Buscar no Cruzeiro

Buscar

Eles são os novos líderes regionais

03 de Janeiro de 2021 às 00:01
Vinicius Camargo [email protected]

Eles são os novos líderes regionais Fachada da Prefeitura de Sorocaba. Crédito da foto: Zaqueu Proença / Secom Sorocaba

Atualizada em 05/01/2021, às 14h40

A última sexta-feira, 1º de janeiro 2021, foi marcada pela posse dos prefeitos e vereadores eleitos nos 27 municípios da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS). Em 18 deles, o ano começou com renovação. O comando das prefeituras foi substituído por novos gestores municipais. Desse total, três nomes que já estiveram à frente do Poder Executivo local retornaram ao posto. Já nos outros nove municípios não houve mudanças na gestão, pois os prefeitos foram reeleitos.

O PSDB será o partido com o maior número de prefeituras na RMS: oito. A sigla foi a mais vitoriosa nas eleições municipais, seguida pelo PSB, com três prefeitos eleitos na região. Dos 27 chefes de administração municipal entre 2021 e 2024, apenas três são mulheres. Em relação ao pleito de 2016, o número de prefeitas eleitas cresceu de duas para três.

Com exceção de Sorocaba, onde houve segundo turno, todos os demais municípios da RMS definiram seus prefeitos no primeiro turno, no dia 15 de novembro do ano passado.

Nesta reportagem especial, o Cruzeiro do Sul apresenta o perfil dos prefeitos das 27 cidades da RMS. Conheça mais sobre João Paulo Carioca (PSD), de Alambari; Antonio Piassentini Bimbão (Solidariedade), de Alumínio; Rodrigo Andrade (Pros), de Araçariguama; Dr. Quevedo (PSD), de Araçoiaba da Serra; Edson Marcusso (Cidadania), de Boituva; Keké (PSDB), de Capela do Alto; Aldo Sanson (PSDB), de Cerquilho; Dinho (PSDB), de Cesário Lange; Paulinho Sasaki (PTB), de Ibiúna; Léo Folim (PSC), de Iperó; Simone Marquetto (MDB), de Itapetininga; Guilherme Gazzola (PL), de Itu; Daniel Vieira (DEM), de Jumirim; Toninho Gemente (PSD), de Mairinque; Geraldinho (MDB), de Piedade; Marquinho da Auto Escola (DEM), de Pilar do Sul; Dr. Cássio (PTB), de Porto Feliz; Laerte Sonsin (PL), de Salto; Mateus Marum (PSDB), de Salto de Pirapora; Paulo Oreia (PP), de São Miguel Arcanjo; Guto Issa (Podemos), de São Roque; Professor Gustavo (PSDB), de Sarapuí; Rodrigo Manga (Republicanos), de Sorocaba; Todesco (PSB), de Tapiraí; Maria José Gonzaga (PSDB), de Tatuí; Vlamir Sandei (PSDB), de Tietê; e Fabíola Alves (PSDB), de Votorantim.

As informações e fotografias foram fornecidas pelas assessorias das coligações dos candidatos eleitos.

Alambari

Eles são os novos líderes regionaisDepois de dois mandatos como parlamentar, João Paulo Dantas Pinto, chamado de João Paulo Carioca (PSD), alcançou a chefia do Executivo em Alambari. Ao todo, 2.132 alambarienses votaram nele (57,19% do eleitorado). O vice é Fião (PTB). Os dois são da chapa Juntos pela Mudança (PTB e PSD).

Dantas foi eleito vereador em 2012 e reeleito em 2016. Ele possui ensino superior completo.

Alumínio

Eles são os novos líderes regionaisPelos próximos quatro anos, Alumínio continuará sob a administração de Antônio Piassentini Bimbão (Solidariedade). Na reeleição, o prefeito, de 69 anos, obteve 4.641 votos, 44,55% do total. O vice é Eduardo Bosco (Cidadania). Eles integram a coligação Trabalhar é Preciso - Continua Alumínio, formada pelos partidos Cidadania, Solidariedade e PDT.

Bimbão iniciou a carreira política em 2008, quando concorreu à prefeitura pela primeira vez. Naquele ano, não foi eleito. Em 2012, tentou novamente, mas também não conseguiu. Conquistou, finalmente, o posto em 2016, na terceira disputa.

Antes de se tornar político, trabalhou como metalúrgico e siderúrgico. É graduado em Geografia e Pedagogia. Em 1984, fundou o Sindicato dos Metalúrgicos de Alumínio e Mairinque. Iniciou a atuação na entidade como suplente, na primeira diretoria. No segundo mandato, foi vice-presidente. Já em 1990, assumiu a presidência do sindicato, função exercida até hoje. Atualmente, é, também, diretor da Federação dos Metalúrgicos do Estado de São Paulo.

Araçariguama

Eles são os novos líderes regionaisO responsável pelo Executivo de Araçariguama mudou a partir do primeiro dia de 2021. Eleito com 41,33% do total de votos (5.124), Rodrigo Andrade (Pros), 41 anos, assumiu a prefeitura da cidade. O seu vice é Leandro Amaro (PL). Ambos fazem parte da chapa Coragem para Transformar (PSL, Patriota, Pros, PL, PSD).

Andrade já havia disputado o cargo de vice-prefeito do município em 2016, mas não venceu. Ele possui ensino superior completo em engenharia.

Araçoiaba da Serra

Eles são os novos líderes regionaisAraçoiaba da Serra igualmente começou o ano com mudança no Executivo. José Carlos de Quevedo Júnior, mais conhecido como Dr. Quevedo (PSD), é o novo prefeito. Quevedo, de 43 anos, tentou participar da administração araçoiabana pela primeira vez em 2012. Na ocasião, disputou a vaga de vice-prefeito, mas não foi eleito. Em 2016, concorreu como prefeito, porém, mais uma vez, sem sucesso. Neste ano, foi eleito com 45,12% dos votos (7.219). O vice é Adilson Domingues (PSD). Os dois são da coligação Sim é Possível (PSD, Avante e PSDB).

Quevedo é graduado em direito e atuou como advogado.

Boituva

Eles são os novos líderes regionaisEdson José Marcusso (Cidadania), 63 anos, assumiu o quinto mandato como prefeito de Boituva. Tem como vice a dra. Ana Paula (PTB). Ambos fizeram parte da coligação Experiência e Inovação com a Força do Povo, formada pelos partidos Republicanos, PTB, Cidadania, PP e Solidariedade. Nas eleições de 2020, Marcusso venceu com 9.353 votos, 33,42%. Advogado por formação, ocupou, pela primeira vez o cargo de chefe do Poder Executivo municipal entre 1989 e 1992.

As principais frentes de trabalho do prefeito boituvense incluem a implantação de novas empresas e o estímulo ao turismo -- em especial, o paraquedismo e o balonismo. Neste mandato, além destas ações, Marcusso objetiva firmar parcerias com outras esferas governamentais, principalmente, para a captação de verbas. Outra intenção é estabelecer alianças com os gestores das cidades da região. Neste sentido, quer atrair empresas de tecnologia e, paralelamente, qualificar mão de obra local. Para isso, projeta firmar Parcerias Público Privadas (PPPs) e convênios. Ainda nesta linha, propõe criar o Centro de Referência da Juventude, além de implantar de um “governo digital”. Nesse formato, detalha, o foco será a qualidade, a agilidade, a economia e o protagonismo da população.

Capela do Alto

Eles são os novos líderes regionaisO comando da Prefeitura de Capela do Alto permanecerá inalterado nos próximos quatro anos. O prefeito Péricles Gonçalves, conhecido como Kéke (PSDB), foi reeleito com 8.224 votos, 75,91% do total. O vice é Henrique (PP). Os dois integraram a coligação Capela Não Pode Parar (PP, PDT, Pode e PSDB).

Kéke tem 51 anos e é graduado em gestão pública. Começou a trabalhar aos 17 anos, como mecânico. À época, montou a própria oficina. Posteriormente, se tornou proprietário de uma rede de oficinas e auto elétricas. Mais tarde, ingressou no setor imobiliário, no qual empreende até hoje.

A carreira política foi iniciada em 2016, quando conquistou o posto de prefeito de Capela pela primeira vez.

Cerquilho

Eles são os novos líderes regionaisAldomir José Sanson, o Aldo Sanson (PSDB), de 69 anos, assumiu o governo de Cerquilho pela quarta vez. Ao final do próximo mandato, em 2024, terá completado 16 anos como chefe do Executivo municipal. O vice é Zé Roberto Pilon (Cidadania). Sanson e Pilon formaram a coligação Pra Frente Cerquilho (PP, PTB, PSDB, Cidadania, DEM e Republicanos).

Ingressou na política cerquilhense ao se tornar presidente do Partido Popular (PP). Foi eleito vereador para o mandato de 1982 a 1988. Aldo governou a cidade, inicialmente, de 1989 a1992; depois, foram dois mandatos seguidos -- de 2001 a 2008. Em 2020, Aldo foi eleito com 19.430 votos, 85,29% do total, uma das maiores porcentagens registradas no País.

Sanson é graduado em direito e possui curso de contabilidade. Na carreira, trabalhou em agência bancária, foi contador, proprietário de escritório de despachante e de auto escola, além de advogado.

Sobre planos e projetos futuros, o prefeito eleito pretender construir um viaduto na estrada vicinal Domingos Moretti, no bairro Galo de Ouro, e outro no final da avenida Ângelo Módolo, que vai possibilitar o acesso à rodovia Antônio Romano Schincariol (SP-127). No setor de habitação, planeja construir 100 casas no terreno situado no Bairro Cecap. Igualmente objetiva gerar 127 lotes residenciais e 38 empresariais no bairro Taquarual. Em relação ao setor de moradia, pretende implantar um novo modelo de investimento em habitação. A ideia é construir apartamentos pelo sistema Minha Casa Minha Vida, por meio de PPP.

Ele visa, ainda, ampliar escolas; aumentar a oferta de cursos profissionalizantes; construir uma nova unidade de saúde, recapear ruas; ampliar o projeto do Parque dos Lagos; levar infra-estrutura ao novo distrito industrial e ao loteamento Ribeiro, no bairro Barreiro Rico; e trocar as atuais luminárias por modelos de LED.

Para gerar empregos, promete trazer mais empresas para o segundo distrito industrial em desenvolvimento e ampliar a iniciativa Cidade Inteligente.

Cesário Lange

Eles são os novos líderes regionaisRonaldo Pais de Camargo, estará à frente do Executivo de Cesário Lange pela terceira vez. Dinho (PSDB), de 43 anos, como é mais conhecido, tem como vice Márcia Campos (PSDB). Ambos formaram a chapa Construindo o Futuro com Responsabilidade (PSDB, PL, Pode, PSB e Cidadania).

Dinho disputou o cargo de vice-prefeito em 2008. No entanto, sem êxito. Venceu a primeira eleição em 2012, alcançou a reeleição em 2016 e novamente neste ano. Obteve 4.611 votos (51,49%). Ele tem ensino superior completo e trabalhou como contador.

Ibiúna

Eles são os novos líderes regionaisA partir de 1º de janeiro de 2021, Ibúna é comandada por Paulo Kenji Sasaki, mais conhecido como Paulinho Sasaki (PTB). O vice é Alexandre Bello (MDB). Eles formaram a chapa Unidos por uma Ibiúna Melhor, composta por MDB e PTB. Sasaki, de 51 anos, sempre trabalhou como agricultor. Ingressou na política em 2004, quando disputou uma vaga no Legislativo, mas não conseguiu. Alcançou o cargo de parlamentar em 2008 e foi reeleito em 2012. Em 2014, se candidatou a deputado federal, mas ficou como suplente. Em 2016, tentou a prefeitura. Porém, acabou em terceiro lugar. No mesmo ano, presidiu a Câmara Municipal. Em 2018, novamente, tentou ser deputado. Contudo, mais uma vez, permaneceu na suplência. Em 2020 foi eleito prefeito com 14.014 votos, 34,28% do total.

A sua prioridade é melhorar o sistema de saúde, principalmente o atendimento no Hospital Municipal. Além disso, quer aprimorar o sistema de coleta de lixo e as condições das estradas vicinais. Outros planos são investir na geração de empregos e qualificação dos jovens.

Iperó

Eles são os novos líderes regionaisO vice-prefeito de Iperó no período 2016-2020, Leonardo Roberto Folim, conhecido como Léo Folim (PSC), é o novo prefeito do município. Neno Domingues (PSDB) é o vice. Eles são da chapa Trabalhando Juntos, Iperó em Boas Mãos! (PSC, PTB, PSB, PV e PSDB).

Anteriormente, Folim, 27 anos, foi eleito vereador em 2012. O mandato foi de 2013 a 2016, ano que em se elegeu vice-prefeito. Na eleição do ano passado, teve 58,16% dos votos (8.051).

O prefeito eleito começou a trabalhar aos 16 anos. Nos primeiros anos no mercado de trabalho, foi funcionário de um supermercado e, depois, de uma loja. Após concluir o ensino médio, estudou durante seis meses em Nova Jersey, nos Estados Unidos, onde se aperfeiçoou na língua inglesa. Posteriormente, atuou no Departamento de Cultura da Prefeitura de Iperó, como chefe da Divisão de Projetos. Ele tem ensino superior incompleto.

Itapetininga

Eles são os novos líderes regionaisReeleita com 61,91% (46.913 votos), a prefeita de Itapetininga, Simone Aparecida Curraladas dos Santos, popularmente conhecida como Simone Marquetto (MDB), governará a cidade pela segunda vez. Tem como vice Jeferson Brun (PSDB). Ambos fazem parte da coligação Respeito por Você (Republicanos, PP, PDT, MDB, Cidadania, PSDB, Avante, Pros e PSL). Simone, de 45 anos, é a primeira mulher eleita como chefe do Executivo no município. Venceu as eleições pela primeira vez em 2016. Também é presidente da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) e do Comitê da Bacia Hidrográfica do Alto Paranapanema (CBH - Alpa), já no segundo mandato.

A prefeita é graduada em jornalismo e relações públicas. Trabalhou nos principais veículos de comunicação de Itapetininga e região. Entre os destaques da carreira, atuou como diretora de jornalismo na TV Sorocaba - SBT e na Câmara Municipal de Sorocaba. Também foi secretária de Comunicação na cidade.

Ela se candidatou pela primeira vez em 2016, após sugestão do então governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB). À época, venceu o pleito e o seu primeiro mandato perdurou de 2017 a 2020. Simone é uma das três mulheres eleitas na região para o atual mandato.

Para este mandato, entre os principais objetivos, Simone pretende dar continuidade ao plano de infraestrutura. O objetivo é melhorar a urbanização da cidade, por meio dos programas Asfalto para Todos e de instalação de iluminação de LED nas vias. Segundo a prefeita, mais de 100 ruas devem ser pavimentadas e recapeadas, enquanto 2.364 novas luminárias em LED devem ser implementadas no município. Ela, igualmente, pretende estimular a geração de empregos e o desenvolvimento de Itapetininga. Para tanto, criará um condomínio industrial local. Paralelamente, pretende instalar, já em 2021, um campus da Universidade Municipal de São Caetano do Sul (USCS) na cidade. A universidade deve abrir 1.500 postos de emprego, entre diretos e indiretos. A nova instituição de ensino igualmente deve beneficiar o setor de saúde, pois, dentro dela, será constituído um hospital universitário. Posteriormente, detalha Simone, a ideia é incorporá-lo às demais unidades municipais de saúde.

Itu

Eles são os novos líderes regionaisGuilherme Gazzola (PL) é o prefeito de Itu pelo segundo mandato. Gazzola foi reeleito com 32.115 votos, 41,76% do total. Luciano do Secom (PL) é o vice. Eles integram a chapa Para Itu Continuar Avançando (PDT, Cidadania e PL).

Gazzola, de 50 anos, ingressou na política em 2000, quando foi eleito vereador na cidade. Ocupou o posto em dois mandatos. Em 2016, após quatro anos afastado de cargos políticos, disputou as eleições municipais e conquistou o posto de chefe do Executivo pela primeira vez. Em seu primeiro mandato, teve foco no sistema hídrico, saúde e educação municipais. No segundo, detalha ele, continuará trabalhando nessas pautas, mas terá dedicação adicional ao desenvolvimento do município.

O prefeito cursou odontologia e atuou como dentista durante 28 anos. A vocação para a política, afirma, se manifestou ainda na graduação. Na faculdade, quando se envolveu com o ativismo estudantil.

Jumirim

Eles são os novos líderes regionaisDepois de dois mandatos como vereador, Daniel Vieira (DEM) assumiu a prefeitura de Jumirim. Vieira foi eleito com 1.214 votos (65,06% do total). O vice é Ivan da Farmácia (PV). Ambos são da coligação Mudança de Verdade, composta por DEM e PV.

Vieira, 30 anos, iniciou na política como coordenador de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo do município. Em 2012, foi eleito vereador, e reeleito 2016. É formado em comunicação social e atuou, durante anos, como executivo de vendas.

Mairinque

Eles são os novos líderes regionaisToninho Gemente (PSD) volta a chefiar a prefeitura de Mairinque. Gemente. Na eleição de 2020 recebeu, ao todo, 9.601 votos (38,36%). O seu vice é Rodrigo Imobiliária (Pode). Eles formaram a chapa Experiência e Respeito por Mairinque (PD, DEM, Pode, DC, PSDB e PSD).

O prefeito concorreu ao posto em 2004, 2008 e 2016. Não foi eleito nos três anos. Gemente é graduado em direito e trabalha como advogado.

Piedade

Eles são os novos líderes regionaisPiedade começou 2021 com um novo prefeito. Geraldo Pinto de Camargo Pinto, conhecido como Geraldinho (MDB), alcançou o posto com 14.736 votos, 54,73% do total. O vice é Renaldo Corrêa (DEM). Eles são da coligação Tamo Junto Para Mudar Piedade (MDB, DEM, PSD e PRTB). Geraldinho, de 42 anos, é formado em gestão pública, pós-graduado em políticas sociais, técnico em contabilidade, processamento de dados e agroindústria. Natural do município, trabalhou como metalúrgico e foi premiado em diversos concursos literários da região. Antes de conquistar o cargo de prefeito, foi vereador por dois mandatos.

Durante a sua gestão, Geraldinho pretende focar, sobretudo, na contenção de gastos e na saúde pública. Ele projeta ampliar e fortalecer a estratégia Saúde da Família; aprimorar o fornecimento gratuito de medicamentos à população na rede ou em domicílio; criar o programa remédio em casa; e descentralizar, de forma coordenada, os atendimentos para os bairros mais distantes. Entre as primeiras ações de governo, afirma, destinará o carro oficial usado pelo prefeito para transportar pacientes em tratamento de câncer nas cidades de Barretos e Jaú.

Os planos igualmente contemplam investimentos na infraestrutura da cidade. Um dos objetivos é possibilitar o escoamento mais eficiente da produção agrícola. Ele visa, inclusive, a criação de projetos e instauração de parcerias para o fortalecimento e desenvolvimento da agricultura. A intenção é incentivar o pequeno e médio produtor rural. As ações englobam a recuperação e manutenção das estradas rurais e a constituição de um programa de preservação permanente de rios. Ainda, o apoio às feiras de produtores rurais, por meio suporte e acompanhamento técnico e de gestão, além de estímulo à realização de eventos e manifestações artísticas e culturais rurais.

No setor educacional, promete aumentar o investimento na educação infantil. As suas principais metas são a ampliação e a construção de creches, bem como a elaboração do projeto educação integral e ampliação do ensino técnico. Quanto à tecnologia, planeja instalar novas torres de sinal de celular na cidade, para melhorar a qualidade do serviço de telefonia móvel.

Pilar do Sul

O vice-prefeito de Pilar do Sul, Marco Aurélio Soares, conhecido come Marquinho da Auto Escola (DEM), 49 anos, também conquistou o cargo máximo do município. Com 6.183 votos (42,05%), ele foi escolhido pelos pilarenses. Marcos Fabio (PDT) é o vice na chapa Pilar no Rumo Certo, Mais trabalho e Transparência (DEM e PDT).

Soares foi eleito vice-prefeito de Pilar em 2016. O mandato foi de 2017 até este ano. Ele tem ensino médio completo.

Porto Feliz

Eles são os novos líderes regionaisCom 92,10% dos votos (25.318), Antônio Cássio Habice Prado, o Dr. Cássio (PTB), 61 anos, foi reeleito prefeito de Piedade, para o segundo mandato. O vice é Gerão (PP), na chapa Porto Feliz Pode Ainda Mais (PDT, PSD, PSB, Pode, Republicanos, PP, PTB e PSL).

Dr. Cássio, que é médico, venceu o pleito municipal de 2016 e governou a cidade entre 2017 e 2020.

Salto

Eles são os novos líderes regionaisEm Salto, o novo prefeito é Laerte Sonsin (PL), de 50 anos. Ao todo, 32.619 saltenses escolheram Sonsin para o cargo. O número representa 54,23% do total de votos. O vice é Edemilson Santos (Pode). Os dois venceram pela chapa Renovação em Dobro (PTB, PL, PMN, Patriota, Avante, PSC, PV e Podemos).

Sonsin já havia tentado fazer parte do cenário político da cidade. Em 2012, buscou uma cadeira no Legislativo. Entretanto, ficou como suplente. Em 2016, concorreu à prefeitura, mas foi não foi eleito. Dois anos depois, em 2018, disputou vaga como deputado estadual, ficando na suplência.

Ele é formado em direito e atua como advogado.

Salto de Pirapora

Eles são os novos líderes regionaisA partir de 1º de janeiro, Salto de Pirapora tem novo prefeito. Matheus Marum de Campos, de 28 anos, venceu com 8.654 votos (43.03%). O vice é Nei Mineiro (DEM). Ambos são da chapa Juntos por Salto de Pirapora (DEM, Cidadania e PSDB).

Graduado em direito, exerceu pouco tempo a profissão, pois, em 2016, foi eleito vereador e presidente da Câmara Municipal. Foi o mais jovem a ocupar o cargo e, também, é o prefeito mais jovem da cidade.

Marum objetiva reforçar as ações de combate à pandemia de Covid-19. Igualmente, pretende intensificar os trabalhos de embelezamento do município, especialmente, em locais com aparência de abandono.

A médio prazo, uma de suas principais propostas é a construção de nova sede para a Santa Casa de Misericórdia. O plano, afirma Marum, já está em andamento, por meio de um parceria com o deputado Vitor Lippi (PSDB). Quer, ainda, desenvolver um novo distrito industrial, com o intuito de fomentar a geração de empregos, por intermédio de incentivos fiscais. “Os dois pilares da nossa administração serão saúde e geração de emprego”, enfatiza.

São Miguel Arcanjo

Eles são os novos líderes regionais

São Miguel Arcanjo também continuará com o mesmo prefeito até 2024. Paulo Ricardo da Silva, o popular Paulo Oreia (PP), 45 anos, foi reconduzido ao cargo com 12.512 votos (72,08%). O seu vice é Elias da Ambulância (MDB). Ambos compuseram a chapa Transparência e Participação Popular (PP, Pode, MDB e PSD).

Participou de uma eleição pela primeira vez em 2000, quando foi eleito o vereador mais novo da história do município. Como parlamentar, teve quatro mandatos consecutivos. Foi três vezes presidente da Câmara, chefe do setor de transporte público e secretário municipal.

Silva é graduado em administração e empresário.

São Roque

Eles são os novos líderes regionaisA renovação na administração municipal ocorreu em São Roque. A partir do primeiro dia 2021, a atribuição passou a ser de Marcos Augusto Issa Henriques de Araujo, conhecido como Guto Issa (Podemos). O prefeito eleito, de 52 anos, ganhou com 17.669 votos (46,91%). Maique Boccato (Republicanos) é o vice. Issa e Boccato integraram a coligação Coragem e Esperança, São Roque para Todos (Republicanos, PDT, Pode, PL e Rede).

Issa foi eleito vereador em 2012 e reeleito em 2016. Ele tem ensino superior completo.

Sarapuí

Eles são os novos líderes regionaisProfessor Gustavo (PSDB) é o novo prefeito de Sarapuí. Ele foi a opção para 2.297 sarapuianos (41,23%). A votação foi apertada e a diferença para o segundo colocado foi de apenas 27 votos. Élito (MDB) teve 2.270. O vice é Chico Boiadeiro (PP). Os dois formaram a chapa Sarapuí só de verdades (PSDB e PP).

Professor Gustavo já havia concorrido à prefeitura em 2012, não sendo eleito.

Ele tem ensino superior completo e é professor de ensino médio.

Sorocaba

Eles são os novos líderes regionaisEm Sorocaba, o ano também começou com troca no comando do Paço Municipal. Rodrigo Manga (Republicanos), 40 anos, venceu o pleito com 153.228 votos válidos (52,58%). Manga Derrotou a prefeita Jaqueline Coutinho (PSL), que ficou na segunda posição, com 138.201 votos (47,42%). A diferença foi de pouco mais de 15 mil votos. O vice é Fernando Martins da Costa Neto, conhecido como Fernando do Clube São Bento (PSD). Os dois integraram a coligação A Mudança Vai Começar (PL, Pros, Republicanos, PP, PRTB, PSD, PTC e PTB).

Manga entrou na política em Sorocaba como vereador, em 2013. Depois, tornou-se o parlamentar mais votado da história da cidade, reeleito para o mandato 2017 a 2020, com 11.471 votos. Ocupou a cadeira de presidente do Legislativo, em 2017 e 2018. Promoveu a reforma administrativa da Casa, com uma série de medidas para diminuir as despesas. A economia foi de, aproximadamente, R$ 16 milhões nesses dois anos. Os recurso foram devolvidos aos cofres da Prefeitura.

No seu mandato, ele se comprometeu a priorizar a saúde. Assegurou, por exemplo, a modernização do sistema de agendamentos on-line e presencial de consultas e a efetuação de parcerias público privadas. Já na educação, prometeu, entre outras ações, a informatização dos métodos educacionais. Na segurança pública, quer implantar o Centro de Operações Integradas (COI). Quanto aos setores de transporte e sistema viário, as suas intenções são ajustes no Bus Rapid Transit (BRT) e nos ônibus tradicionais. Na cultura e lazer, deve rever o Plano Municipal de Cultura e ampliar os investimentos nos espaços culturais.

No tocante à geração de empregos, para estimular a abertura de vagas e contratações, ele planeja promover desburocratização, incentivos fiscais a empresas e capacitação profissional. Para administrar adequadamente o orçamento municipal e colocar em práticas todas as proposições, deverá privilegiar a revisão de contratos e o corte de gastos, como mencionou diversas vezes.

Tapiraí

Eles são os novos líderes regionaisQuatro anos após deixar o cargo, Araldo Todesco (PSDB), 63 anos, voltou a ser prefeito de Tapiraí. Todesco obteve 2.319 votos (51,71%). O vice é Chiquinho Iise (PSD). Eles formaram a coligação Trabalho e Prosperidade (PSB, PSD, PSC e PTB).

Em 2004, concorreu a uma cadeira na Câmara, mas só conquistou em 2008, na segunda tentativa. Foi eleito prefeito em 2012. Tentou a reeleição em 2016, mas perdeu.

Ele é comerciante e tem ensino médio completo.

Tatuí

Eles são os novos líderes regionaisTatuí continua com presença feminina na administração municipal. A prefeita Maria José Pinto Vieira de Camargo, conhecida como Maria José Gonzaga (PSDB), 74 anos, foi reeleita com 31.861 votos (58,29%). Professor Miguel (MDB) é o vice. Eles formaram a chapa Amor por Tatuí! Trabalho e Desenvolvimento (Cidadania, PSC, PL, MDB, PSD, PSL, Republicanos e PSDB).

Maria foi eleita prefeita em 2016, na primeira tentativa. Ela tem ensino superior completo.

Tietê

Eles são os novos líderes regionaisVlamir de Jesus Sandei (PSDB), 61 anos, foi o primeiro prefeito reeleito da história de Tietê. Sandei teve 26,11% dos votos (4.944). A vice é Ana Madureira (PSDB). Ambos integraram a chapa Queremos Mais Para Tietê (PTB, PSL e PSDB).

Bacharel em direito, foi delegado de polícia em Santa Maria da Serra, Rafard, Piracicaba, Tietê e Porto Feliz, corregedor da região de Sorocaba, da Grande São Paulo e delegado geral assistente, além de professor universitário.

Começou na política em 1992, quando foi vereador na Câmara Municipal, sendo reeleito no mandato subsequente, de 1996 a 2000. Em 2016, foi eleito prefeito.

Votorantim

Eles são os novos líderes regionaisVotorantim tem a sua primeira prefeita mulher. Fabíola Alves da Silva Pedrico (PSDB), 37 anos, foi escolhida por 14.719 votorantinenses para a prefeitura (28,35% dos votos). O vice é Rodrigo Kriguer (PSDB). Ambos integraram a chapa Fé no Futuro (Pode, PDT, PMN e PSDB).

Fabíola ingressou na política influenciada pela atuação do pai, o ex-prefeito da cidade Erinaldo Alves da Silva. O primeiro cargo foi como vereadora. Eleita em 2008, para o mandato entre 2009 e 2012, foi a primeira mulher a ter uma cadeira no Legislativo. Ela foi reeleita em 2012 e 2016. Fabíola Fundou e presidiu a Juventude do PSDB em Votorantim.

Cursou magistério e trabalhou como auxiliar de classe e professora. Atuou, também, como professora de informática. Posteriormente, graduou-se em arquitetura e urbanismo. Primeiramente, exerceu a profissão em escritórios de Sorocaba e, em seguida, como autônoma na área de projetos e legalizações.

Dentre as suas principais diretrizes para o mandato estão a aproximação do cidadão com os serviços públicos e a modernização da máquina pública. O foco será a inovação e a implementação de tecnologias para melhor gerenciamento dos gastos. Também pretende promover a inclusão, tanto de pessoas com deficiência, quanto de idosos e votorantinenses em situação de vulnerabilidade. Deve, ainda, investir na economia criativa, a fim de gerar emprego e renda para a população. Já na saúde, visa retomar os atendimentos, enquanto, na educação, propõe planejamento escolar diferenciado para o retorno das aulas. Na habitação social, deve criar projetos de habitação social e proporcionar espaços públicos mais interativos e de qualidade. (Vinícius Camargo)