Sorocaba e Região

17 Unidades Básicas de Saúde oferecem grupos de caminhada

Com participantes que têm entre 42 e 83 anos, cada grupo tem, em média, 40 participantes
17 Unidades Básicas de Saúde oferecem grupos de caminhada
Grupos também recebem orientações sobre vida saudável. Crédito da foto: Divulgação

Dezessete Unidades Básicas de Saúde (UBSs) oferecem grupos de caminhada voltados para melhorar a qualidade de vida dos praticantes. Com participantes que têm entre 42 e 83 anos, cada grupo tem, em média, 40 participantes que recebem orientações de profissionais da saúde. A caminhada ajuda no combate à depressão e ao sedentarismo.

O grupo de caminhada é um projeto que tem o objetivo de valorizar e estimular a prática de atividades físicas e proporcionar o acompanhamento através de profissionais das áreas de farmácia, terapia ocupacional, psicologia, serviço social, educação física, nutrição, fisioterapia e fonoaudiólogo.

Cada unidade tem sua própria dinâmica, dias de funcionamento e a forma de lidar com o desenvolvimento de cada pessoa. No Bairro Sorocaba I, por exemplo, são realizadas as caminhadas de segunda-feira e sexta-feira das 7h às 8h, e nas quartas-feiras são desenvolvidas práticas corporais e orientações de hábitos saudáveis. Após o grupo, todos são convidados para participarem e contribuírem para a horta de fitoterápicos e hortaliças que são cultivados na unidade.

Segundo a aposentada de 61 anos, Marlene Baptista dos Santos, que frequenta o grupo há mais de 5 anos, destaca que o grupo de caminhada é algo fortalecedor para todos. “O grupo de caminhada é um estímulo para a minha saúde, bem-estar físico e mental. Ajuda na recuperação das minhas energias, controla minha pressão arterial e principalmente a autoestima”, comenta Marlene.

Outra participante do grupo, a aposentada Eulinda Ribeiro Guimarães, de 54 anos, frisa que além de cuidar do corpo e mente, ajuda a melhorar a interação e socialização com diversas pessoas. “Estou no grupo há 3 anos, e está sendo muito bom para mim, pois tinha muitas dores nas pernas e hoje em dia estou bem melhor.” (Da Redação com Secom Sorocaba)

Comentários