Casa de Papel Sorocaba e Região

Câmara pede o afastamento de outros secretários

Legislativo protocolou ofício solicitando afastamento de Eloy de Oliveira, Hudson Zuliani e servidor da Secult
Câmara pede o afastamento de outros secretários
Comissão vai acompanhar investigação da Casa de Papel. Crédito da foto: Erick Pinheiro

Os vereadores da Câmara de Sorocaba aprovaram na manhã desta terça-feira (9) a criação da Comissão Especial de Acompanhamento da operação Casa de Papel. A iniciativa, aprovada por unanimidade, terá como objetivo acompanhar os desdobramentos da ação conduzida pela Polícia Civil, pelo Ministério Público e Tribunal de Contas.

Logo após a formação da Comissão, um ofício foi protocolado na Prefeitura de Sorocaba com a solicitação de afastamento dos secretários Eloy de Oliveira, de Comunicação e Eventos; Hudson Zuliani, de Licitações e Contratos; e Werinton Kermes, de Cultura e Turismo — o protocolo foi antes da solicitação de exoneração do secretário — e mais um servidor da Secretaria da Cultura.

Leia mais  Secretário da Cultura Werinton Kermes pede exoneração do cargo

 

“É imprescindível esse afastamento para que não haja possibilidade dos envolvidos atrapalharem o andamento das investigações”, explicou Anselmo Neto (PSDB), escolhido presidente da Comissão. Caso o pedido não seja atendido, o afastamento poderá ocorrer de forma judicial. A Comissão pediu também a suspensão dos contratos.

Vale lembrar que Anselmo foi o vereador que não pôde votar na ocasião em que a Câmara cassou o mandato de José Crespo (DEM). Conforme ele próprio, houve recomendação do partido para que ele não assumisse a função.

Desvio de dinheiro

Na segunda-feira (9), a Polícia Civil deflagrou a operação Casa de Papel que investiga desvio de dinheiro na Prefeitura. Os focos foram as secretarias da Cultura e Turismo, da Comunicação e Eventos, da Fazenda e de Licitação e Eventos.

A operação contou também com promotores do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e funcionários do Tribunal de Contas do Estado. Os mandados de busca e apreensão foram cumpridos nas residências dos secretários Eloy de Oliveira (Comunicação e Eventos), Hudson Zuliani (Licitações e Contratos), Werinton Kermes (Cultura e Turismo) e Marcelo Regalado (Fazenda). A lista também incluiu o empresário Felipe Bismara. Os nomes envolvidos na operação são suspeitos de fraudes em licitações, corrupção e peculato.

Cartas na mesa

Anselmo Neto (PSDB), e o relator da comissão, vereador Renan Santos (PCdoB), estiveram na Delegacia Seccional no final da tarde de ontem, onde se encontraram com o delegado Alexandre Cassola. De acordo com Anselmo, o objetivo da visita foi de apresentar os integrantes da comissão à polícia e colocar-se à disposição das investigações.

O delegado disse que a comissão contribuirá sobremaneira para as investigações da operação. Ele, contudo, não pôde entrar em detalhes.

Anselmo Neto informou à noite que a polícia disponibilizou os processos da operação e que, inclusive, já estão disponíveis no Tribunal de Justiça para consulta pública. Falou que os vereadores têm condições de auxiliar com as investigações e que pelo menos um representante da comissão poderá assistir aos depoimentos das pessoas que serão ouvidas dentro de um cronograma que está sendo elaborado pela Polícia Civil. Caso o depoente não queira a presença do vereador durante a manifestação, a polícia passará cópia do depoimento à Comissão Especial de Acompanhamento da operação. (Marcel Scinocca)

Comentários