Sorocaba e Região

Consumidores reclamam de descontos não concedidos

Nos últimos dois anos, o Procon registrou 230 ocorrências desse tipo
Consumidores reclamam de descontos não concedidos
Para alguns consumidores, preços estavam mais caros que no Natal. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Consumidores reclamaram de promoções e liquidações que prometiam descontos nos produtos de até 70% nas lojas, mas que não se confirmaram nesta sexta-feira (3). Pela manhã, várias pessoas enfrentaram fila e até tinham passado a noite nos locais em busca das ofertas, mas quando as lojas abriram, às 6h, ficaram frustradas e disseram que não comprariam nada. Sentiram-se enganadas pelas promoções e disseram que alguns preços estavam até mais caros do que os praticados no Natal.

O Procon informou que registrou apenas uma reclamação, referente à identificação de produtos com valor divergente do desconto prometido e problemas com a precificação nas vendas a prazo. “Essas condutas violam, principalmente, o direito à informação, assegurado pelo Código de Defesa do Consumidor (CDC)”, apontou. Mas, nos últimos dois anos, foram registradas 230 reclamações de consumidores pelos mesmos motivos, acrescentou o órgão de defesa do consumidor. Quanto às liquidações de ontem em Sorocaba, o Procon afirmou que promove fiscalização de estabelecimentos comerciais que anunciam descontos e que apresentam indícios de violação ao direito do consumidor. “Em relação a reclamações referentes à publicidade enganosa na venda de produtos, o Procon Sorocaba atendeu somente uma este ano, 78 casos em 2019 e 151 reclamações em 2018”, informou.

Leia mais  Sorocaba pode perder superintendência regional da Caixa

E orienta que os consumidores façam a denúncia por meio do Aplicativo “Procon Sorocaba”, pelo site do Procon, pelo telefone 151, ou pessoalmente, em uma das unidades de atendimentos. “Isto possibilita que sejam fiscalizados os estabelecimentos comerciais faltosos. Caso a infração seja confirmada, o Procon autua o estabelecimento comercial, que estará sujeito ao pagamento de multa”, destacou.

Frustração

O publicitário Luiz Adolfo Grizi, 52 anos, afirma que foi por volta das 6h de ontem em uma das lojas que estava promovendo a liquidação com produtos com descontos prometidos de até 70% e se decepcionou com as “ofertas”. Ele afirma que os preços de alguns produtos não estavam em promoção e que ainda por cima estavam até mais caros do que os valores praticados no Natal. Luiz disse que procurou o Procon e foi orientado a tirar fotos dos produtos com os preços e fazer a reclamação pelo aplicativo do órgão. “Eu fui com o objetivo de comprar alguns produtos e até guardei uma certa quantia para aproveitar os descontos. Pesquisei os preços antes do Natal e para minha surpresa, quando eu entrei a loja e fui conferir as ofertas fiquei frustrado com os valores. Não tinha praticamente nada em promoção”, destaca. Segundo ele, pessoas de cidades vizinhas também foram às lojas para aproveitar a liquidação e ficaram decepcionadas com os preços. “As pessoas chegaram a passar a noite na fila, em frente as lojas, mesmo com chuva, e quando a loja abriu não tinha promoção nenhuma. É uma falta de respeito com o consumidor”, diz. (Ana Cláudia Martins)

Comentários