Buscar no Cruzeiro

Buscar

Acervo

Autor de atropelamento se apresenta à Polícia

17 de Julho de 2018

O autor do atropelamento ocorrido sexta-feira (13) na rua José Joaquim Lacerda, na Vila Gabriel, em Sorocaba, se apresentou nesta terça-feira (17) à Polícia Civil. Na ocasião, o veículo atingiu três pessoas e a estudante Luana Yumi Miyamaru Vieira, de 15 anos, morreu no local.

Durante o depoimento no 1º Distrito Policial, o motorista de 23 anos assumiu que estava conduzindo o veículo no momento do acidente, contrariando o que havia alegado anteriormente sobre o furto do automóvel. Ele prestou depoimento acompanhado de um advogado.

Na oitiva, o jovem disse que havia saído de uma festa no Parque das Águas com amigos e o atropelamento ocorreu após ele deixar sua namorada em sua residência. Ele estava sozinho no veículo no momento do fato e alegou que não percebeu que havia atropelado pessoas.

Saiba mais:

13/7/2018 - Polícia procura motorista causador de atropelamento

Após deixar o local onde a adolescente morreu, ele foi para casa, onde mora sozinho. Na sequência, ligou para o pai, um ex-policial militar, e afirmou que seu veículo havia sido furtado. Então, ele é o pai saíram em busca do veículo e um boletim de ocorrência chegou a ser registrado. Eles localizaram o automóvel e, com a chegada da Polícia Militar, foram informados de que o carro estava envolvido em um acidente com vítima.

Apesar do depoimento, a Polícia Civil dependerá de alguns fatores para definir se o rapaz responderá por homicídio de trânsito doloso ou culposo. "Preciso do conjunto de provas técnicas", diz o delegado Régis Campos Vieira. Entre as provas técnicas, a Polícia Civil aguarda o laudo sobre a velocidade do veículo e a conclusão do exame de sangue para saber se ele estava dirigindo sob efeito de álcool.

Régis Campos, delegado do 1º DP - EMIDIO MARQUESRégis Campos, delegado do 1º DP - EMIDIO MARQUES

Ainda segundo o delegado, como o jovem alegou primeiramente que o veículo havia sido furtado, todas as possibilidades nesse sentido precisavam ser esgotadas. O delegado também afirmou que o rapaz não tem antecedentes criminais. O motorista do carro não deu declarações à impresa. "Ele não vai falar por uma questão de preservar sua imagem", alegou o advogado Murilo Cortez.

Murilo Cortez, advogado do rapaz que provocou o acidente, acompanhou o depoimento  - EMIDIO MARQUESMurilo Cortez, advogado do rapaz que provocou o acidente, acompanhou o depoimento - EMIDIO MARQUES