Sorocaba e Região

Advogado Latuf Latuf morre aos 97 anos

Formado pela Fadi, Latuf Latuf atuava na área trabalhista e, por mais de 40 anos, teve inúmeros trabalhos importantes
O corpo de Latuf foi sepultado nesta terça-feira (28). Crédito da foto: Arquivo Pessoal

Faleceu nesta terça-feira (28) a advogado Latuf Latuf, de 97 anos. A morte ocorreu em virtude da idade e de complicações da diabetes. Viúvo desde 2015, ele deixa três filhos — Alexandre e Ruy, empresários, e Sérgio, médico cardiologista, três netos e dois bisnetos. Formado pela Faculdade de Direito de Sorocaba (Fadi), Latuf Latuf atuava na área trabalhista. Por mais de 40 anos ele teve inúmeros trabalhos importantes na cidade e na região, incluindo consultorias para diversas empresas.

Latuf Latuf, o quarto de 10 irmãos, nasceu em Santos, no litoral paulista. Ainda criança, com aproximadamente quatro anos, mudou-se para Sorocaba. Seus pais eram de origem árabe. A mãe, Agize Reze Latuf, era libanesa, já o pai, Issa Latuf, nasceu na Síria. O advogado perdeu o pai prematuramente. Com a situação, ele e os irmãos Jorge, Armando e Elias assumiram e deram continuidade aos negócios da pai. Eram duas lojas no Centro de Sorocaba, sendo as tradicionais Casa Santista e a Casa dos Três Irmãos.

Leia mais  Comitê ‘econômico’ da pandemia será extinto em Sorocaba

Conforme seu filho Alexandre Latuf, que é presidente do Conselho Superior da Fundação Cultural Cruzeiro do Sul e membro do Conselho da Fundação Ubaldino do Amaral (FUA), as duas lojas, que vendiam tecidos e roupas feitas, estiveram ativas até o final dos anos 1960 e início dos anos 1970. Foi perto desse período que Latuf Latuf formou-se em Direito, estimulado pelo amigo Elias Stefan. “Era um sonho antigo do meu pai, mas que teve de ser adiado pela perda prematura do pai dele e a atividade no comércio”, conta o filho Alexandre.

Pai carinhoso

Alexandre Latuf descreve o pai como sendo muito carinhoso e que cultivava a família e seus valores. “O grande amor dele sempre foi sua família, de que ele sempre teve muito orgulho. Era um pai exigente, mas muito carinhoso”, conta Alexandre.

Em sua história, ligações com a Guarda Mirim de Sorocaba e com o grupo Equipes de Nossa Senhora. Ele também participou de várias atividades sociais em Sorocaba, sendo um dos mais antigos rotarianos.

Leia mais  Vítima soterrada em desmoronamento é resgatada em Sorocaba

“Vivemos momentos imensamente felizes. Ele foi nosso esteio e, junto à minha mãe, simbolizava o amor”, garante. “Foi um grande marido, um profissional dedicadíssimo, um pai e um avô que simboliza um grande exemplo para nós”, termina.

Amizades

Fufa, como era conhecido, tinha muitos amigos, entre eles o presidente do Hospital Oftalmológico de Sorocaba (BOS), Pascoal Martinez Munhoz. “Foi uma amizade muito forte”, disse Pascoal ao lembrar do amigo. “Um homem muito religioso, muito apegado à fé”, acrescenta.

Pascoal se recorda de muitos momentos com Latuf, entre eles o incansável trabalho em prol da Santa Casa de Sorocaba, junto ao Walter Leme Santos, provedor, em especial na década de 1970. Eles participaram de um processo de restruturação da instituição. Participou de vários Cursilhos da Cristandade e foi membro atuante de Encontro de Casais com Cristo e das Equipes de Nossa Senhora também estão nas lembranças de Pascoal.

“Nesse momento de muito dor, torço para que ele descanse em paz, junto à dona Nádia Latuf, que ele amava tanto. É uma grande perda para todos. Deixou grandes e bons exemplos”, termina. (Marcel Scinocca)

Comentários