Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Com repasse suspenso, diretora vende carro para reabrir escola especial em Sorocaba

24 de Julho de 2020

Com repasse suspenso, diretora vende carro para reabrir escola especial A instituição é responsável pelo atendimento de 320 alunos, sendo 173 em convênio com a Secretaria Estadual da Educação (Sedu-SP) -- cujos repasses foram suspensos. Crédito da foto: Fábio Rogério (30/6/2020)

Em um comunicado divulgado quinta-feira (23), a Diretoria Regional de Ensino (DRE) de Sorocaba autorizou o retorno das atividades não presenciais da Escola de Educação Especial Clave de Sol. A instituição é responsável pelo atendimento de 320 alunos com múltiplas deficiências, a maioria com transtorno do espectro autista. Deste total, 173 crianças são atendidas em convênio com a Secretaria Estadual da Educação (Sedu-SP) que há cerca de três meses deixou de realizar os repasses por conta da pandemia do novo coronavírus.

A DRE Sorocaba justificou que a suspensão do subsídio às atividades ocorreu para adequação do contrato de prestação de serviços, em virtude da situação excepcional ocasionada pela pandemia. O órgão estadual afirmou ainda que a liberação do serviço ocorreu de forma total e as aulas não presenciais podem ser retomadas de forma imediata a partir da publicação da autorização no Diário Oficial do Estado de São Paulo.

Seguindo as recomendações de órgãos de saúde, ao longo do período de isolamento social, a entidade estabeleceu as atividades de maneira remota para evitar as aglomerações e a disseminação da Covid-19, o que teria causado a suspensão dos pagamentos mensais por parte da Sedu-SP, uma vez que o contrato previa repasses somente para subsidiar as aulas presenciais.

'Vaquinha on-line'

Conforme divulgou a reportagem do jornal Cruzeiro do Sul, em 24 de junho, por conta da queda na arrecadação os pais e mães de alunos da Clave de Sol chegaram a organizar uma “vaquinha on-line”, como forma de arrecadar dinheiro para manter o atendimento das crianças. A diretora da instituição, Roselaine Bispo de Almeida, conta que chegou a ser procurada por vereadores e deputados estaduais que teriam prometido auxiliar no processo de liberação de verbas; contudo, nenhum auxílio foi concretizado.

Apesar da liberação feita quinta-feira (23) pela DRE Sorocaba, a entidade retomou os serviços prestados ao alunos há quase um mês. Para manter o atendimento, a diretora conta que precisou se desfazer de bens pessoais para conseguir custear aproximadamente R$ 100 mil referentes a folha de pagamento, encargos, cesta básica, vale transporte de funcionários e aluguel. “Eu vendi meus pertences para manter a escola na esperança de tudo se regularizar. Vendi pertences domésticos e, infelizmente, meu carro”, relatou Roselaine.

Investigação

O Ministério Público de São Paulo (MP-SP) recebeu uma denúncia sobre a Diretoria Regional de Ensino de Sorocaba e instaurou um procedimento preparatório de inquérito civil para investigar a interrupção nos repasses de verbas à escola Clave de Sol. Há cerca de um mês, a Subseção Sorocaba da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) protocolou uma representação no MP-SP que a promotoria apurasse possíveis irregulares na manutenção do convênio entre a unidade e a Secretaria Estadual de Ensino.

[irp posts="273919" ]

 

De acordo com o promotor Jorge Alberto de Oliveira Marum, com a abertura do processo de investigações, foram requisitadas informações à DRE sobre o caso. (Wesley Gonsalves)