Buscar no Cruzeiro

Buscar

'Alívio e gratidão', diz mulher resgatada de carro ilhado em alagamento

11 de Fevereiro de 2021 às 10:49
Jomar Bellini [email protected]

Tempestade deixou motorista ilhada da Afonso Vergueiro. Crédito da foto: Reprodução

Alívio e gratidão. É com essas palavras que a operadora de produção Renata Kelly de Lima Fragoso da Silva, de 35 anos, define os sentimentos após ser resgatada por guardas civis municipais de um alagamento durante o temporal que atingiu Sorocaba na tarde desta quarta-feira (10).

O veículo em que ela estava junto com o marido Wellington Martins da Silva, também de 35, ficou ilhado com a enchente na Avenida Afonso Vergueiro, região central da cidade. Renata tem mobilidade reduzida há três anos e estava indo para uma consulta de rotina.

"Vários carros estavam passando. Meu esposo achou que daria, mas bem nesse momento a água começou a subir muito rápido. Segundo os guardas, um bueiro entupiu. Quando eu vi, o carro já tinha desligado, tudo estava boiando e eu não sabia o que fazer. Tive crise de ansiedade e choro", conta.

https://www.youtube.com/watch?v=6ZQrwLiXZPE&feature=emb_title

Uma viatura da Ronda Ostensiva Municipal (Romu) da Guarda Civil Municipal que estava estacionada prontamente ajudou no resgate. Os GCMs Albuquerque, Andrade e Medeiros foram até o carro e conseguiram resgatar a operadora de produção.

A cena foi registrada pela leitora Aline Campos, que enviou o vídeo para o jornal Cruzeiro do Sul. Nas imagens dá para ver a altura que a água chegou. Por conta da enxurrada, os guardas precisam fazer força para abrir a porta e carregar Renata até uma área segura.

"Foi por Deus que eles estavam ali. Eu tenho só 1,55 m de altura, então a água estava muito alta. Não conseguia abrir a porta. Não sei o que faria se não fossem eles naquele momento. O guarda foi super atencioso e falava comigo para acalmar. Os três não pensaram duas vezes antes de me ajudar. É uma gratidão que eu vou ter por eles eternamente", diz.

Renata e o esposo Wellington tiraram foto com os GCMs Albuquerque, Andrade e Medeiros após o resgate. Crédito da Foto: Arquivo pessoal

Um dia após o resgate, Renata ainda está assustada com a situação e não sabe exatamente as perdas que teve com o incidente. "Nós conseguimos retirar os documentos pessoais do carro. Estamos esperando o veículo secar para avaliar o que precisará ser feito. Para mim, carro não é luxo, mas sim o meu meio de locomoção para conseguir fazer todos os meus tratamentos de saúde", afirma.

Segundo a Defesa Civil, a Avenida Afonso Vergueiro ficou alagada por cerca de 30 minutos nos trecho próximos as ruas Professor Toledo, Miranda Azevedo e em frente ao terminal Santo Antônio (ponto onde ocorreu o resgate de Renata). A avenida Barão de Tatuí, também registrou alagamento. Em outro ponto da cidade, na Rua Marechal Castelo Branco, Jardim Sandra, a água entrou em alguns imóveis.

O índice pluviométrico durante o temporal mediu em Aparecidinha: 47.0 mm, Aterro/Retiro São João: 0.0 mm, Brigadeiro Tobias: 18.0 mm, ETA Cerrado: 33.0 mm, ETA Éden: 28.0 mm, Julio&Julio: 7.0 mm, Pq. São Bento: 1.0 mm e Paço Municipal: 0.0 mm. E o nível do Rio Sorocaba atingiu máxima de 1.10m. Nesta quinta-feira (11), a prefeitura informou que os guardas envolvidos na ação receberão homenagens. (Jomar Bellini)