em operação ao longo dos últimos anos, devolvendo efluentes tratados e livrando os córregos e o Rio Sorocaba dessa carga de poluição, além de quilômetros de coletores tronco e interceptadores”, mencionou o diretor-geral do Saae.

Esse complexo de obras previsto já foi todo concluído e tem capacidade instalada para tratar 100% do esgoto gerado em Sorocaba. O investimento é de cerca de R$ 180 milhões, com recursos próprios e financiamentos do Governo Federal. De acordo com o Saae, as ações permitiram recuperar, de forma mais rápida, a qualidade da água dos mananciais, registrando a elevação do nível de oxigenação da água e a recuperação do ecossistema, com o repovoamento de peixes, aves e animais aquáticos. (Secom Sorocaba)

Comentários