Sorocaba e Região

DDM intensifica atuação com plantão 24h em Sorocaba

Em três meses foram 38 prisões em flagrante e 470 boletins registrados no horário estendido
DDM intensifica atuação com plantão 24h
Além do registro de crimes e ameaças, a unidade também tem sido procurada para orientação. Crédito da foto: Fábio Rogério

Com três meses de funcionamento 24 horas, a Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de Sorocaba registrou 470 boletins de ocorrência e 38 prisões em flagrante durante o horário especial de atendimento, das 20h às 8h, de segunda-feira a sexta-feira e aos fins de semana. No mesmo período, foram 764 boletins de ocorrências e 18 flagrantes no atendimento diurno. Os casos se referem a violência contra mulher, criança e adolescente.

 

A unidade também registrou nesses três meses, em todos os horários, um grande número de solicitação de medidas protetivas: 218. A medida é um pedido à Justiça para que o agressor fique impedido de se aproximar da vítima. “Antes da gente ter o plantão 24 horas aqui na DDM, não eram solicitadas medidas protetivas a não ser durante o horário de expediente da DDM. O Plantão da Zona Norte não fazia esse tipo de atendimento, só fazia o registro do boletim de ocorrência e encaminhava a vítima para fazer todo esse procedimento aqui na DDM. Então de noite e de final de semana não tinha esse pedido de medida protetiva”, conta a delegada Adriana Souza Pinto, titular da DDM de Sorocaba.

Ela aponta, no entanto, que houve um grande volume de solicitações no primeiro mês (84 protetivas), que foi diminuindo gradativamente para 68 em março e 66 em abril. A delegada avalia que o fator novidade do atendimento diferenciado na unidade aumentou a procura pelo local no início, inclusive de pessoas de outras cidades, que passaram a ver na DDM de Sorocaba uma referência regional. Ela alerta, no entanto, que embora o local não recuse o atendimento a nenhuma vítima, o padrão continua sendo de registro de ocorrência na própria cidade. A expectativa é de que o número de protetivas se estabilize por volta de 50 a 60 mensais.

Acolhimento

Adriana relata que o número de pessoas atendidas é muito maior do que o de ocorrências registradas. Ela diz que DDM acaba sendo um local de acolhimento para mulheres em busca de aconselhamento sobre questões diversas, como conflitos familiares, emocionais, de guarda ou pensão alimentícia. “Não necessariamente o caso dessa mulher é de boletim de ocorrência. Atendemos muitas mulheres que o caso que estão narrando não configura um crime. Então ela precisa de uma conversa, de um conselho”, explica.

DDM intensifica atuação com plantão 24h
Delegada Adriana estudar implantar serviço multidisciplinar para acolhimento. Crédito da foto: Fábio Rogério

A delegada conta que estuda parcerias para atendimentos multidisciplinares na unidade. Na DDM de Votorantim, onde já atua, há atendimento psicológico em parceria com a Universidade de Sorocaba (Uniso) e está em planejamento um aconselhamento jurídico, por meio da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

O atendimento da DDM, conforme explica Adriana, pela natureza das ocorrências, é mais demorado. Enquanto em uma unidade convencional os funcionários conseguem concluir um registro de um crime em 15 minutos, na DDM é preciso acalmar a vítima, compreender seu histórico e o crime. O tipo mais comum de ocorrência, no Estado de São Paulo, seriam as ameaças.

Mudanças

Para a o operação 24 horas da unidade foi necessária a realocação de funcionários, como escrivães, investigadores e delegadas de outras unidades para cobrir os horários de plantão, além de uma reorganização do atendimento diurno — que antes era das 8h às 18h— e passou a operar das 8h às 20h. “Está todo mundo mobilizado e colaborando com esse atendimento ao público da DDM. Nossa administração superior, a Seccional, entendeu que precisa desse apoio, pois o trabalho aumentou muito aqui”, diz.

A delegada ressalta que além do atendimento 24 horas na DDM (localizada na rua Caracas, 846, no bairro Campolim), ainda é possível registrar ocorrências no Plantão Norte. É possível ainda, se a situação demandar, acionar a Polícia Militar. (Priscila Fernandes)

Comentários