Editorial

O sucesso em números

O número de páginas acessadas por esse grande contingente de leitores é superior a 4,3 milhões no mesmo período

O portal de notícias do jornal Cruzeiro do Sul atingiu a marca de 1 milhão de usuários únicos em um mês. De acordo com dados do Google Analytics, ferramenta que afere a audiência do site, 1.032.064 usuários visitaram o portal no período de 28 de agosto a 28 de setembro.

O número de páginas acessadas por esse grande contingente de leitores é superior a 4,3 milhões no mesmo período. É uma marca a ser comemorada, uma vez que o portal foi inteiramente reformulado há um ano, quando mudou de plataforma de gestão de conteúdo, passando a utilizar o WordPress, como as maiores publicações do País.

O número de visitantes atuais coloca o site em um dos cinco melhores desempenhos de sua história que começou em 1998. Esse número alto de visitantes foi alcançado mesmo depois que o Facebook, a rede social que ajudava a alavancar boa parte dos acessos do portal, mudou seu algoritmo e passou a priorizar os posts de familiares e amigos em detrimento de publicações de páginas de empresas.

O jornal Cruzeiro do Sul, que completou em junho 116 anos de existência e circulação ininterrupta, foi um dos pioneiros no Estado de São Paulo a adotar também uma versão on-line.

Leia mais  Atenção à infância

Esse trabalho passou por diversas fases e, em agosto do ano passado, o portal ganhou uma nova versão, visualmente mais atraente e de fácil navegação.

Com esse visual e graças ao trabalho da redação do jornal, do portal e dos colaboradores de vários setores da Fundação Ubaldino do Amaral (FUA), mantenedora da publicação, foi possível chegar a esses números, com uma cobertura completa do que acontece em Sorocaba e nas demais 26 cidades que compõem a Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), mantendo o padrão do jornal impresso, que é o de oferecer informação correta e completa a seus leitores.

A internet, com todo seu dinamismo, está provocando alterações profundas na maneira como as pessoas têm acesso às notícias. Desde a última década do século passado, os maiores jornais do país — assim como o Cruzeiro do Sul — criaram versões on-line de suas publicações, que foram evoluindo e adaptando-se até chegar ao formato atual.

Para se ter uma ideia do dinamismo desse veículo, basta lembrar que desde 2014 os smartphones ultrapassaram os computadores e tornaram-se os aparelhos preferidos dos leitores que acessam o portal Cruzeiro do Sul. Relatório interno produzido em setembro mostra que 84,7% dos acessos foram feitos por meio de celulares.

Os acessos por meio de computadores de mesa mal ultrapassaram 14% e por meio de tablets, 0,61%. Nos últimos 30 dias, o jornal teve 4 milhões de visualizações e a duração de cada sessão foi mais de três minutos, tempo suficiente para o visitante ler a notícia, apreciar as fotos e, eventualmente, assistir ao vídeo que ilustra a reportagem.

Leia mais  Tropeços e escorregões

Do universo de visitantes no mesmo período, 64% foram de leitores fidelizados e 35% de novos visitantes, atraídos pela qualidade das notícias publicadas.

No mundo todo, os jornais há mais de duas décadas vêm-se adaptando às novas tecnologias. E essa adaptação passa pela questão comercial, tanto na disputa por assinantes como pelos espaços publicitários. Vender anúncios para um veículo na internet é completamente diferente de comercializar espaços em uma página de jornal impresso.

No caso das publicações on-line, as variáveis são enormes e há um pecado original que prejudica o fechamento dessa conta: os leitores de internet, desde que a tecnologia começou a se tornar popular, acostumaram-se a não pagar por informação, como se o texto que estivessem lendo brotasse de alguma geringonça tecnológica sem qualquer tipo de trabalho ou custo.

Leia mais  Guerra contra o sarampo

Alguns veículos têm encontrado formas inteligentes de superar esses desafios. Vale registrar a experiência do New York Times, um dos mais tradicionais jornais norte-americanos, que se tornou o veículo jornalístico com mais assinantes digitais no mundo.

Em fevereiro deste ano, a publicação divulgou que teve alta de 27,1% no número de assinaturas digitais ao longo de 2018, atingindo 3,4 milhões de assinantes, o que levou o NYT a ter receita de US$ 709 milhões em seus negócios digitais.

O segredo para se atingir mais usuários e assinantes vale tanto para o New York Times como para jornais brasileiros: investir em jornalismo de qualidade e agilidade nas publicações.

No caso do portal Cruzeiro do Sul, o foco são as notícias de Sorocaba e de sua região metropolitana. Cada vez mais os internautas percebem que o portal é fonte de informações precisas e confiáveis dessa região do Estado. E essa evolução pode se traduzir no aumento constante de visitantes que, felizmente, não para de crescer.

Comentários
Assuntos

CLASSICRUZEIRO