Sorocaba e Região

Corpo encontrado em Boituva é de pedreiro que desapareceu em Sorocaba

Polícia Científica identificou o corpo de Luiz Marques da Silva por exame de impressões digitais
Falta de legistas no IML motiva denúncias
Fachada do Instituto Médico Legal (IML) de Sorocaba. Crédito da foto: Emídio Marques

A família do pedreiro Luiz Marques da Silva, de 66 anos, desaparecido no dia 24 de julho, recebeu nesta segunda-feira (19) da Polícia Científica a confirmação de que era dele o corpo encontrado carbonizado em Boituva no começo deste mês.

 

Luiz era morador do Parque São Bento, na zona norte de Sorocaba. De acordo com seu filho, Laércio Marques da Silva, o corpo fora encontrado no dia 3 de agosto, perto de um pasto e de um lago no bairro Pinhal, em Boituva. O local era de difícil acesso e o corpo foi encontrado por um pescador que acionou a Guarda Civil Municipal.

A família realizou o reconhecimento do corpo no dia 7, mesma data do enterro, e aguardava o resultado do exame de impressões digitais confirmando sua identidade.

Investigação

A investigação sobre o crime está em andamento pela Polícia. A família acredita não se tratar de um latrocínio (roubo seguido de morte) pois o automóvel de Luiz, uma picape Montana vermelha, foi encontrada abandonada intacta quatro dias depois do corpo ser achado carbonizado.

Laércio acredita que seu pai foi assassinado em Sorocaba e o corpo foi levado para Boituva com o intuito de despistar a Polícia. (Da Redação)

Comentários