Sorocaba e Região

Apesar da pandemia, Dia Nacional de Coleta de Alimentos arrecada R$ 100 mil

Do valor total, Sorocaba recebeu mais de R$ 3.900
José Antônio Colombo organiza a coleta há 13 anos. Crédito da foto: Emidio Marques (23/10/2012)

“Diante das necessidades, o que move o seu coração?.” Esse foi o mote de reflexão da campanha do Dia Nacional de Coleta de Alimentos, que há 15 anos ajuda milhares de famílias. A ação humanitária se reorganizou e não passou em branco durante a pandemia. A coleta, que sempre foi realizada de forma presencial, com voluntários pedindo doações de alimentos nas saídas de supermercados, este ano foi de forma virtual. Ainda assim, através de duas lives musicais nos dias 10 de outubro e 7 de novembro, o País totalizou R$ 105.497,20 arrecadados para serem convertidos em alimentos.

Participaram da coleta 40 cidades. Cada município recebeu, do valor total, a porcentagem de participação do ano anterior. Portanto, Sorocaba, que arrecadou 3,72% dos alimentos na escala nacional em 2019, recebeu R$ 3.927,28, neste ano. De acordo com o coordenador da campanha de Sorocaba, José Antonio Colombo, a cidade irá converter o valor em feijão, leite e óleo, e destinados à entidades. “Esses alimentos serão entregues ao Banco de Alimentos de Sorocaba e à Creche São Vicente de Paulo de Votorantim”, relatou ele.

Leia mais  Invasões de áreas públicas e privadas aumentam em Sorocaba

 Doação ao Amapá

A virtualização da arrecadação também abriu espaço para novas mudanças e objetivos. Por conta da crise de desabastecimento no Amapá, gerada pela falta de energia elétrica, foi proposta a doação de 10% do valor de cada município. Sorocaba foi uma das cidades que aceitou o desafio e destinou R$ 392,73 às cidades amapaenses. Com a doação das cidades participantes, dois municípios do estado, Santana e Macapá, receberão R$ 9.899,61, que serão convertidos em alimentos. Conforme o coordenador, “a alma da coleta são os voluntários”. Colombo está há 13 anos auxiliando o projeto. (Kally Momesso, programa de estágio. Supervisão: Adalberto Vieira)

Comentários