Sorocaba e Região

Escolas municipais de Sorocaba terão aula presencial em março

Secretário da Educação foi à Câmara para falar das ações para o início das aulas presenciais
Escolas municipais receberão alunos em março
E.M. Benedicto José Nunes, no Parque Esmeralda, uma das 160 unidades da rede municipal de Sorocaba. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (27/5/2020)

O secretário da Educação de Sorocaba, Márcio Carrara, disse ontem (25) que a retomada das aulas presenciais na rede municipal de ensino está prevista para o dia 29 de março. Ele compareceu à Câmara, no final da sessão ordinária desta quinta-feira, para falar sobre as ações que visam possibilitar a retomada das aulas no município. A rede municipal de ensino possui cerca de 160 escolas, cinco mil profissionais e aproximadamente 60 mil alunos.

Segundo o secretário, no caso das creches de 0 a 3 anos, bem como na pré-escola, o critério de atendimento irá priorizar crianças portadoras de deficiências que não pertençam ao grupo de risco e crianças em situação de vulnerabilidade social, servindo como critérios de desempate irmãos matriculados na mesma instituição e alunos com maior idade.

Márcio Carrara explicou que o atendimento não será integral, mas em dois horários, matutino e vespertino, para não haver eventual contaminação cruzada, evitando que as crianças de um período encontrem as do outro período. Já na pré-escola e nos anos iniciais do ensino fundamental, todas as crianças atendidas estarão presentes nas escolas durante três dias na semana, de modo que o professor possa atender também os alunos que estarão em atividades remotas.

Leia mais  Jovens comemoram aprovação em vestibular

O secretário também detalhou o atendimento aos alunos da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e do Atendimento Educacional Especializado. “Se não pertencerem ao grupo de risco, serão atendidos.

As ações foram definidas por um Comitê Intersetorial, formado pela Secretaria da Educação com representantes de diversos outros órgãos, que resultou na elaboração de cadernos de orientação tratando dos seguintes temas: protocolos sanitários; educação, comunicação e tecnologias; questões psicossociais, envolvendo acolhimento; e a organização pedagógica do Ensino Fundamental, da Educação Infantil e da Educação Física, além de um caderno sobre saúde e higiene nas creches, que está sendo elaborado.

As aulas não presenciais na rede municipal de ensino se iniciaram em 8 de fevereiro, e o plano de retomada das aulas presenciais, segundo o secretário, leva em conta a realidade de cada escola, com base num plano a ser elaborado pela própria unidade de ensino, levando em conta os protocolos sanitários, sua estrutura física e os cadernos de orientação formulados pela Secretaria.

Disse também que serão fornecidos equipamentos de proteção individual (EPI) para professores e demais servidores, com a capacitação dos funcionários das empresas que prestam serviços de limpeza nas escolas.

Leia mais  Atendimentos de Covid-19 caem 40% após medidas restritivas, afirma Manga

Ainda conforme Carrara, a Prefeitura de Sorocaba está fazendo um levantamento das escolas que necessitam de manutenção e reformas, providenciando a contratação desses serviços para as aquelas em que isso se mostra mais urgente.

Projetos apreciados

Durante a 8ª sessão ordinária de ontem, dois projetos de lei foram discutidos pelos vereadores e os demais ficaram para próxima por conta do fim do tempo regimental.

A proposta de Luis Santos (Republicanos), de caixa preferencial para quem usa sacolas retornáveis em supermercados, saiu de pauta a pedido do autor.

Após receber nova emenda do autor, também saiu de pauta o projeto de lei que obriga os bares, lanchonetes, restaurantes e casas noturnas a adotarem medidas de auxílio à mulher que se sinta em situação de risco. A proposta é do vereador João Donizeti Silvestre (PSDB). (Ana Cláudia Martins)

Comentários