Sorocaba e Região

Alunos de Sorocaba participam de competição da USP

Competição é voltada aos estudantes do ensino médio da rede pública do Estado
Alunos de Sorocaba participam de competição
Julia e Fernando da escola estadual do bairro Barcelona. Crédito da foto: Emidio Marques

Cerca de 30 mil alunos da rede estadual de Sorocaba participam neste mês da Competição USP de Conhecimentos (Cuco). A iniciativa é voltada aos estudantes do ensino médio da rede pública do Estado de São Paulo para incentivar o ingresso nos cursos de graduação da Universidade de São Paulo (USP) e auxiliar a melhorar o desempenho nas disciplinas que compõem o conteúdo programático dos processos seletivos de acesso ao ensino superior. Diminuir essa distância que separa os estudantes do ensino público da universidade persiste como um desafio para as comunidades escolares e o poder público.

Leia mais  Mais de 1,5 milhão de estudantes participam da Olimpíada de Matemática

 

Na escola estadual Francisco Eufrásio Monteiro, no Barcelona, zona leste de Sorocaba, até o último dia 23, 81 alunos estavam inscritos para participar do Cuco, cujas provas on-line da primeira fase ocorrem até hoje. A escola ofereceu os laboratórios de informática para que os alunos participassem do desafio, mas alguns optaram por realizar o teste em casa. Eles relataram que alguns conteúdos presentes na prova ainda não foram abordados em sala de aula — conforme o currículo seguido no Estado — e a percepção foi de uma avaliação exigente.

Fernando Augusto de Andrade, de 17 anos, estudante do 3º ano e Julia Fernandes dos Santos, 15 anos, do 2º ano, aproveitaram a prova para testar seus conhecimentos, uma vez que têm como objetivo ingressar na universidade. Para Julia, seu melhor desempenho foi em biologia. “Gosto mais (de biologia), então é mais fácil para mim”, diz a adolescente, que gostaria de cursar medicina ou biologia. Eles contam que seriam os primeiros com graduação superior em suas famílias e que recebem o estímulo em casa para isso. “Minha mãe me apoia”, conta Fernando, que pretende cursar biologia na USP.

Os estudantes da unidade dispõem da disciplina de “preparação acadêmica”, que busca contribuir para a formação dos alunos visando a um possível futuro acadêmico e ao ingresso no mercado de trabalho. Para alcançar esse objetivo, a comunidade escolar precisa lidar com questões sociais e culturais que permeiam a realidade dos alunos.

Alunos de Sorocaba participam de competição
Andréia, Michelle e Cláudia: incentivo ao ensino superior. Crédito da foto: Emidio Marques

A professora Andréia Alves da Costa explica que para alguns estudantes a geração de renda é uma necessidade mais urgente do que a continuação dos estudos. “Alguns vão logo para o mercado de trabalho para colaborar com a família”, relata. Outra questão seria o contexto familiar. “Há a família que valoriza e a família que não valoriza (o ensino superior), às vezes simplesmente por ignorar o que isso pode refletir a longo prazo na vida do filho”, diz.

A coordenadora geral da escola, Michelle Aparecida Rodrigues, diz que são trabalhadas com os alunos avaliações semelhantes às de processos seletivos, inclusive com provas bimestrais. Na unidade, os alunos estudam das 7h10 às 16h15, tendo acesso à base comum e disciplinas diversificadas — sendo que os esforços estariam fazendo a diferença. “A gente percebe que desde 2016, quando escola se tornou integral, o ingresso no ensino superior aumentou muito”, avalia.

Para as professoras, iniciativas como o Cuco são importantes para que os estudantes possam autoavaliar os conhecimentos que precisam reforçar e, além disso, se sintam mais próximos do ambiente universitário. “Eles vêm de uma condição financeira e social que os fragiliza na sua autoestima”, conta a professora Cláudia Henriqueta Virgili da Costa. Ela explica que o papel dos professores é mostrar que eles possuem a capacidade para ingressar no ensino superior.

Cuco

A primeira fase do Cuco é on-line com 18 testes de múltipla escolha sobre conhecimentos gerais, ciências, matemática e língua portuguesa. Os que tiverem o melhor desempenho nessa etapa avançam para a segunda fase, que é presencial, e inclui 45 testes. A prova é na escola onde o aluno está matriculado. Os estudantes concorrem apenas com estudantes de sua própria escola e é premiado o melhor aluno de cada ano do ensino médio de cada escola.

Os participantes com melhor desempenho recebem benefícios, como certificados da USP e visitas à universidade, concorrem a bolsas de pré-iniciação científica, bolsas Santander e vagas de estágio, entre outros. Os que estiverem no 3º ano do ensino médio recebem isenção da taxa do vestibular da Fuvest. Os professores e as escolas mais participativas também recebem incentivos. A divulgação dos aprovados para a segunda fase será em 14 maio e divulgação do resultado final para 18 de junho. (Priscila Fernandes)

Comentários