Sorocaba e Região

Área exclusiva para motocicletas é inaugurada em Sorocaba

Sorocaba passou a contar desde está quinta-feira (5) com a primeira área exclusiva para motociclistas da cidade, que foi implantada no cruzamento entre a avenida Dom Aguirre e a rua Padre Madureira. Uma cerimônia ao lado da sede do Corpo de Bombeiros marcou a inauguração do Projeto Frente Segura, que contou com a presença do prefeito José Crespo e do presidente da Urbes, Luiz Carlos Franchim, além de representantes do sindicato e da associação dos motoboys de Sorocaba e região, que aprovaram a medida e disseram que era reivindicação antiga da categoria.

Segundo a Urbes, a área exclusiva para os motociclistas consiste em sinalização de solo horizontal, inicialmente de três metros de largura, entre a faixa de pedestre e os demais veículos parados no semáforo. A sinalização é branca e possui a figura de motocicletas pintadas no solo dentro da área. Em caráter experimental e com objetivo de reduzir o número de acidentes de trânsito na cidade, outros cinco cruzamentos devem receber as áreas exclusivas dentro de 30 dias: a avenida Afonso Vergueiro com a rua Amazonas, Armando Pannunzio com a Santa Cruz, Santa Cruz com a Luiz Mendes de Almeida, a Comendador Oetterer com a Mascarenhas Camelo, e a Edward Fru Fru com a Atanázio Soares. De acordo com a Urbes, todos os cruzamentos da avenida Dom Aguirre também deverão receber as áreas exclusivas. A empresa afirma que os locais foram escolhidos em função do volume considerável de motocicletas e bicicletas que passam nessas vias.

Leia mais  Público avalia novos ônibus da City no transporte público de Sorocaba

A área dá prioridade aos motociclistas e aos ciclistas na abertura do sinal de trânsito, permitindo que eles possam partir antes dos outros veículos quando o semáforo abrir, evitando ultrapassagens arriscadas. Com isso, o pedestre terá maior visibilidade junto às faixas de travessia, diminuindo o número de acidentes envolvendo motos, ciclistas e pedestres. “Esta é mais uma ação da Urbes voltada aos elementos mais vulneráveis na mobilidade urbana, visando diminuir o número de acidentes e, principalmente, o número de mortes no trânsito na cidade de Sorocaba”, disse o presidente da Urbes, Luiz Carlos Franchim.

Categoria quer expansão de espaços

Embora os representantes do sindicato e da associação dos Motoboys de Sorocaba e região tenham aprovado a área exclusiva, visto que a medida era uma reivindicação deles, o tamanho inicial, de três metros de largura, e a quantidade de cruzamentos que irão receber os locais, não são suficientes para uma cidade do tamanho de Sorocaba, e com uma frota de motos de cerca de 70 mil e mais de 5 mil motoboys, segundo dados da própria categoria.

Leia mais  Sorocaba gerou 2.585 empregos em fevereiro

Para o representante do sindicato, Gledson Orlando, 35 anos, a área exclusiva é importante e irá ajudar a reduzir acidentes de trânsito. Porém, para ele, é necessário que a medida seja ampliada para outras áreas da cidade e não somente em seis cruzamentos e na avenida Dom Aguirre. Orlando também acredita que o tamanho da área, de cinco metros de largura, é o ideal, e não só três metros, como foi feito no cruzamento da Dom Aguirre com a Padre Madureira.

O prefeito José Crespo (DEM) disse que a primeira fase do projeto foi dimensionada assim, mas que ele já é uma política de governo e que em função disso deverá ser ampliado. “Vai sendo ampliado conforme a necessidade. Tudo tem um custo, então, é necessário analisar o benefício com o custo.”

Sobre a largura da área exclusiva, o presidente da Urbes disse que ao local inicialmente foi planejado com três metros de largura, mas que a Urbes já sentiu a necessidade de ampliar para cinco metros, como é feito na cidade de São Paulo.

Trânsito mata 17 pessoas de janeiro a abril

Leia mais  Operação Paz e Proteção guincha 34 veículos e prende 5 pessoas

Segundo dados da Urbes, de janeiro a abril de 2018, Sorocaba registrou 426 acidentes de trânsito com vítimas, totalizando 17 mortes. Do total de mortes no trânsito no período, oito eram motociclistas, cinco pedestres, três passageiros de veículos, dois ciclistas e um garupeiro.
Já em 2017, de janeiro a abril, foram 594 acidentes com vítimas, sendo 11 mortes. No ano todo, foram 30 mortos. Destes, 13 eram pedestres, nove motociclistas, três garupeiros, dois passageiros de veículos, dois ciclistas e um motorista.

Comentários