Sorocaba e Região

Apreensões de contrabando somam R$ 24 milhões na região de Sorocaba

Receita Federal informa que valor foi puxado pelos cigarros e é 88% maior do que 2017
Cigarros corresponderam a R$ 20 milhões do total de mercadorias apreendidas. Foto: Aldo V. Silva / Arquivo JCS

A Receita Federal registrou a apreensão de R$ 24,14 milhões em mercadorias na região de Sorocaba ao longo de 2018. O número representa aumento de 88,59% na comparação com 2017, quando o total apreendido chegou a R$ 12,80 milhões. O crescimento na apreensão de cigarros puxou o aumento registrado pelo órgão. Neste ano foram 5,96 milhões de maços de cigarros, ante 2,85 milhões em 2017. Em termos de valores, as apreensões deste tipo de produto em 2018 representam R$ 20,63 milhões e, em 2017, R$ 8,19 milhões.

De acordo com os dados fornecidos pela Receita Federal em Sorocaba, os “campeões” de apreensão neste ano são: cigarros, veículos, artigos de vestuário, relógios, óculos, cosméticos, produtos eletrônicos e de informática e brinquedos. Durante os trabalhos foram recolhidos 36 veículos que transportavam mercadorias irregulares, e que são estimados em R$ 1,75 milhões.

Além dos cigarros e veículos, foram apreendidas 27 unidades de bebidas, cujo valor é de mais de R$ 2 mil; 977 brinquedos, que totalizavam R$ 24 mil; 13.183 produtos eletrônicos e de informática estimados em R$ 821 mil; sete medicamentos que representam mais de R$ 2 mil; 47.849 peças de vestuários ou artigos de uso pessoal que totalizavam R$ 876 mil; além de 1.032 unidades de produtos diversos avaliados em R$ 34 mil. O montante apreendido chega a mais de 6 milhões de unidades de produtos.

Variações

Na comparação com 2017, embora o total apreendido seja maior, ocorreu queda em relação às apreensões de mercadorias diversas e de veículos. O primeiro grupo passou de um montante de R$ 2,10 milhões para R$ 1,76 milhões. Uma redução de 16,19%. Em termos de unidades: de 112 mil para 63 mil. Já os veículos, foram de 41 (R$ 2,5 milhões) unidades para 36 (R$ 1,75 milhões). A redução, em valores, é de 30%.

Essas mercadorias irregulares são enviadas para depósitos regionais localizados nas cidades de São Paulo, Araraquara, Bauru, Santos e Taubaté onde são armazenadas até que ocorra a destinação. De acordo com a Receita Federal, os cigarros e as mercadorias contrafeitas (falsificadas ou pirateadas) são destruídas. Já os demais bens podem ser leiloados, doados ou incorporados por órgãos públicos.

Comentários

CLASSICRUZEIRO