Covid-19 Sorocaba e Região

Álcool em gel não para nas prateleiras de farmácias e supermercados

Os principais problemas relatados pelos consumidores são a variação de preços e o aumento abusivo dos valores
Álcool em gel não para nas prateleiras
Quando os estabelecimentos recebem álcool em gel e máscaras, o estoque se esgota rapidamente. Crédito da foto: Vinícius Fonseca (20/3/2020)

A dificuldade para conseguir comprar álcool em gel e máscaras, por conta do coronavírus, continua a preocupar os sorocabanos. Os principais problemas relatados pelos consumidores são a variação de preços e o aumento abusivo dos valores, além da falta dos produtos nas farmácias e supermercados.

Em uma rede de farmácias da cidade, por exemplo, uma atendente informou que o movimento está intenso nas lojas, com clientes em busca dos produtos. Segundo ela, alguns chegam a ficar no local aguardando a chegada do caminhão com a mercadoria. Quando isso acontece, o novo estoque já está praticamente todo vendido.

Nesta sexta-feira (20), um texto compartilhado por aplicativo de celular, em nome do diretor-presidente da Santa Casa de Misericórdia de Sorocaba, padre Flávio Jorge Miguel Júnior, também criticou grupos de empresários que são fornecedores de remédios e insumos hospitalares.

Leia mais  Cruzeirão e Varzeano são paralisados devido ao coronavírus em Sorocaba

No texto, o diretor-presidente exemplifica o que ele chama de “valores abusivos” para alguns produtos como: máscara cirúrgica, que passou de R$ 0,10 para R$ 5, um aumento de 5.000%; máscara N95 de R$ 1,54 para R$ 38, um aumento de 2.467%; avental de R$ 0,97 para R$ 1,49, aumento de 53%; touca de R$ 0,05 para R$ 0,10, aumento de 100%; luvas de R$ 20 para R$ 24, aumento de 20%. Não foi informado se os valores são por unidade ou relativo a quais quantidades.

A Santa Casa confirmou que o texto é realmente de autoria do padre Flávio Miguel. Esta semana, o hospital foi alvo de furto de álcool em gel. De acordo com a Santa Casa, 30 litros foram levados no período de dois dias.

O Procon Sorocaba orienta o consumidor que, ao perceber preço abusivo aplicado por parte de determinado fornecedor ou comércio, denuncie a situação por seus canais de atendimento: no site do Procon; aplicativo Procon Sorocaba (que pode ser baixado gratuitamente no sistema Android e iOS) e telefone 151 (exclusivo para denúncias).

Leia mais  Hospital de campanha em Sorocaba deve ser entregue até o fim de abril

Preço de custo

Os supermercados de todo o Estado deverão vender álcool em gel pelo preço de custo, ou seja, sem margem de lucro, a partir de segunda-feira, dia 23, conforme divulgou o governador João Doria em entrevista coletiva ocorrida na quinta-feira (19). Segundo o governador, isso ficou acertado em um encontro promovido com a Associação Paulista de Supermercados (Apas).

A Apas informou ao Cruzeiro do Sul, nesta sexta-feira (20), que “cientes de que a população tem necessidade primordial do álcool em gel, para combate ao coronavírus, os supermercados, por uma atitude de cidadania e adesão dos associados da Apas, vão oferecer o produto, com o objetivo de higienização das mãos, pelo preço de custo” a partir de segunda-feira.

Segundo o presidente da Apas, Ronaldo dos Santos, “trata-se de uma ação voluntária para a qual o setor supermercadista irá se organizar buscando oferecer o produto e ajudar a resolver esta importante demanda do consumidor”, disse.

Leia mais  Doria pede a líderes de igrejas que façam cultos e encontros virtualmente

A Apas disse ainda que a ação dependerá da adesão dos supermercados associados que, em sua maioria, já se mostraram favoráveis à medida. “O setor solicitou também ao governador, a isenção do ICMS para diminuir ainda mais o preço do produto e ampliar a oferta.” (Ana Cláudia Martins)

Comentários