Sorocaba e Região

Caminhoneiros fazem protesto em Votorantim e Salto de Pirapora

Os trechos não estão interditados e outros veículos de passeio conseguem trafegar sem dificuldades
Caminhões carregados com produtos hospitalares, combustíveis ou alimentos são liberados.. Foto: Marcelo Camargo / Arquivo Agência Brasil

A manifestação dos caminhoneiros, iniciada por volta de meia-noite desta segunda-feira (1º), acontece, na região de Sorocaba, nos acostamentos das rodovias Raimundo Antunes Soares (SP-79), em Votorantim, e na altura do quilômetro 120 da João Leme do Santos (SP-264), em Salto de Pirapora.

Os trechos não estão interditados e outros veículos de passeio conseguem trafegar sem dificuldades. Manifestantes abordam pacificamente os veículos que passam pelo local, para orientar os motoristas a aderirem à paralisação. Caminhões carregados com produtos hospitalares, combustíveis ou alimentos são liberados.

De acordo com o Ministério da Infraestrutura e a Polícia Rodoviária Federal (PRF), todas as rodovias federais, concedidas ou sob gestão do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), se encontram com fluxo livre de veículos, não havendo nenhum ponto de retenção total ou parcial.

Leia mais  Votorantim divulga lista de pessoas entre 85 e 89 anos que serão vacinadas segunda e terça-feira

Reinvindicações

Lideranças dos caminhoneiros autônomos, transportadores de cargas, convocaram motoristas para uma paralisação a partir desta segunda-feira.

Entre outras reivindicações, os caminhoneiros querem redução redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do óleo diesel, o aumento e cumprimento da tabela do piso mínimo do frete, estabelecido em 2018 após a paralisação de 11 dias, modificação da redação do projeto 4199/2020, o BR do Mar, sobre cabotagem, aposentadoria especial para o setor, um marco regulatório do transporte, entre outros pedidos.

Neste domingo (31), um áudio de uma conversa entre o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e uma liderança local de caminhoneiros, circulou em grupos de WhatsApp, no qual o ministro afirma não ter possibilidade de atender alguns dos principais pedidos do segmento.

Tarcísio de Freitas confirmou a autenticidade do áudio e confirmou que a conversa ocorreu no sábado (30), mas disse que se tratava, apenas, de esclarecer o papel do governo em cada demanda, o que é possível fazer e o que não é.

Leia mais  Edital do Integrabike permanece suspenso por mais um mês

O Ministério da Infraestrutura informa, ainda, que boletins sobre o fluxo de veículos serão atualizados periodicamente e “estão baseados em informações do centro de controle da Polícia Rodoviária Federal”. (Da Redação com informações do Estadão Conteúdo)

Comentários