Sorocaba e Região

Aulas na rede municipal de Sorocaba voltam na segunda de forma remota

Já as atividades presenciais devem ser retomadas somente em março
A Prefeitura já iniciou a distribuição dos kits escolares aos alunos. Crédito da foto: Pedro Negrão (04/02/2021)

O retorno das aulas na rede municipal de ensino de Sorocaba ocorrerá na próxima segunda-feira (8), de forma remota. Já as atividades presenciais nas escolas devem ser retomadas em março, no modelo híbrido, com uma parte presencialmente e outra on-line. A data, porém, não está definida. O anúncio foi feito pelo prefeito Rodrigo Manga (Republicanos), em coletiva de imprensa realizada no Paço Municipal, na tarde desta quinta-feira (4). Estavam presentes, ainda, o vice-prefeito, Fernando Martins da Costa Neto (PSD), o secretário municipal da Educação, Marcio Carrara, o titular da pasta da Saúde, Vinícius Rodrigues, e a coordenadora da Divisão de Vigilância Epidemiológica (DVE), Ana Paula Diegues Trindade. Manga também informou a intenção do Executivo de comprar, por conta própria, doses de vacinas contra a Covid-19. O intuito é ampliar a campanha de imunização na cidade.

Segundo Manga, quando a sua gestão assumiu a Prefeitura, no dia 1° de janeiro, ainda não havia sido desenvolvido um plano de início do ano letivo em meio à pandemia. Por isso, foi montado, em 4 de janeiro, um comitê intersetorial, para definir esse planejamento. A equipe é formada por representantes das secretarias da Saúde e Educação, do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Sorocaba (SSPMS), da Vigilância Sanitária (Visa) e do Conselho Municipal de Educação de Sorocaba (Cmeso).

Leia mais  Receita Federal apreende 500 mil maços de cigarros em carreta em Itapetininga

Os membros trabalharam em três frentes, detalha o prefeito. São elas: a definição de protocolos de prevenção à Covid-19, para garantir a segurança dos alunos e profissionais atuantes nas instituições de ensino; contratação de número suficiente de recursos humanos, ou seja, trabalhadores de educação, com o intuito de suprir a demanda das unidades; e disponibilização de materiais e instrumentos tecnológicos, para o desempenho das atividades presenciais.

Para cumprir a primeira meta, afirma ele, a administração municipal já abriu edital de chamamento para a compra de itens de proteção ao novo coronavírus, como álcool em gel, máscaras e fitas para o isolamento de áreas. Presencialmente, além dessas ações, as classes terão número reduzido de alunos, em cumprimento às determinações do Plano São Paulo. Já quanto ao segundo objetivo traçado, o Executivo vai convocar cerca de 300 candidatos aprovados no concurso realizado no ano passado. Os selecionados começarão a atuar em março, quando ocorre a reabertura das unidades  de ensino. “Temos, hoje, uma defasagem de profissionais nas escolas”, pontuou o prefeito. Com o objetivo de oferecer condições de trabalho adequadas, a Prefeitura igualmente já iniciou a distribuição dos kits escolares aos alunos, disse o secretário da Educação. Os livros didáticos a serem usados neste ano também já foram enviados pelo Ministério da Educação (MEC) e devem chegar às instituições em breve. Os itens de papelaria também estão a caminho. Desta forma, o andamento das aulas não será prejudicado devido à falta de materiais, completou Carrara. “O comitê e a Sedu (Secretaria da Educação) têm trabalhado intensamente para garantir a volta das aulas presenciais”, completou ele.

A administração municipal vai, ainda, aparelhar, com recursos tecnológicos, as instituições municipais. Em todas elas será implantado um modelo chamado de “ensino à distância inteligente”, adiantou Manga. De acordo com Carrara, as unidades receberão novos computadores, terão acesso à internet de qualidade, bem como a plataformas digitais, para a aplicação do ensino híbrido.
Para os alunos que não tiveram essas ferramentas em casa, o governo municipal vai disponibilizar tablets ou celulares. Os equipamentos serão de propriedade da Prefeitura e temporariamente emprestados.

Leia mais  Transmissão de Covid por embalagens e alimentos é 'muito improvável', diz FDA

Conforme Manga, as aulas presenciais só serão iniciadas quando todas essas medidas forem concretizadas. Deve ser garantida, principalmente, a implementação das medidas preventivas contra a Covid-19. “Não vamos, em momento algum, colocar nossos alunos e professores nas escolas sem que tenham a segurança necessária”, reforçou.

Orientações

Pais, alunos e profissionais de educação serão orientados diretamente nas escolas sobre os protocolos de segurança e as importância de segui-los. Além disso, adiantou o chefe do Executivo, haverá postagens com as recomendações nas mídias sociais da Prefeitura, e as informações também serão passadas durante a programação da TV Câmara.

Vacinas

O prefeito também anunciou ter encaminhado, nesta quinta-feira (4), ofícios para o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, e para a presidente da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Nísia Trindade. Nos documentos, Manga manifestou o interesse da Prefeitura em comprar vacinas contra o novo coronavírus. Entre segunda (8) e quarta (10), ele também irá a Brasília, pare se encontrar com o Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a fim de apresentar a proposta.

Após a conversa com Pazuello, Manga formalizará o pedido junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ele pretende adquirir 100 mil doses de imunizantes. Se conseguir, tentará incluir os profissionais de educação no grupo prioritário. O objetivo, informou, é acelerar a imunização desses trabalhadores, para garantir o retorno deles com segurança às salas de aula. Contudo, acrescentou, as doses não ficarão restritas à categoria e também serão utilizadas na vacinação da população em geral. (Vinicius Camargo)

Comentários