Buscar no Cruzeiro

Buscar

Rotary Internacional: 116 anos servindo a comunidade

21 de Fevereiro de 2021 às 00:01
Manuel Garcia [email protected]
Manuel Garcia [email protected]

Rotary Internacional: 116 anos servindo a comunidade Os quatro primeiros rotarianos: Gustavus Loehr, Silvester Schiele, Hiram Shorey e Paul Harris. Crédito da foto: Divulgação

No dia 23 de fevereiro de 1905, Paul P. Harris, Gustavus Loehr, Silvester Schiele e Hiram E. Shorey se reuniram no escritório de Loehr, em Chicago (EUA), para uma ocasião que ficaria conhecida como a primeira reunião de Rotary Club. O desejo de Harris de promover o companheirismo entre profissionais uniu esses quatro homens e levou à criação de uma organização internacional de serviços humanitários. Mas, afinal de contas, o que realmente é o Rotary Club e o que faz?

Um Rotary Club é um clube de profissionais que congrega líderes das comunidades em que vivem ou atuam, fomentando um alto padrão de ética e ajudando a estabelecer a paz e a boa vontade no mundo. Eles prestam serviços voluntários não remunerados em favor da sociedade como um todo ou, em casos específicos, de pessoas necessitadas, assim como entidades que atuam também em favor de desamparados. Em linhas gerais, são simplesmente voluntários que se reúnem para desenvolver projetos à comunidade.

O Rotary International, ou simplesmente Rotary, é a maior ONG do mundo, e se identifica sempre por uma marca/logotipo, que é uma roda dentada. É membro permanente das Nações Unidas (ONU) -- mais de 40% das pessoas envolvidas na fundação desta importante organização, em 10/12/1948, eram rotarianos. Rotary não é entidade beneficente, não faz caridade e nem distribui dinheiro. Por intermédio de seus associados, os “rotarianos”, são feitos projetos que servem para beneficiar um evento, pessoas carentes, entidades, países, calamidades, etc. Os projetos em sua maioria devem ser auto-sustentáveis.

Mundialmente, o Rotary é formado por distritos, que são formados por clubes. Cada clube é uma célula autônoma do organismo mundial, mas respeitando a hierarquia e as normas básicas emanadas da direção geral, que é comandada por um presidente mundial. Cada distrito é administrado por um governador e cada clube é dirigido por um Conselho Diretor, comandado por um presidente. Todos estes cargos são exercidos sempre por um ano, o que garante ampla democracia e permanente renovação. O período de gestão é o ano rotário, que começa sempre em 1º de julho e vai até 30 de junho do ano seguinte. Todos os cargos são honoríficos, portanto, não remunerados.

Fundação Rotária

A Fundação Rotária é uma entidade sem fins lucrativos que recebe contribuições e distribui fundos para apoiar programas humanitários e educacionais a serem desenvolvidos pelos Rotary Clubs e pelos distritos rotários. A missão da Fundação Rotária é capacitar os rotarianos para que eles possam promover a boa vontade, a paz e a compreensão mundial por meio de projetos voltados às áreas de saúde, educação e combate à fome. Cada dólar contribuído à Fundação Rotária ajuda a financiar seus programas humanitários, educacionais e culturais, além dos custos operacionais. Clubes e distritos candidatam-se e recebem subsídios para executar projetos em todo o mundo.

As contribuições recebidas pela Fundação Rotária são creditadas em três fundos: Fundo Anual para Programas, que financia os programas da fundação; Fundo Permanente, que recebe apenas parte dos rendimentos empregados para garantir a viabilidade dos programas da entidade em longo prazo; e Fundo Polio Plus, que reúne recursos para as iniciativas voltadas à erradicação mundial da poliomielite.

Intercâmbio de jovens

O Intercâmbio de Jovens do Rotary ou Programa de Intercâmbio de Jovens (PIJ) é um dos principais projetos do Rotary International. Desde a década de 20, o Rotary International tem mandado jovens mundo afora para experimentar novas culturas. Todos os anos, milhares de estudantes do ensino médio são patrocinados por Rotary Clubs no mundo todo.

No início, o Intercâmbio de Jovens envolvia apenas alguns clubes. O primeiro intercâmbio dentro da história rotária foi organizado em 1927, com o Rotary Club de Nice, na França. Com o início da Segunda Guerra Mundial, os intercâmbios europeus cessaram mas foram reiniciados após essa conflagração. Dez anos mais tarde, este projeto chegava até a América, mais precisamente aos Estados Unidos.

Intercâmbios entre clubes da Califórnia e países latino-americanos foram iniciados em 1939, e estenderam-se ao leste dos Estados Unidos em 1958. Em 1972, o Rotary International resolveu sugerir e encorajar todos os Rotary Clubs do mundo a patrocinar o Intercâmbio de Jovens do Rotary como importante atividade internacional. Atualmente, mais de 100 países estão envolvidos no Programa de Intercâmbio do Rotary International, que conta com a participação de, aproximadamente, 9000 jovens todos os anos.

Com mais de 32.000 clubes em todo o mundo, o Rotary International conta com uma imensa rede de voluntários prontos para servir dentro ou fora de suas comunidades, patrocinando um dos maiores programas de intercâmbio de jovens do mundo. No Brasil, a procura pelos serviços do Rotary é intensa. Em 2001, por exemplo, o número de intercambistas envolvidos bateu o recorde, com a marca de 1.023 jovens, o que representou 55% dos intercambistas da América Latina.

Dentro do sistema do Rotary International, existem três tipos de intercambistas: os inbounds, aqueles que estão em um país anfitrião; outbounds, que são os estudantes patrocinados que saem de seu país de origem para morar em outro; e os rebounds, que é o estudante que retorna ao país de origem, após o intercâmbio.

O programa de longa duração é aquele no qual o intercambista entre 15 e 19 anos cursa um ano letivo no exterior e mora na casa de uma ou até quatro famílias, sendo três o número mais comum. No programa de curta duração o intercambista passa as férias no exterior -- geralmente não envolvem experiência acadêmica e a duração é de, em média, dois meses. O programa jovem destaque é voltado para os que não conseguem pagar o programa, mas se destacam em sua comunidade; nesse caso são patrocinados financeiramente por um Rotary Club.

Tendo em vista que o intercâmbio de jovens do Rotary é muito procurado, o processo seletivo teve de ser posto em prática. Ele pode variar de distrito para distrito ou de país para país.

No Brasil

Em 1916, Richard Momsen, advogado norte-americano, atuou como cônsul-geral dos Estados Unidos no Rio de Janeiro e participou de uma das reuniões semanais do Rotary Club de Chicago. Herbert Percival Coates, um inglês residente em Montevidéu, no Uruguai, também esteve presente à reunião, assim como Ches Perry, que atuou como organizador e secretário da Associação Internacional de Rotary Clubs -- hoje, Rotary International. Momsen e Coates ficaram tão entusiasmados com o que viram e pelo que lhes foi dito por Perry que iniciaram os trabalhos de organização do primeiro Rotary Club da América do Sul.

Em julho de 1918, era fundado o Rotary Club de Montevidéu. Em 1922, as comemorações dos 100 anos de Independência do Brasil, bem como suas fortes repercussões, serviram de incentivo para a fundação do Rotary Club do Rio de Janeiro. Herbert Coates, então secretário geral do Rotary Club de Montevidéu e também membro do Comitê para Expansão do Rotary, além da Associação de Rotary Clubs, veio ao Rio e conseguiu despertar o interesse de 16 indivíduos -- a maioria, brasileiros --, que fundaram o primeiro Rotary Club do Brasil, em 15 de dezembro de 1922.

Contudo, a oficialização da admissão do Rotary Club do Rio de Janeiro no Rotary International somente foi registrada em 28 de fevereiro de 1923, que passou a ser a data de aniversário da organização no Brasil. A história do Rotary Club carioca é bastante rica. O plantio da semente do Rotary em todo o Brasil resultou, em 1924, na fundação do Rotary Club de São Paulo e, subsequentemente, nas dos Rotary Clubs de Santos (1927), Belo Horizonte (1927), Juiz de Fora (1928) e Niterói (1928).

Foi também por meio da iniciativa de um grupo de dedicados sócios do Rotary Club do Rio de Janeiro que o informativo Notícias Rotárias (fundado em 1924) teve seu nome mudado para Rotário Brasileiro, passando, depois, a chamar-se definitivamente Brasil Rotário. A publicação visa à difusão do ideal de servir, sendo a revista regional oficial do Rotary International para os rotarianos do Brasil.

A semente plantada em 1923 pelo Rotary do Rio germinou e deu frutos: hoje, são 31 distritos no Brasil, com mais de 2.413 unidades rotárias e 51.265 mil rotarianos. No mundo rotário, o Brasil encontra-se em terceiro lugar em número de clubes e em quinto quanto aos sócios. Duas convenções internacionais já foram realizadas no Brasil: em 1948, no Rio de Janeiro, com 7.511 participantes; e em 1981, em São Paulo, com 15.222 pessoas. Três ilustres rotarianos brasileiros já ocuparam a presidência do Rotary International: Armando Pereira (1940-41), Ernesto de Mello (1975-76) e Paulo da Costa (1990-91), todos falecidos.

Em Sorocaba

Em nossa cidade, o primeiro clube foi instalado em 29 de novembro de 1939. O Rotary Club Sorocaba (Sorocabão) foi o responsável pela expansão da entidade na região. Nomes como Bento Mascarenhas, Arthur Cyrillo Freire, Augusto César do Nascimento Filho, Belarmino Moraes Arruda, Bráulio Guedes da Silva, Diogo Moreira Sales, Eduardo Munhoz, Floriano Pacheco, Gustavo Scarpa, Humberto Notari, Irse Mencacci, José Cortez, José Reginato, José Stillitano, Júlio Bierrembach de Lima, Nilton Vieira de Souza, Orlando da Silva Freitas, Paschoal Ranieri Mazzili, Raphael de Cunto, Roberto Caldas Kerr, Virginio Montezzo Filho e Welwick Tabacow foram os primeiros rotarianos de nossa cidade.

O Rotary Club de Sorocaba ajudou a fundar 11 clubes na cidade e na região: em São Roque, Porto Feliz, Itapeva, Sorocaba Leste, Sorocaba Norte, Sorocaba Sul, Sorocaba Manchester, Piedade, Araçoiaba da Serra, Iperó e Piedade Cerejeiras.

O mais velho

Rotary Internacional: 116 anos servindo a comunidade Simeão José Sobral faz parte do Rotary Club há 74 anos. Crédito da foto: Divulgação

Nascido em São Paulo no dia 29 de novembro de 1916, Simeão José Sobral foi um dos associados fundadores do Rotary Club de Tatuí, em 29 de agosto de 1947, e é um rotariano ainda em plena atividade. Se mudou ainda pequeno para Tatuí, cidade de sua família e casou-se em 1946 com a professora Rosa Palumbo Sobral, com quem viveu por quase 50 anos -- quando ela faleceu. É pai de Romilda Maria Sobral e Álvaro Sobral. Em 2002, depois de seis meses viúvo, reencontrou Maria Elisabeth Amadei Vieira de Camargo, a Bete, com quem convive até os dias de hoje.

Uma personalidade marcante da “Cidade Ternura”, Simeão cursou o primário em Tatuí no Grupo Escolar João Florêncio e o secundário no Liceu Coração de Jesus, em São Paulo. Posteriormente, pela paixão à matemática, cursou a Faculdade de Engenharia, mas não chegou a concluir. Se formou no curso de direito da Faculdade do Largo de São Francisco.

Em 1945, Simeão passou a trabalhar em Tatuí, onde atuou até 1997 nas áreas cível, criminal e trabalhista. Exerceu a advocacia durante 52 anos e completou seu centenário de nascimento como membro ativo da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Simeão se recorda com carinho quando começou no Rotary. “Entrei no Rotary por influência do promotor público de Tatuí, Dr. Francisco Penteado. O Rotary é um clube de serviços, para fazer o bem, o que muito me cativou a ser um rotariano. O Rotary representa aquilo que sempre mantive em meu pensamento: fazer o bem. O estreitamento de amizades também é muito bom. Vamos criando um círculo de amizades com pessoas que têm o mesmo pensamento e a mesma intenção. Já fui presidente por três vezes. Também fui secretário e presidente de diversas comissões. No âmbito distrital, já fui governador assistente.”

Com 104 anos bem vividos e excelente memória, o rotariano mais antigo do distrito se recorda com carinho dos projetos desenvolvidos. “No começo do Rotary, o companheiro Sílvio Azevedo confeccionou 1.500 brinquedos, entre caminhõezinhos e salta-bonecos, para doar às crianças mais necessitadas. No dia seguinte à distribuição, a cidade estava tomada por crianças aproveitando seus novos brinquedos. Isso foi por volta de 1949. Existe também outro projeto de que gosto muito, chama-se ‘Melhor Companheiro’. Este teve início em 1953 e até hoje é realizado anualmente nas escolas da cidade. Funciona da seguinte forma: os rotarianos vão até as salas de quinto ano das escolas e orientam os alunos a escolher um colega que se destaque por ser educado, estudioso, respeitoso e que ame sua escola. Assim, todos os escolhidos ganham uma homenagem em uma reunião do clube. Nesta reunião, os alunos vencedores, seus familiares e professores participam do jantar e recebem certificado e medalha”, se recorda o rotariano, que não pensa em parar de frequentar as reuniões nunca.

Você sabia que...

...o Rotary tem cadeira permanente na ONU?

O Rotary é membro permanente da Organização das Nações Unidas. Na fundação desta importante organização, em 10/12/1948, mais de 40% das pessoas envolvidas na sua fundação, eram rotarianos. A ONU, como é conhecida, é uma entidade internacional de caráter político, uma assembleia internacional de países, e só tem três membros que não são países, mas que, pela sua importância, têm assento naquela assembleia: a Cruz Vermelha, o Vaticano e o Rotary.