Sorocaba e Região

Em três meses de atuação, Deic de Sorocaba efetuou 240 prisões

No período, 81 inquéritos foram instaurados e 9 homicídios esclarecidos
Em três meses de atuação, Deic de Sorocaba efetuou 240 prisões
Delegado Wilson Negrão, divisionário da Deic, enaltece o trabalho cooperativo das forças locais de segurança. Crédito da foto: Vinícius Fonseca / Arquivo JCS (14/2/2020)

O delegado Wilson Negrão, divisionário da Divisão Especial de Investigações Criminais (Deic), de Sorocaba, apresentou na quarta-feira (23) uma retrospectiva sobre a atuação da instituição entre os meses de agosto e novembro deste ano. Os dados foram apresentados à reportagem durante entrevista de Negrão ao Facebook do Cruzeiro do Sul.

De acordo com esses dados, 240 prisões foram efetuadas pela Deic. Somente pessoas presas em flagrante, foram dezenove. No período, 81 inquéritos foram instaurados e nove homicídios foram esclarecidos pelos policiais civis da unidade. Entre outras informações, mais de mil quilos de entorpecentes foram apreendidos pela Divisão.

Negrão destacou que entre os crimes esclarecidos, estão roubos em cidades da Região Metropolitana de Sorocaba, incluindo Salto de Pirapora e Piedade. “Só com a Deic conseguimos desenvolver esse trabalho. A Deic só trouxe resultado positivo”, diz.

Leia mais  IFSP oferece 200 vagas para cursos técnicos gratuitos em Sorocaba

Trabalho conjunto

Negrão lembrou também que a Deic de Sorocaba dá apoio para 79 cidades da região e para delegacias seccionais de outras cidades como Avaré, Itapetininga, Itapeva e Botucatu.

O trabalho de cooperação também ocorre dentro da Deic. “Na Deic, não existe melindre. Nós compartilhamos dados e informações. Se o pessoal que está investigando entorpecente tiver informações de um roubo, essas informações serão compartilhadas. É uma família policial”, diz. Para o alinhamento dos trabalhos, conforme Negrão, reuniões diárias são realizada com as esquipes. “A Deic nada mais é do que uma grande família”, ressalta.

O delegado também destacou o trabalho conjunto com as demais forças de segurança pública, incluindo as seccionais, Polícia Militar e Guarda Municipal. Ele ainda frisou o importante trabalho de parceria feito com o Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). “Meu pensamento é trabalhar em conjunto, sempre”, garante. “Em todos os lugares que trabalhei, priorizo o trabalho em conjunto. Juntos, somos mais fortes. Não existe outro lema. Temos que trabalhar dessa forma”, acrescenta.

Humanização e inclusão social

O lema da Deic e que sempre foi defendido pelo delegado conta com três palavras: pacificar, investigar e solucionar. Nesse contexto, conforme o delegado, a humanização e a inclusão social são prioridades. “É preciso humanizar os policiais para que eles possam dar um atendimento humanizado para quem for procurar a polícia”, explica Wilson Negrão.

Leia mais  Prefeitura de Itapetininga divulga plano de vacinação contra a Covid-19

O delegado responsável pela Deic de Sorocaba também fez elogios a todos os policiais que compõe a Divisão. “As pessoas aqui são preparadas e comprometidas e estão humanizando a polícia”, garante. “É muito importante ver nesses policiais a vontade de resolver esses casos. É um trabalho que foca sempre na comunidade, para trazer resultados positivos que possa beneficiá-la”, comenta.

Negrão destacou o trabalho realizado pelos policiais de Sorocaba, de todas as forças. “Mesmo em meio a pandemia, eles sempre deram um passo à frente e sempre em benefício da sociedade. Vejo esses policiais de Sorocaba como verdadeiros guerreiros. São profissionais que enfrentaram e estão enfrentando de frente essa batalha, sem medo e com responsabilidade. Rendo minhas homenagens a todos os policiais da cidade.”

Importante destacar que os dados divulgados pela Deic correspondem ao período entre 25 de agosto, quando a Divisão iniciou suas atividades, até o fim de no novembro, Portanto, os números não contemplam os dados de dezembro, que ainda não estão consolidados. (Marcel Scinocca)

Comentários