Sorocaba e Região

Casos de violência doméstica em Sorocaba aumentam 15% em 2021

Informação é da titular da Delegacia da Defesa da Mulher (DDM), Veraly de Fátima Bramante Ferraz
Casos de violência doméstica em Sorocaba crescem 15% nos primeiros 60 dias de 2021
De janeiro até 5 de março foram registrados 800 boletins de ocorrência de violência doméstica na cidade. Crédito da foto: uenp.edu.br

Os caso de violência doméstica registrados na Delegacia da Defesa da Mulher de Sorocaba (DDM) tiveram aumento de 15% nos dois primeiros meses de 2021, em relação ao mesmo período do ano passado. A informação é da titular da DDM de Sorocaba, Veraly de Fátima Bramante Ferraz. Os dados foram informados com exclusividade ao Cruzeiro do Sul. A delegada também foi entrevistada pela rádio Cruzeiro FM 92,3 para falar sobre violência doméstica, por conta do Dia Internacional da Mulher.

Segundo dados da DDM de Sorocaba, de janeiro até o dia 5 de março, ou seja, em pouco mais de 60 dias, foram registrados 800 boletins de ocorrência de violência doméstica na cidade. O total, segundo a delegada, representa 15% a mais em relação ao mesmo período de 2020.

A delegada Veraly afirma que as ocorrências deste ano foram registradas na DDM e também em outras unidades policiais e pela delegacia eletrônica. Além disso, a titular da DDM informa que em 2021, até o momento, a Justiça já expediu cerca de 300 medidas protetivas solicitadas pelas mulheres, sendo que 296 foram aceitas.

Leia mais  Projetos pedem isenção de impostos municipais

Para a delegada, os números, em pleno mês das mulheres, por conta da comemoração do Dia Internacional da Mulher, é “uma triste realidade”. “Infelizmente, houve um aumento grande da violência doméstica nesse início de ano. A princípio os números apresentaram queda no início da pandemia, no ano passado, mas depois houve uma certa estabilidade e em seguida esse crescimento”, afirma.

A delegada informa que inicialmente a pandemia contribuiu para diminuir os casos de violência doméstica em Sorocaba, mas, conforme os meses foram passando, e com as pessoas mais tempo em casa e com maior tempo de convivência, as ocorrências começaram a subir.

Rede de atenção

Apesar do aumento dos casos, a titular da DDM de Sorocaba, Veraly de Fátima Bramante Ferraz, afirma que Sorocaba possui uma ampla rede de atendimento e apoio às mulheres vítimas de violência doméstica.

Além da DDM, que funciona 24 horas por dia, a cidade possui o Centro de Referência da Mulher (Cerem), vinculado à Secretaria de Cidadania (Secid) e o Centro de Integração da Mulher (CIM), que é um abrigo para as vítimas que buscam esse apoio.

Leia mais  Sorocaba irá vacinar com segunda dose idosos de 77 anos ou mais nesta quarta-feira (31)

A cidade também possui a Vara da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, no Fórum de Sorocaba, e ainda o aplicativo Protege Mulher. O app, para as mulheres que já estão cadastradas e que possuem medidas protetivas contra o agressor, funciona como uma espécie de proteção para as vítimas. Elas podem acionar o Protege Mulher em situação de potencial ameaça.

Quando o aplicativo é acionado, imediatamente, um aviso com a exata localização da vítima é enviado ao Centro de Operações e Inteligência (COI) da Guarda Civil Municipal (GCM).

A delegada destaca ainda a importância da Lei Maria da Penha, que é reconhecida internacionalmente, e impõe punição adequada para coibir atos de violência doméstica contra a mulher.

Veraly disse ainda que as mulheres também podem usar o telefone e acionar a Polícia Militar, pelo 190, além dos números Disque 100 ou 180. “É fundamental que a mulher faça a denúncia de violência doméstica para que ela possa se libertar de uma vida de agressão e sofrimento. A mulher precisa denunciar para sair desse ciclo de violência, pois nenhuma merece passar por uma situação dessa”, disse a delegada. (Ana Cláudia Martins)

Comentários