Sorocaba e Região

Rebelião em Porto Feliz: 281 detentos já foram recapturados

Segundo os dados mais recentes, 594 fugiram do Centro de Progressão Penitenciária (CPP) de Porto Feliz
Suspensão de saidinhas motivou fuga de presídios paulistas, diz governo
Policiais entram no CPP de Porto Feliz. Crédito da foto: Fábio Rogério (16/3/2020)

*Atualizada às 15h26

A Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) do Estado de São Paulo informou que 281 detentos já foram recapturados após uma rebelião em Porto Feliz. Segundo a pasta, na noite de segunda-feira (17), 594 fugiram do Centro de Progressão Penitenciária (CPP).

Os dados foram atualizados às 13h30 desta terça-feira (17). A SAP informa que a situação já foi controlada nos Centros de Progressão Penitenciária de Mongaguá, Tremembé e Porto Feliz, além da ala de semiaberto da Penitenciária I de Mirandópolis.

Segundo a SAP, nos quatro locais, houve evasão de presos e ato de insubordinação devido à suspensão da saída temporária, que ocorreria nesta terça-feira (17). Todas as unidades abrigam apenas presos em regime semiaberto, aquele que tem a possibilidade de sair para trabalhar ou estudar durante o dia e retornar, e que por lei tem direito a cinco saídas temporárias por ano.

Contagem

O Grupo de Intervenção Rápida controlou a situação nos presídios de forma imediata. Até às 13h30 desta terça-feira (17), 573 presos foram recapturados pela Polícia Militar com apoio de agentes de segurança penitenciária. A SAP realiza a contagem para determinar o número exato de fugitivos.

Leia mais  Casos confirmados de coronavírus em São Paulo aumentam fora da Capital

 

De acordo com a SAP, a suspensão da saída temporária foi necessária, pois o benefício contemplaria mais de 34 mil sentenciados do regime semiaberto. Esse grupo, retornando ao cárcere, teria elevado potencial para instalar e propagar o coronavírus em uma população vulnerável, gerando riscos à saúde de servidores e de custodiados. (Da Redação)

Comentários