Sem categoria

Água de várias fontes

Hoje a cidade praticamente depende da água que chega da represa pelas adutoras

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba (Saae) está trabalhando há alguns anos na implantação de uma Estação de Tratamento de Água no bairro Vitória Régia que vai captar o líquido diretamente do rio Sorocaba.

Essa ETA, estrategicamente localizada na zona norte da cidade, a região que assistiu a um acelerado crescimento nos últimos anos e hoje é a mais populosa da cidade, irá atender inicialmente os bairros próximos, mas no futuro deverá ampliar seu raio de ação.

Também será interligada com as demais fontes de abastecimento da cidade, podendo operar em conjunto com os sistemas das ETAs do Cerrado e do Éden. A construção está em fase final e a previsão é de que o tratamento da água retirada do rio comece no mês de julho.

A direção do Saae está convencida que a nova ETA será uma solução definitiva para a cidade enfrentar períodos de estiagem como o registrado no final do ano passado, ou mesmo para atender emergencialmente a cidade em caso de problemas com as adutoras que trazem água de Itupararanga, um problema que ocorreu algumas vezes e submeteu a cidade a um sério racionamento de água.

A nova estação será totalmente automatizada e inicialmente terá capacidade para tratar 750 litros de água por segundo. Numa segunda etapa, a capacidade de tratamento poderá ser ampliada para 1.500 litros por segundo. Para a construção da nova unidade de tratamento o Saae está investindo R$ 78 milhões. Parte desses recursos é do programa Saneamento para Todos do governo federal, com contrapartida da própria autarquia. É um investimento grande, mas o aproveitamento da água do rio jamais poderia ocorrer se a cidade não tivesse investido, anos atrás, na despoluição do rio.

Leia mais  Pelo segundo dia seguido, vacina contra a gripe acaba em Sorocaba

Quando entrar em funcionamento, a nova ETA poderá atender até 33% da população e na segunda fase, quando sua capacidade de tratamento dobrar, deverá atingir 66% dos sorocabanos. O Saae já tem autorização do Departamento de Água e Energia Elétrica do Estado (Daee) para retirar 750 litros de água por segundo do rio, 24 horas por dia, 30 dias por mês. E mantém a autorização de retirar do sistema Clemente/Itupararanga 1.950 litros por segundo, água que é chega à ETA do Cerrado por meio de adutoras para tratamento e é responsável pelo abastecimento de mais de 80% da população.

O investimento em novas fontes de abastecimento de água para o município é muito importante. Hoje a cidade praticamente depende da água que chega da represa pelas adutoras, depois de transpor uma distância de 15 quilômetros e atravessar muitas áreas de risco na serra de São Francisco, onde já ocorreram deslizamentos de terra que afetaram o abastecimento de água na cidade. Também atravessa vários bairros, onde as adutoras também podem ser afetadas por algum acidente.

Leia mais  Grupo protesta contra cobrança de estacionamento na Ceagesp em Sorocaba

Não é seguro a cidade depender de praticamente uma única fonte de abastecimento. Mas mesmo com a nova estação de tratamento trabalhando em sua capacidade máxima, daqui a alguns anos, não é aconselhável descartar o abastecimento direto da represa de Itupararanga. O Saae hoje trabalha na recuperação da quarta adutora, trocando praticamente todas as tubulações e mudando o seu trajeto. É importante que esse trabalho seja concluído e as demais adutoras permaneçam em perfeito estado, uma forma de garantir o abastecimento da cidade em qualquer situação.

A autarquia também precisa continuar a trabalhar para evitar perdas de água tratada. Há algum tempo, fontes da própria autarquia informavam que as perdas de água em Sorocaba estavam muito próximas da média brasileira, que fica entre 35% e 40% da água distribuída. Há aproximadamente cinco anos a autarquia trabalha para reduzir esse índice, instalando inclusive macromedidores e confrontando os números obtidos com os dos hidrômetros de cerca de 230 mil ligações de água existentes na cidade. O Saae agora informa que o volume de água tratada perdida no sistema de distribuição é de 20,3%, uma evolução considerável. Mesmo assim é muita água jogada fora por conta de vazamentos ou outros problemas da rede.

Leia mais  Estudo demorado

Água doce é um bem precioso e Sorocaba tem fontes alternativas do líquido para seu abastecimento. Mas antes de tudo é preciso manter sua qualidade. É necessário, por exemplo, investir urgentemente na preservação da qualidade da água da represa, para que não aumente seu nível de contaminação. E como começará a usar água captada direto do rio, manter sempre atualizado o serviço de tratamento de esgoto e efluentes, para manter o sistema confiável e sadio.

Comentários