Buscar no Cruzeiro

Buscar

Presença: A fome não é fake!

21 de Março de 2021 às 00:01
Manuel Garcia [email protected]
Manuel Garcia [email protected]

Presença: A fome não é fake! A Arquidiocese de Sorocaba, em parceria com o Fundo Social de Solidariedade, lançou a campanha #AFOMENAOEFAKE. Crédito da foto: Fábio Rogério / Arquivo JCS (18/3/2021)

Sabe quando a gente lê uma notícia e torce para que ela seja #Fake? Bom, nesse caso, ela não é: O Brasil está voltando ao Mapa da Fome da ONU. Os últimos meses foram intensos e, em meio a tantas informações, nos deparamos com um alerta: A extrema pobreza já atinge mais de 15 milhões de brasileiros. E essa não é uma fake news! A crise é real e o Brasil está ameaçado de entrar, novamente, no Mapa da Fome da ONU.

Em um ano de pandemia de coronavírus, mais de 290 mil pessoas morreram por conta da doença no Brasil, milhões foram contaminados e outros milhões perderam seus empregos e renda. A fome e a miséria batem à porta das casas dessas famílias. No Brasil, milhões de trabalhadores em situação de pobreza, sem recursos para se protegerem durante o necessário período de distanciamento social, perderam sua renda devido à pandemia.

No mundo, as mulheres que em geral desempenham papel crucial como produtoras de alimentos, são as que mais correm risco de passar fome. Elas já são vulneráveis devido à discriminação sistêmica. Isso faz com que elas recebam menos do que homens pelo mesmo trabalho e detenham menor posse de terra do que eles. As mulheres também são maioria no grupo de trabalhadores informais, que no Brasil representa cerca de 40% da população economicamente ativa. E por isso estão sofrendo as maiores consequências econômicas da pandemia.

O Programa Mundial de Alimentos (PMA) da ONU estima que o número de pessoas em nível de crise de fome definida como nível 3 da Classificação Integrada de Fases da Segurança Alimentar (IPC) da ONU aumentará em cerca de 121 milhões de pessoas este ano como resultado dos impactos socioeconômicos da pandemia.

Cestas básicas

Atentos à situação do País, a Arquidiocese de Sorocaba em parceria com o Fundo Social de Solidariedade(FSS) lançou na ultima quinta-feira (18) a campanha #AFOMENAOEFAKE, que nesta primeira fase visa arrecadar pelo menos mil cestas básicas para serem distribuídas para a população carente que estão cadastradas. A ação social espera contar com o apoio da comunidade e envolver todas as igrejas “Queremos que todos que puderem nos ajudar assim façam, católicos, evangélicos, espíritas, não importa a bandeira da sua religião, o que importa é ajudar, pois a fome não tem bandeira,” comentou Sirlange Frate Maganhato primeira-dama do município e presidente do FSS.

Sirlange explicou que o Fundo Social, em pareceria com a Secretaria da Cidadania, possui uma lista com famílias em situação de vulnerabilidade social cadastradas, a lista é feita por assistentes sociais da Prefeitura que visitam essas famílias. O cadastro deve ser feito na secretária de cidadania, ou em um dos Centros de Referência em Assistência Social (CRAS).

“Semanalmente, o fundo social tem conseguido ajudar com cerca de 500 cestas, pedimos agora que o governo do Estado nos envie cestas. A última leva que eles nos deram foi em novembro. Temos contado com ajuda de várias pessoas, grupos de motoqueiros, ciclistas, pessoas que nos procuram para ajudar. Graças a Deus, o sorocabano é muito solidário e temos conseguido doações”, completou a primeira-dama.

Padre Arari dos Santos Amorim (Padre Kojak) é pároco da Paróquia Nossa Senhora do Povo conta que até junho do ano de 2020, sua paróquia atendia cerca de 80 famílias, e conforme a pandemia foi se intensificando, o número de atendidos foi aumentando e hoje estão sendo atendidas cerca de 170 famílias. “Faço o pedido de alimentos na missa cada um traz o que pode, é um momento de união, temos que ajudar os irmãos mais pobres, a fome é todo dia”, comentou o padre.

Dom Julio Endi Akamine, Arcebispo Metropolitano de Sorocaba afirma que “É momento da gente poder colaborar e se unir para enfrentar uma situação que está se apresentando muito difícil.” Para dom Julio a união de todos é muito importante neste momento. “Vamos sair mais pobres desta pandemia de dinheiro, mais iremos sair mais ricos de solidariedade”, finalizou o mitrado.

As doações da campanha podem ser realizadas em todas as igrejas de Sorocaba, alimentos básicos (arroz, feijão, óleo, açúcar, macarrão, café e leite) podem ser levados até a paróquia mais próxima de sua casa. A igreja está indo aos bairros periféricos da cidade para realizar assistência às famílias em situação de vulnerabilidade.

[gallery columns="1" size="medium" ids="328177,328178,328179"]