Sorocaba e Região

Compostagem feita em Sorocaba ajuda na produção das mudas de árvores

A técnica da compostagem é considerada sustentável e uma solução eficaz para reciclagem de lixo orgânico
Sema realiza compostagem para garantir a qualidade na arborização de Sorocaba
A técnica da compostagem é considerada sustentável e uma solução eficaz para reciclagem de lixo orgânico. Crédito da foto: Mariana Campos (26/9/2019)

Folhas, galhos, podas de vegetação e esterco de animais viram adubo em Sorocaba. Isso é feito através do serviço de compostagem realizado em três locais. A lista inclui o Parque Natural Chico Mendes, o Jardim Botânico Irmãos Villas-Bôas e o Horto Florestal.

Esse material composto é utilizado principalmente na produção de mudas de árvores de Sorocaba. O objetivo é garantir a qualidade na promoção da arborização urbana. Isso porque a escolha dos tipos e misturas de substratos são a base para o sucesso dos plantios.

Realizada pela Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema), a técnica da compostagem é considerada sustentável. Também é uma solução eficaz para reciclagem de lixo orgânico.

Além do impacto positivo ao meio ambiente, ao reduzir o volume de resíduos orgânicos depositado nos aterros sanitários, a prática possibilita a fabricação de fertilizantes nutritivos. Além disso, promove economia de compra de substratos comerciais.

Segundo a Prefeitura de Sorocaba, trata-se de um projeto-piloto de tratamento de resíduos orgânicos. Ele não gera excedentes para distribuição.

Além da utilização na produção de mudas do viveiro municipal, o húmus também é destinado nos plantios de árvores. É usado ainda no paisagismo dos parques ecológicos da Secretaria do Meio Ambiente.

Como funciona

A compostagem é feita através da decomposição dos resíduos por meio da ação de agentes biológicos (fungos, bactérias, insetos, entre outros). O produto final da degradação, assim como as células mortas desses microrganismos, dão origem ao húmus.

Para esse trabalho, a Secretaria do Meio Ambiente utiliza esterco de elefante do Parque Zoológico Municipal “Quinzinho de Barros” e de cavalo da Zoonoses, além de restos de podas de gramíneas e galhos triturados realizados pela Divisão de Manutenção de Paisagismo e Arborização em áreas verdes, praças e canteiros centrais de avenidas.

De acordo com a Sema, a cada três meses é produzido em torno de 200 m³ de compostagem. No Parque “Chico Mendes” e no Horto Florestal o serviço é feito em cinco leiras com 10 metros de comprimento, por 1,8 m de largura e 0,7 m de altura. Já no Jardim Botânico a compostagem é feita numa pilha de 5 metros de largura por 1,5 metro de altura.

O trabalho exige o monitoramento constante da equipe da Sema, que controla a umidade, a temperatura e a oxigenação para o bom desenvolvimento da microbiota (responsável pela decomposição da matéria orgânica), além de uma relação balanceada de carbono e nitrogênio para os microrganismos. Dessa forma, o processo todo dura em média três meses.

Mais informações sobre compostagem podem ser obtidas no manual de orientação do Ministério do Meio Ambiente disponibilizado no link. (Da Redação, com informações da Prefeitura de Sorocaba)

Leia mais  Obras na avenida Dom Aguirre estão suspensas devido às chuvas
Comentários