Presença

Presença: Dia do Professor!

Presença: Dia do Professor!
Os professores: Adriana Innocencio de Oliveira, Alessandra Regina Bufolo Maciel Farias, Andréa Gentile, Andréa Moreira Marinho Santos Oréfice, Andréa Sanches Yokoyama Bergamo, Arthur Augusto Paes de Moraes, Bruna Rodrigues Mota, Cláudia Lúcia Lopes Aguiar de Souza, Cláudio Júlio César Pinheiro, Danilo de Morais, Edrei Henrique Lourenço, Erica Franqueira Nascimento Della Terra, Erik Romano Fernandes, Francine Fernanda M.G. Buturi, Francismeiry Cristina de Almeida Alves, Gerson Aparecido Gomes, Ilce Karin da Silva Santos, Jean Carlo Silva Miranda, João Batista Alvarenga, Joelma da Silva Santucci, Joelmir Mora da Silva, Juliana Góes de Moura, Katia Vega, Laura Sartorello de Oliveira, Lígia Molina, Lina Stela Simões Tridapalli, Luciano Ferreira da Silva, Mara Lúcia Canalles, Marcela Sétte da Silva, Marcos Eduardo Faciaben, Maritza Antunes de Oliveira Averaldo, Matildes Rodrigues de Aquino, Morgana Corrêa da Silva Antunes, Nicolas Rosas Gracia de Oliveira, Nilcéia Aparecida Ravanelli, Renata Aparecida Carrara, Rodrigo Rodolfo B. de Souza, Sidnei Silva, Ursula Andréa de Moura Naracci, Verônica Lopes de Camargo, Victor José Pinheiro, Yohanna Raissa Menassi. Crédito da foto: Divulgação

O Dia do Professor é comemorado no dia 15 de outubro. Mas poucos sabem como e quando surgiu este costume no Brasil. No dia 15 de outubro de 1827 (dia consagrado à educadora Santa Tereza D’Ávila), D. Pedro I baixou um Decreto Imperial que criou o Ensino Elementar no Brasil. Dizem que Santa Tereza D’Ávila ou Santa Tereza de Jesus foi uma das primeiras mulheres a aprender a ler e escrever. Mas foi somente em 1947, 120 anos após o referido decreto, que ocorreu a primeira comemoração de um dia efetivamente dedicado ao professor.

Começou em São Paulo, em uma pequena escola no número 1520 da rua Augusta, onde existia o Ginásio Caetano de Campos, conhecido como “Caetaninho”. O longo período letivo do segundo semestre ia de 1º de junho a 15 de dezembro, com apenas dez dias de férias em todo este período. Quatro professores tiveram a ideia de organizar um dia de parada para se evitar a estafa e também de congraçamento e análise de rumos para o restante do ano. O professor Salomão Becker sugeriu que o encontro se desse no dia de 15 de outubro, data em que, na sua cidade natal, Piracicaba, professores e alunos traziam doces de casa para uma pequena confraternização. A sugestão foi aceita e a comemoração teve presença maciça — inclusive dos pais. O discurso do professor Becker, além de ratificar a ideia de se manter na data um encontro anual, ficou famoso pelas frases “Professor é profissão. Educador é missão” e “Em Educação, não avançar já é retroceder”. A celebração, que se mostrou um sucesso, espalhou-se pela cidade e pelo País nos anos seguintes.

A jornalista, professora e política brasileira Antonieta de Barros foi a primeira negra brasileira a assumir um mandato popular, é de sua autoria a lei que instituiu o Dia do Professor (15 de outubro) e o feriado escolar (Lei Nº 145, de 12 de outubro de 1948). A data tornou-se oficial nacionalmente como feriado escolar pelo Decreto Federal 52.682, de 14 de outubro de 1963. O decreto definia a essência e razão do feriado: “Para comemorar condignamente o Dia do Professor, os estabelecimentos de ensino farão promover solenidades, em que se enalteça a função do mestre na sociedade moderna, fazendo participar os alunos e as famílias.”

A nossa coluna estampa hoje todos os 42 professores do Colégio Politécnico, que foi fundado em 1999 pela Fundação Ubaldino do Amaral. Estes mestres são os responsáveis por educar crianças e adolescentes que ali estudam. Em 2020, apesar de estarem longe do ambiente escolar, a docência mostrou que não se restringe a um espaço físico, pois ela ultrapassa os limites institucionais, o que tem sido essencial para possibilitar o ensino remoto. Foi preciso que gravassem aulas e as transmitissem através de recursos digitais, para que os alunos assistissem em casa a apresentação dos conteúdos. Também tiveram que passar atividades para fossem feitas a distância. Precisaram alterar todo o plano de aula para adaptá-lo ao ensino remoto, elaborar estratégias pedagógicas para motivar os alunos a estudarem em casa e buscar formas de orientá-los e tirar dúvidas, para ser efetivo o processo de ensino e aprendizagem remoto. Muitos não estavam habituados ao uso da tecnologia e tiveram que aprender a utilizar os recursos digitais necessários para se comunicarem com os estudantes e disponibilizarem as aulas e tarefas. Além disso, os professores do Politécnico têm oferecido suporte aos pais para apoiarem a aprendizagem de seus filhos em casa, trabalhando em conjunto e estabelecendo uma relação de proximidade. Sendo assim, esses profissionais têm se esforçado e enfrentado dificuldades para garantirem a aprendizagem da melhor forma possível em um momento tão delicado e incerto que estamos enfrentando. Nossa singela homenagem a todos os professores.

Comentários