Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Câmara abre CPI para investigar voluntariado na Prefeitura de Sorocaba

07 de Março de 2019
Marcel Scinocca [email protected]

Câmara aprova nova secretaria e cria cargo com salário de R$ 19 mil Fachada da Câmara de Vereadores de Sorocaba. Crédito da foto: Emidio Marques / Arquivo JCS (24/8/2017)

A Câmara dos Vereadores abriu um procedimento investigatório para aparar supostas irregularidades no corpo de voluntariado da Prefeitura de Sorocaba. O documento com a instauração da investigação, por meio de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), foi protocolado pela vereadora Iara Bernardi (PT), na sessão ordinária desta quinta-feira (7).

O problema estaria relacionado à ex-servidora comissionada da Prefeitura, Tatiane Polis, pivô na crise ocorrida no primeiro ano de governo do prefeito José Crespo (DEM), que culminou em sua cassação, em agosto de 2017, pelo Legislativo.

[irp posts="81265" ]

 

O texto do protocolo fala da necessidade de apurar violação gravíssima ao serviço público municipal, causado por usurpação de função pública”, camuflados por falsos serviços voluntários, resultando em assédios morais, intimidações, tráfico de influência e prejuízo ao erário.

O documento foi apresentado à Mesa Diretora da Casa com sete assinaturas. Havia um entendimento entre os vereadores em apresentar o pedido de investigação somente na semana que vem, mas de última hora ocorreu a apresentação durante a sessão. O documento foi recebido de imediato pelo presidente Fernando Dini (MDB). Conforme o presidente, “a CPI instaurada será acompanhada de perto com a mesma seriedade e imparcialidade de todas as outras que sejam abertas na Câmara Municipal de Sorocaba”.

Assinaram o pedido de investigação, além de Iara Bernardi, Renan Santos (PCdoB), Rodrigo Manga (DEM), Fernanda Garcia (PSOL), Francisco França (PT), Hélio Brasileiro (MDB) e Péricles Régis (MDB). No próximo dia 12, em reunião com os membros da comissão, serão definidos quem fará a relatoria dos trabalhos, bem como quem os presidirá.

A Prefeitura informou no início da noite desta quinta (7) que vai aguardar a comunicação oficial a respeito da decisão da Câmara, mas adianta que o processo de voluntariado envolvendo Tatiane Polis está dentro dos padrões da legislação.

Tatiane responde

O advogado de Tatiane Polis, Márcio Leme, encaminhou no início da noite o posicionamento sobre a sua cliente sobre o caso, conforme segue.

“O tema foi provocado por revanchismo político, vez que o governo José Crespo alcançou importantes realizações que incomodaram pretensos candidatos às eleições municipais que se avizinham. A Tatiane está à disposição para prestar todo e qualquer esclarecimento acerca das atividades de governo que participou, seja como munícipe, seja como voluntária. A Tatiane refuta as alegações levianas de que teria indicados em cargos de confiança e, sobretudo, que receberia 'mensalinho', inclusive promoverá ações judiciais por calúnia e pelos danos morais que está suportando.

A Tatiane, na condição de voluntária, atuou junto a associações de bairro e munícipes para desenvolver trabalhos sociais. Irá avaliar se valerá a pena continuar empenhando esforços voluntários em favor das comunidades, diante da perseguição política que novamente está sofrendo por rivais políticos do Prefeito José Crespo, cujos rivais objetivam impedir o desenvolvimento da cidade. Por fim, lamenta que leviandades dessa natureza ainda repercutam numa cidade da importância de Sorocaba.”  (Marcel Scinocca)