Sorocaba e Região

Aumenta incidência de casos de dengue em Sorocaba

Casos aumentaram 31,45% nos últimos 10 dias na cidade, passando de 426 para 560
O mosquito Aedes aegypti é o transmissor da dengue. Crédito da foto: Luis Robayo/ AFP

atualização de casos de Síndrome Respiratório Aguda Grave (SRAG). De acordo com a SES, as regiões dos bairros Maria Eugênia e Jardim Vergueiro apresentaram aumento do número de casos na última semana.

Leia mais  Aumento nos casos deixa Sorocaba em alerta para epidemia de dengue

 

Até o momento, Sorocaba registrou 560 casos confirmados de dengue (481 autóctones, 61 importados e 18 indeterminados), 35 de chikungunya (31 autóctones e 4 importados) e um caso importado de febre amarela, infectado na cidade de Cajati. Nenhum caso de zika foi registrado. Não há óbitos na cidade por conta dessas doenças.

De acordo com a SES, os casos estão mais concentrados na área norte de Sorocaba, em especial na região do bairro Nova Sorocaba. A SES informa ainda que denúncias de criadouros do Aedes aegypti devem ser feitas por meio do canal 156 ou pelo site da Prefeitura: http://www.sorocaba.sp.gov.br/atendimento/#/Home/Solicitacao ou ainda em uma das Casas do Cidadão. Também é possível registrar a ocorrência pelo WhatsApp da Ouvidoria Geral do Município através do número (15) 99129-2426, das 8h às 17h. Em seguida, uma equipe técnica vai ao local e faz a inspeção da área para tomar as devidas providências.

Devido ao momento epidêmico, a SES realizou no sábado (27) o 2º Dia D, intensificando ações de rotina das equipes de zoonoses em parceria com equipes das 32 Unidades Básicas de Saúde (UBSs), no combate ao Aedes aegypti. Foram realizadas visitas em 11.202 imóveis de todas as áreas da cidade, sendo feito vistoria e orientação. Também foram removidos 1.710 quilos de potenciais criadouros do mosquito nos bairros Parque São Bento e Nova Sorocaba.

No início do mês passado, a Vigilância Epidemiológica emitiu alerta aos centros de saúde devido a possibilidade do município entrar em período epidêmico de dengue nas próximas semanas. De acordo com o Boletim Epidemiológico, de 1º de abril, o momento era considerado como pré-epidêmico, com risco moderado para período epidêmico.

Casos de SRAG

No ano de 2019, dentre os notificados moradores de Sorocaba, foram confirmados apenas dois casos de SRAG por Influenza, sendo um Flu A (H3) e outro Flu B, sem nenhuma confirmação de óbito até o momento.

Em Votorantim

Conforme o índice da Avaliação de Densidade Larvária (ADL) realizado no mês de abril, que resultou em 3,87, houve redução em relação ao anterior, de janeiro, no qual a cidade obteve 5,39 — considerado como risco de epidemia. De acordo com a Secretaria da Saúde, até o momento foram 834 notificações, sendo 118 casos confirmados; desses, 4 são importados (adquiridos em outros municípios).

De acordo com o Departamento de Vigilância em Saúde, mesmo com a queda no índice, ainda há grande quantidade de criadouros nos imóveis e por isso as pessoas devem se empenhar cada vez mais. O Ministério da Saúde preconiza que, se a ADL estiver entre 1 e 3,9, isso já coloca o município em situação de alerta e, superior a 4,0, com risco de epidemia.

Conforme explica o secretário da Saúde, Junior Silveira, a ADL complementa as ações que já são desenvolvidas como a visita de porta em porta e o trabalho de pesquisa de pontos estratégicos, com a pulverização de inseticida quando necessário. Durante o período de coleta de larvas os agentes percorreram mais de 600 imóveis de 118 quarteirões da cidade. (Ana Cláudia Martins, com informações da Secom Sorocaba e Secom Votorantim)

Comentários