Sorocaba e Região

Aumento de casos de dengue preocupa a RMS

Tatuí, distante 64 km de Sorocaba, soma 570 casos neste ano. Sorocaba confirma 13 ocorrências
Aumento de casos de dengue preocupa a RMS
Outra atividade de bloqueio é a aplicação de veneno, conhecida como nebulização, que visa diminuir a infestação de mosquitos adultos. Crédito da foto: Emidio Marques / Arquivo JCS (7/2/2020)

Casos de dengue já preocupam as cidades da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS). Até o momento, a situação mais preocupante é em Tatuí, onde até o último dia 8 foram confirmados 570 casos, sendo 4 importados e 566 autóctones. Em Sorocaba, em 2021, a Prefeitura informa que foram confirmados 13 casos.

A situação de Tatuí preocupa as cidades mais próximas porque o município já registrou casos de um tipo do vírus da dengue (Den-1), que é de maior transmissibilidade. Por conta disso, a Prefeitura de Sorocaba pede que à população sorocabana colabore, diante da existência de tipo de vírus da dengue (Den-1) com maior transmissibilidade na cidade de Tatuí. O município está a cerca de 64 km de Sorocaba.

A Secretaria da Saúde (SES) de Sorocaba reforça a importância da colaboração da população no combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e de outras doenças. Apesar da baixa contaminação em Sorocaba até o momento, o médico e secretário da Saúde, Vinicius Rodrigues, destaca que o trabalho diário da Zoonoses no extermínio desse vetor precisa também da colaboração dos munícipes. “Estamos trabalhando diariamente no combate ao mosquito, mas, sem o apoio da população, podemos ter o risco do aumento da contaminação na cidade. Tatuí, por exemplo, já registrou 570 casos de dengue neste ano e o vírus que circula por lá tem maior transmissibilidade”, destaca o secretário.

Em Sorocaba, a SES informa que uma das principais atividades de prevenção e controle das arboviroses (dengue, chikungunya, zika e febre amarela) é o bloqueio de casos positivos, ou suspeitos, em que as equipes de agentes da Divisão de Zoonoses realizam visitas nos imóveis ao redor.

Essas visitas têm o objetivo de bloquear a transmissão da doença por meio da redução da infestação do vetor, remoção e/ou tratamento de possíveis criadouros, orientação da população sobre sinais e sintomas das doenças e formas de prevenção e, ainda, buscar identificar novos casos das doenças.

Leia mais  Detran isentará vans escolares da taxa de vistoria semestral

Outra ação complementar à atividade de bloqueio é a aplicação de veneno, conhecida como “nebulização”. Esse trabalho visa diminuir a infestação de mosquitos adultos possivelmente infectados. A aplicação de veneno só pode ser realizada quando há constatação de um caso positivo ou suspeito de arboviroses na região delimitada, ou seja, não pode ser realizada de forma rotineira. O uso do veneno deve ser feito com critério técnico, para se evitar danos ao meio ambiente e resistência do Aedes aegypti ao princípio ativo.

Para a prevenção e controle do vetor Aedes aegypti, ainda existe o programa “casa a casa”, que consiste na visitação dos imóveis com o intuito de reduzir a infestação do vetor pela remoção e/ou tratamento de possíveis criadouros, conscientização e orientação da população. Essas são visitas de rotina.

Sorocaba apresentou índice de 4,4% de densidade larvária, que indica sinal de risco para infestação do mosquito Aedes aegypti na cidade. Por isso, é tão importante que todos os cuidados preventivos sejam tomados por todos.

Tatuí faz ação no Jd. Santa Rita de Cássia

Segundo a Prefeitura de Tatuí, 2021 já é considerado o ano com mais casos de dengue registrados no município. Anteriormente, o maior número da doença havia sido em 2015, com 1.361 casos confirmados. E, para efeito de comparação, nos 12 meses do ano passado (2020) foram registrados 1.138 casos, sendo 30 importados e 314 autóctones.

Leia mais  Operação contra aglomerações autua 229 veículos e fecha três estabelecimentos

O bairro Jardim Santa Rita de Cássia é o local onde estão confirmados mais de 50% dos casos de dengue deste ano. Por isso, neste fim de semana, equipes de Combate à Dengue da Secretaria Municipal de Saúde voltaram ao bairro para um trabalho de orientação e limpeza. Novamente, como forma de combate ao mosquito Aedes aegypti, serão retirados entulhos das casas e desfeitos locais de possível proliferação. No último fim de semana, as equipes percorreram 32 quarteirões do bairro fazendo esse trabalho.

A Vigilância Epidemiológica de Tatuí informa que 78 casos de dengue estão aguardando o resultado dos testes e 183, das 831 notificações, foram descartadas. A cidade conta com uma Unidade de Atendimento à Dengue, nas dependências da Santa Casa de Misericórdia.

Desde o início dos atendimentos neste local, no último dia 3, 202 pessoas receberam atendimento médico e 429 passaram por consulta com a equipe de enfermagem, resultando em 284 testes realizados. Desse total, 197 foram casos positivos de dengue, 87 casos negativos, 7 hemogramas feitos, 73 atendimentos na farmácia e 30 soroterapias. Esses números são relativos somente a esta unidade, sem contar os casos confirmados da doença em outras unidades de saúde públicas e particulares de Tatuí.

Iperó em alerta

Iperó registrou apenas um caso importado em 2021, mas os moradores devem intensificar os cuidados. O alerta é da Prefeitura, por conta dos casos de dengue em toda a região de Sorocaba. A atual época do ano é o período em que há aumento de números de casos da doença.

Leia mais  Morre motociclista que se envolveu em acidente na Raposo Tavares

O coordenador de Combate a Endemias, Zelino Khalil de Queiroz, afirma que os números da RMS estão preocupantes. “Estamos apreensivos, já que em nossa região os números de casos têm aumentado. Nossa população deve estar atenta aos cuidados”, orienta.

A Secretaria de Saúde de Iperó informa que está atenta a possíveis novos casos e que os agentes de controle de endemias intensificaram as ações de rotina diante da situação de alerta. “Mas, precisamos também que as pessoas façam a parte delas para que não tenhamos surtos da doença”. (Ana Cláudia Martins)

Comentários