Eleições 2020 Sorocaba e Região

Candidatos derrotados têm cautela com novas alianças

Nenhum deles declarou apoio aos que disputarão o segundo turno
Candidatos derrotados têm cautela com novas alianças
Apoios para os que disputam o segundo turno ainda estão indefinidos. Crédito da foto: Vinícius Fonseca (16/7/2020)

O clima ainda é de espera e indefinição entre os candidatos derrotados que concorreram à Prefeitura de Sorocaba e que ficaram de fora do segundo turno. Se por um lado já foi dada a largada para as alianças e compromissos de apoio a cada uma das campanhas — Rodrigo Manga (Republicanos) de um lado e Jaqueline Coutinho (PSL), do outro –, os partidos ainda tratam tudo com muita cautela, embora já haja intensa movimentação nos bastidores.

Dr. Leandro (Democratas), por exemplo, afirmou que estava em reunião com a sua equipe ontem (16) para definir qual posicionamento tomará. Ele teve 4,69% dos votos válidos, ou 13.811 votos.
Maria Lucia (PSDB) não definiu qual caminho tomar. A deputada deverá se posicionar nos próximos dias. A tucana obteve 15,47% do total ou 45.549 votos. O partido não se manifestou até o fechamento desta edição. Em 2016, quando o pleito de Sorocaba foi para o segundo turno, com Raul Marcelo (Psol) e José Crespo (Democratas), a legenda decidiu ficar neutra.

Leia mais  Prefeitura inicia limpeza de área desapropriada para construir viaduto

Professor Flaviano (Avante) também não tem um posicionamento. Ele teve 4% dos votos ou 11.781 votos. Vale lembrar que há uma ação judicial envolvendo o partido e o candidato Rodrigo Manga, cujo tema é abuso de poder econômico e fraude.

Já o candidato derrotado Renan Santos (PDT) afirmou que ainda não foi procurado por nenhum dos dois candidatos que vão ao segundo turno. “Ele ainda vai se reunir com o partido para definir se apoiará alguém”, informou em nota enviada por sua assessoria. Santos ficou com 3,38% do total, ou 9.962 votos.

O Psol, cujo candidato Raul Marcelo obteve 15,87% ou 46.699 votos, informou que não apoiará nenhum dos candidatos. E Carlos Péper (Solidariedade) não divulgou quem apoiará.

Candidatos

Nos dois partidos que estão no segundo turno, nenhum apoio foi anunciado, embora as articulações estejam em curso. Jaqueline Coutinho afirmou que a estratégia para o segundo o turno é a mesma. “Agradeço a confiança de todas as pessoas que acreditam e votaram no nosso projeto. O resultado das urnas é resultado do que fizemos nesse um ano a frente da prefeitura. Nossa estratégia continua sendo a mesma: uma campanha baseada em mostrar para os sorocabanos tudo que foi realizado pela nossa gestão e o impacto de todas as entregas na vida e no dia a dia das pessoas somado aos projetos sólidos e realistas que pretendemos fazer nos próximos 4 anos”, diz.

“Conversas com outros partidos”, segundo a candidata, “serão consequências da aproximação daqueles que tiverem os mesmos ideais de continuidade e construção da Sorocaba que queremos para todos nós, e serão sempre bem-vindas”. “O que posso dizer para os eleitores é: obrigado pela confiança, Obrigado por olhar para Sorocaba e ver que a mudança já começou e por confiar que ainda temos muito a fazer”, conclui.

Leia mais  Sorocaba tem baixa procura por vacina contra poliomielite

Rodrigo Manga repetiu o que tem dito durante entrevistas após ir para os segundo turno. “Vamos seguir na mesma linha de campanha que já vínhamos fazendo e que teve tamanha aceitação e aprovação das pessoas. Ou seja, vamos dar foco às nossas propostas para a cidade, com base nas diretrizes do nosso plano de governo e nas principais necessidades da população”, afirma.

Manga foi cauteloso ao falar de apoios dos partidos derrotados. “Sobre novos apoios políticos, desde que lançamos nossa candidatura e tivemos muita dificuldade em encontrar um partido que acreditasse no nosso projeto, mais tarde, quando o Republicanos abraçou a nossa proposta e os partidos viram nosso crescimento, nos procuraram para estabelecer apoio”, diz. “Isso nos possibilitou nunca ter que fazer acordos para cargos em secretarias, ainda que formamos a maior coligação de todas, o que nos garante total autonomia para ter à frente dessas funções pessoas técnicas, especialistas em suas áreas, para que haja eficiência e competência em todos os setores da administração municipal”, conclui.

Leia mais  Ocupação por Covid continua sob controle, diz diretor clínico

Rodrigo Manga fechou o primeiro turno com 39,42%, ou 116.020 votos, e Jaqueline Coutinho (PSL) obteve 16,63%, com 48.955 votos. (Marcel Scinocca)

Candidatos derrotados têm cautela com novas alianças

Comentários