fbpx
Agenda Metropolitana Sem categoria

Piedade espera milhares de turistas para o Colha & Pague do Kaki Fuyu

Festa anual no bairro Sarapuí de Cima é opção de lazer em contato com a natureza e muita comida para a família inteira

Marinaldo Cruz Filho

Colha & Pague do Kaki Fuyu
Colher as frutas no pomar é o principal atrativo do Colha & Pague do Kaki Fuyu (REPRODUÇÃO)

Março está chegando e anunciando uma nova safra de caqui. Em Piedade, esse é o cenário ideal para a repetição do Colha & Pague do Kaki Fuyu, um evento diferenciado que anualmente atrai milhares de visitantes de todas as regiões de São Paulo e até de outros estados. É a 13ª vez que a família Sakaguti abre as porteiras do seu sítio, localizado no bairro Sarapuí de Cima, para oferecer um dia de lazer em contato com a natureza e recheado de quitutes deliciosos, incluindo, é claro, toneladas de frutas esperando para serem colhidas. Tudo isso em meio a um típico pomar japonês com mais de mil caquizeiros cultivados pelo método orgânico.

Neste ano, a festa começa um pouco mais cedo, em 23 de março, por conta do clima verificado nas últimas semanas. Além de antecipar a maturação dos caquis, o calor e a umidade acima da média tendem a deixar as frutas mais doces e tenras. A expectativa é de que a produção do Sítio Sakaguti atinja cerca de 50 toneladas em dois meses. A visitação acontece em todos os sábados, domingos e feriados, até 21 de abril.

Colha & Pague do Kaki Fuyu
Evento oferece atividades e contato com a natureza para a família inteira (REPRODUÇÃO)

Experiência única

O Colha & Pague do Kaki Fuyu – kaki com dois ks, à moda nissei, como fazem questão os organizadores –, já aparece com destaque no calendário do turismo rural paulista. Os motivos sãos as diversas exclusividades da festa piedadense, especialmente o conceito do colha e pague, que permite aos visitantes a experiência única de passear pelo pomar, apanhar os frutos que preferir e degustar quantos quiser ali mesmo, sem pagar nada por isso.

Apesar da repercussão positiva do Colha & Pague, a família Sakaguti está sempre em busca de novidades para tornar a festa cada vez mais atraente ao público. Entre as atrações anunciadas para este ano, estão feira de artesanato, exposição de cactos e suculentas, jardim cultivado com cosmos – o popular beijo de moça – de várias cores, museu típico, apresentações musicais e uma praça de alimentação preparada para agradar a todos os gostos.

Leia mais  Inscrições para cursos profissionalizantes gratuitos terminam neste domingo (8)

Uma parte importante da festa é dedicada ao estímulo ao consumo do caqui. Por conta disso, novas e surpreendentes receitas preparadas com a fruta surgem a cada edição do Colha & Pague. Já são dezenas de opções de doces e salgados, que vão desde sorvetes, sucos e bolos, a tortas, pastéis, molhos, cremes, pavês, vinagres, cachaças, e, até, vinhos. Outras opções são os pratos típicos das cozinhas caipira e japonesa, não faltando yakissoba, temakis, sushi e sashimi, entre outros.

Colha & Pague do Kaki Fuyu
Jardim cultivado com bejijos de moça de todas as cores é uma das atrações (REPRODUÇÃO)

Recorde de público

Márcio Sakaguti, proprietário do sítio e um dos organizadores do evento, explica que, nos primeiros anos do Colha & Pague, a maioria dos frequentadores era formada por famílias de origem japonesa. “Eram, principalmente, moradoras de municípios do ABC e de bairros da Capital Paulista, como Liberdade, Saúde, Vila Mariana, Cursino e Jabaquara”, cita o agricultor. O exotismo do evento, no entanto, vem se encarregando de conquistar cada vez mais brasileiros.

“Hoje, recebemos pessoas de toda a região de Sorocaba, de várias partes de São Paulo e até mesmo de outros estados e países”, revela Márcio, lembrando que a festa já aparece com destaque no calendário do turismo rural brasileiro. Para este ano, a expectativa é de que, pelo menos, 12 mil pessoas visitem o sítio durante os cinco finais de semana do evento.

Leia mais  Adolescente é atropelada ao sair da escola em rodovia de Piedade
Colha & Pague do Kaki Fuyu
Praça de alimentação oferece dezenas de quitutes à base de caqui e comida japonesa (REPRODUÇÃO)

Delicioso e saudável

Muito parecido com o tomate no quesito aparência, o caqui tem um sabor doce e suave. Ainda não é muito popular nas mesas brasileiras, mas está ganhando destaque por conta de suas propriedades. Originário do Japão, de onde imigrantes trouxeram as primeiras mudas há cerca de 70 anos, a fruta se adaptou bem às regiões brasileiras de clima ameno.

O Município de Piedade, na Região Metropolitana de Sorocaba, é um dos maiores produtores do país, especialmente da variedade fuyu. Essa espécie é mais crocante que as demais e não possui tanino, substância que deixa o caqui “amarrento”.

Maduro, o caqui é fonte de nutrientes como fibras, proteínas, vitaminas A, B, C e K, cálcio, magnésio, manganês, fósforo e potássio. Cada 100 g da fruta possui 70 calorias, 18,6 g de carboidratos, 0,6 g de proteínas, 3,6 g de fibras e 0,2 g de gorduras.

De acordo com estudos científicos, o consumo habitual de caqui ajuda na redução de peso, protege a saúde dos olhos, auxilia na digestão, combate aos radicais livres, atenua os fenômenos naturais do envelhecimento, reforça o sistema imunológico, colabora com o controle da pressão arterial e possui efeito diurético, ou seja, que estimula a urina, sem provocar a perda de potássio, algo que pode ocorrer com o uso de alguns medicamentos diuréticos.

Mesmo com todos esses benefícios, deve-se evitar consumir caqui com o estômago vazio ou sem a retirada do tanino. Quanto à última recomendação, o consumidor pode ficar tranquilo, pois toda produção só sai das propriedades rurais após passar pelo processo que deixa as frutas saudáveis.

Colha & Pague do Kaki Fuyu
Colha & Pague também tem shows, feira de artesanato e museu (REPRODUÇÃO)

Fruta orgânica

Grande parte do pomar de caquis dos Sakaguti é da variedade fuyu. Elas foram formadas a partir de mudas trazidas do Japão há mais de meio século. Porém, o sítio também cultiva outras espécies. “Nossa maior produção é de fuyu, que é uma fruta normalmente doce e crocante, mas se a pessoa prefere caqui macio, como taubaté ou coração de boi, nós também temos muitos pés à disposição”, explica Mário.

Leia mais  Day e Lara fazem show inédito em São Roque neste sábado (7)

A diversidade de espécies de frutas enche os olhos dos visitantes, mas o principal diferencial do Sítio Sakaguti é o sistema de cultivo orgânico. “Aqui não entram agrotóxicos nem adubos químicos. Tratamos as nossas plantas hoje da mesma maneira que os nossos ancestrais faziam há séculos, no Japão: com consciência e respeito à natureza e às pessoas”, detalha Fumiko, esposa de Márcio e parceira no Colha & Pague, orgulhosa pelo respeito às tradições.

Como chegar

O Sítio Sakaguti está localizado no bairro Sarapuí de Cima, na zona rural de Piedade. O acesso é pela SP-79 (Rodovia Padre Guilherme Hoover). No quilômetro 123 (Bairro dos Pintos), o visitante deve seguir pela Estrada Municipal da Vila Élvio. A visitação acontece aos sábados, domingos e feriados, das 9h às 17h. O local

do evento fica a 45 quilômetros de Sorocaba, 85 quilômetros de Itu e cerca de 115 quilômetros de Itapetininga.
O ingresso custa R$ 10,00, sem limite de consumo de frutas colhidas pelo visitante. Crianças de até oito anos têm acesso gratuito. Quem quiser levar a fruta para casa paga apenas R$ 7,00 o quilo.

Mais informações e agendamento para grupos podem ser feitos pelos telefones (15) 3244-2973 e (15) 99774-5128 e na pagina do Colha & Pague no Facebook.

Comentários