Sorocaba e Região

CHS irá receber pacientes graves com coronavírus na região de Sorocaba

Área de isolamento será disponibilizada no hospital no primeiro caso que for necessário
CHS aguarda liberação de verbas para o AVCB
O CHS é o complexo hospitalar de referência para 48 cidades da região de Sorocaba. Crédito da foto: Erick Pinheiro / Arquivo JCS

O Conjunto Hospitalar de Sorocaba (CHS), sobretudo o Hospital Regional, foi requisitado pela Secretaria de Estado da Saúde como uma das referências na região de Sorocaba, para o enfrentamento da pandemia do novo coronavírus. A informação é do médico nefrologista e superintendente da Regional Sorocaba do Seconci, gestora do CHS, Paulo Sérgio Quintais. Ele foi o entrevistado no Jornal da Cruzeiro, na Cruzeiro FM 92,3, nesta terça-feira (17). O CHS é o complexo hospitalar de referência para 48 cidades da região.

Segundo o superintendente, já foi tomado uma série de medidas para que o CHS esteja preparado para atender pacientes com quadros mais graves de coronavírus. “Nós já temos desenhado dentro do nosso serviço o fluxo de atendimento de pacientes com diagnóstico confirmado de coronavírus ou com suspeita”, afirma.

Conforme Quintais, o CHS também já tem um plano de contingência desenhado até porque o Hospital Regional, por exemplo, tem um índice de ocupação de 90%. “A nossa Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é continuamente ocupada, então, não existem leitos disponíveis. Por isso, está sendo feito um contingenciamento, por orientação da própria Secretaria de Estado da Saúde, para que o hospital esteja preparado provavelmente para os pacientes que iremos receber que serão aqueles já com quadros graves de coronavírus”, estima o médico.

De acordo com Quintais, diferente do que ocorre, por exemplo, nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da cidade, onde o paciente pode chegar com suspeita de coronavírus, mas um paciente estável e que vai ser orientado ao isolamento domiciliar, no caso do CHS, o complexo hospitalar deverá receber entre 15% a 20% de pacientes mais graves, que irão necessitar de internação hospitalar. “Então, serão pacientes mais graves, e dentro desses pacientes mais graves existirão aqueles que necessitarão de cuidados mais intensivos dentro das nossas unidades de UTI”, aponta.

Por conta disso, o gestor do CHS afirma que todo o fluxo de atendimento para esses casos mais graves, desde a recepção, até as equipes de enfermagem, médicos, entre outros profissionais, houve treinamento, e os pacientes confirmados com coronavírus ficarão isolados em uma área do hospital, que já está desenhada, e que será disponibilizada no primeiro caso que for necessário. “Os pacientes ficarão numa área de enfermaria, isolados, com todos os cuidados e os equipamentos de proteção necessários. E o paciente que necessitar de um cuidado mais intensivo, nós temos dentro da nossa UTI também leitos de isolamento”, afirma Quintais.

Contudo, o superintendente do CHS disse que dependendo do número de casos, há leitos disponíveis de isolamento na UTI, para adultos, totalizando 10 leitos para atender exclusivamente os pacientes com coronavírus.

Quintais disse ainda que novas determinações devem ser adotadas nos próximos dias pelo CHS como cancelamento de cirurgias eletivas de baixo risco, o atendimento ambulatorial também deverá ser restrito, além de mudanças nos agendamentos de retorno de consultas, que poderão ser feitos em breve somente de forma online, e ainda restrição de visitas aos pacientes, para evitar a aglomeração de pessoas dentro do CHS. “Queremos reduzir a circulação de pessoas dentro do hospital. Por isso, a Faculdade de Medicina da PUC suspendeu suas atividades, momentaneamente, com os alunos que ficavam dentro dos hospitais. E estamos também interrompendo estágios de alunos de cursos de enfermagem, entre outras medidas, para reduzir o número de pessoas circulando no CHS.

Comentários