Sorocaba e Região

Déficit da Prefeitura de Sorocaba pode chegar a R$ 93 milhões até o final do ano

O secretário da Fazenda, Marcelo Regalado, afirmou que o pagamento do 13º salário dos servidores está garantido
Déficit da Prefeitura pode chegar a R$ 93 mi até o final do ano
Balanço foi apresentado pelo secretário da Fazenda, Marcelo Regalado. Crédito da foto: Fábio Rogério

O déficit orçamentário da Prefeitura de Sorocaba poderá chegar a R$ 93 milhões, se considerada a receita planejada no ano passado para o orçamento deste ano. A informação foi repassada nesta quarta-feira (7) pelo secretário da Fazenda, Marcelo Regalado, durante exposição da situação financeira da cidade. O evento ocorreu na Biblioteca Municipal, com participação de vereadores e membros do Poder Executivo, incluindo a prefeita Jaqueline Coutinho (PDT).

Segundo o secretário, esse déficit projetado para o final do ano refere-se a valores já empenhados e contratados pela Prefeitura e mais as despesas previstas em orçamento.

Regalado também destacou que a arrecadação caiu. “Aquilo que está previsto na receita, nós não vamos arrecadar. Vamos arrecadar menos”, afirma. Conforme Regalado, há a necessidade de adequar a despesa para se chegar ao equilíbrio com a receita. Ela ainda frisou que aguarda a melhora na economia nacional, o que deve ajudar a cidade, e também conta com projetos da Câmara para ajudar no caso.

 

Respondendo a questionamento do Cruzeiro do Sul, Regalado afirmou que o pagamento do 13º salário dos servidores está garantido. “Estamos guardando 1/12 por mês do 13º. Hoje, já temos em torno de R$ 40 milhões guardados para fazer frente a essas despesas”, garante.

Sobre o IPTU complementar, Regalado lembra que foi lançado em maio 9 mil boletos e que foi arrecadado entre 30% e 40% do que lançado. Na semana que vem, mais 23 mil boletos deverão ser emitidos. A expectativa é de que isso gere uma receita de R$ 9 milhões. Sobre novos contratos, Regalado salientou que será discutido o que é prioridade para o governo. “Vai ter de se estabelecer aquilo que é prioritário e não prioritário, para que a gente possa fazer essa conta de encontro e fechar o ano sem déficit”, termina.

A prefeita Jaqueline Coutinho não deu entrevista sobre a questão, mas destacou a jornalistas, entre outras coisas, a necessidade de cautela com relação a novos contratos e a busca de novas receitas. (Marcel Scinocca)

Comentários