fbpx
Editorial

Trânsito nas estradas

Terminado o período das chamadas festas de final de ano, quando milhões de veículos saem pelas estradas, começam as publicações dos balanços do movimento nas rodovias de todo o país, com seus acidentes, número de feridos e mortos, quase uma rotina nos meios de comunicação que servem também de alerta para aqueles que precisarão enfrentar longos trechos rodoviários no período das férias escolares.

As rodovias que cortam a região de Sorocaba — o eixo Castelo Branco – Raposo Tavares –, como acontece todos os anos, tiveram movimento muito grande. Essas rodovias fazem a ligação da Capital com as regiões oeste de São Paulo e também são utilizadas para quem viaja para estados vizinhos, como o Paraná ou Mato Grosso. No feriado de Ano-Novo, o movimento superou a expectativa de uma das concessionárias das rodovias, a CCR ViaOeste, que administra os trechos entre Osasco e Sorocaba e Cotia e Araçoiaba da Serra. Ela registrou a passagem de 735 mil veículos do dia 27 de dezembro até o dia 1º de janeiro, bem acima do esperado. Nesse período foram registrados 30 acidentes que deixaram 16 pessoas feridas e uma morta, em decorrência de um acidente na Raposo Tavares, no trecho que corta Sorocaba. Um homem pilotando uma motocicleta colidiu com uma carreta na noite do dia 28. No trecho administrado pela AB Colinas entre Itu e Tatuí, na Castelo Branco, passaram 254 mil veículos e foram registrados cinco acidentes sem vítimas. E no trecho da SP-75 entre Itu e Campinas, também sob a responsabilidade da AB Colinas transitaram mais 208 mil veículos. Nesse trecho foram registrados 11 acidentes com igual número de pessoas feridas. E no trecho da Castelo Branco a partir de Tatuí, administrado pela CCR SP Vias, passaram mais de 420 mil veículos. É um total muito grande de veículos e o número de acidentes possivelmente só não foi maior porque são rodovias relativamente seguras. A Castelo Branco está entre as melhores do Brasil.

Leia mais  Obras para todos os lados

Nas rodovias federais — uma imensa malha rodoviária que permeia praticamente todos os Estados brasileiros — houve sensível queda no número de mortes no feriado prolongado do Natal e menos acidentes no feriadão do Ano-Novo. De acordo com levantamentos da Polícia Rodoviária Federal (PRF), o número de mortes nessas estradas teve queda no Natal em comparação com o mesmo período de 2018. Foram registradas 97 mortes e 962 pessoas ficaram feridas em 1.134 acidentes no período natalino. No feriado do Ano-Novo as estradas federais também estiveram menos violentas. Na Operação Ano-Novo, que começou no dia 28 e terminou no dia 1º foram registrados 863 acidentes que resultaram em 70 mortes. Os policiais fiscalizaram 134 mil veículos e 139 mil pessoas no período. O destaque negativo ficou para Santa Catarina onde 11 pessoas morreram em acidentes somente no feriado do final do ano. Nas rodovias daquele Estado houve ainda o aumento de 100% no número de motoristas flagrados dirigindo alcoolizados, com 82 casos. No Natal, a PRF multou 1.592 pessoas por dirigir sob o efeito de álcool e 163 acabaram na delegacia. Nas festas de Ano-Novo foram 1.343 motoristas em todo o Brasil flagrados pelo bafômetro, com 113 detidos.

A maioria dos acidentes ocorreu por excesso de velocidade e abusos por parte dos motoristas. Problemas mecânicos nos carros e imperícia de muitos motoristas também colaboraram para o grande número de acidentes. Por determinação do Tribunal Regional Federal (TRF), que atendeu pedido do Ministério Público Federal, voltaram os radares móveis às rodovias, mas não se sabe em que medida essa fiscalização influenciou no número de acidentes. Os equipamentos móveis tinham sido recolhidos no mês de agosto após a publicação de um despacho do presidente Jair Bolsonaro sobre o assunto. Eles voltaram a partir do dia 11 de dezembro, uma vez que a Justiça entendeu que a falta de radares poderia causar danos à sociedade.

Leia mais  Estado de alerta

E este ano quem viajou para o litoral paulista também contou com o auxílio de novas tecnologias. O fluxo de veículos nos trechos mais complicados foi monitorado por drones. Os equipamentos foram adquiridos pela Secretaria de Logística e Transportes. Os quatro primeiros drones entraram em ação na rodovia Mogi-Bertioga e na Rio-Santos. Entre a véspera de Natal e até o dia 5 de janeiro devem circular pelas estradas que levam ao litoral nada menos que 5 milhões de veículos. Com ou sem o auxílio de novas tecnologias, os tradicionais conselhos da Polícia Rodoviária para quem pretende pegar a estrada continuam válidos: não abusar da velocidade; revisar o carro antes da viagem; não dirigir após ingerir bebida alcoólica e, em hipótese alguma, falar ao celular ou mandar mensagens de texto enquanto dirige. São atitudes que podem salvar muitas vidas.

Comentários