Buscar no Cruzeiro

Buscar

Deic esclarece assassinato de garota de programa em Aparecidinha

05 de Novembro de 2020 às 18:44
Marcel Scinocca [email protected]

Divisão Especial de Investigações Criminais de Sorocaba. Crédito da foto: Fábio Rogério / JCS (05/11/2020)

 

O caso de um homicídio ocorrido em agosto, no bairro Aparecidinha, em que uma mulher foi morta a pedrada, foi esclarecido pela Divisão Especial de Investigações Criminais (Deic), de Sorocaba. Os detalhes do desfecho do caso foram apresentados nesta quinta-feira (5) pela delegada Luciane Bachir, que integra a Delegacia de Investigações Gerais (DIG).

De acordo com ela, o caso apresentou muitas dificuldades para ser esclarecido, em função, por exemplo, do local ermo onde o corpo foi encontrado, sem testemunhas e sem imagens de câmaras de monitoramento. “Várias pessoas foram ouvidas. Foram também feitas buscas, até se chegar à autoria”, diz. Conforme a investigação, a mulher, que tinha 22 anos, era garota de programa.

Após ser contratada e e os dois terem consumido entorpecentes, o acusado e a vítima iniciaram uma discussão, envolvendo, inclusive, dinheiro. Houve várias ameaças por parte da mulher, segundo o autor. Uma delas, é que a situação envolvendo prostituição e consumo de droga seria tornada pública por meio de redes sociais.

Delegada Luciane Bachir explicou os detalhes do caso. Crédito da foto: Fábio Rogério / JCS (05/11/2020)

 

A mulher, em dado momento, teria arrancado a chave do contato do veículo, até que foi empurrada da carro. Logo após isso, ocorreu a agressão com a pedra. “Ele falou que foi no ímpeto. Ela exigiu mais dinheiro e ele não quis dar”, afirma a delegada. Quando ele foi preso, a princípio negou o crime, mas acabou confessando diante das provas. Ele se diz arrependido de toda a situação.

Ainda, segundo Luciane Bachir, o caso não foi registrado como feminicídio por não ter as características que tipificam esse tipo de crime. “Não foi com relação à condição dela, de mulher, e nem em menosprezo ao gênero”, diz. O homem, que tem 29 anos, está em prisão temporária. O caso foi encerrado como homicídio qualificado.

Na ocasião do crime, em 9 de agosto, o cadáver, encontrado no período da manhã, apresentava lesões na cabeça. O crime ocorreu em uma área de mata, na rua Quirino de Melo. O autor morava próximo de onde o assassinato ocorreu. (Marcel Scinocca)