Editorial

Interior produtivo

O trabalho aponta uma tendência que parece irreversível e importante principalmente para as cidades médias



 

Pesquisa recente realizada pelo IPC Maps, que calcula índices de potencial de gastos com produtos e serviços, mostra que o município de Sorocaba subiu quatro posições no ranking nacional, embora tenha caído uma posição no ranking estadual. Em 2019, Sorocaba ocupa a 23ª posição nacional e a 8ª estadual. No ano passado era a 28ª nacional e a 7ª estadual. A população do município tem potencial de consumo de R$ 21,5 bilhões de acordo com o estudo, ante R$ 18 bilhões no ano passado. O ranking nacional e estadual é liderado por São Paulo, a maior cidade do País, que tem potencial de R$ 361 bilhões em 2019.

De acordo com o trabalho desse instituto de pesquisa, que usa dados oficiais, é possível saber que o consumo per capita este ano em Sorocaba deverá ser de R$ 31.539 e que dos 226.200 domicílios, 118 mil pertencem à classe C, seguido por 67 mil domicílios da classe B. São dados extremamente importantes para o poder público, que pode planejar suas ações, mas principalmente para as empresas que pretendem expandir seus negócios ou instalar empreendimentos em Sorocaba e região.

O Brasil neste período que antecede a aprovação das reformas propostas pelo governo patina no crescimento. O boletim Focus divulgado ontem mostra que a estimativa de crescimento da economia este ano continua em queda e que a projeção de expansão do PIB foi mais uma vez reduzida, agora de 0,85% para 0,82% em 2019. Felizmente a inflação continua sob controle e deverá se manter em 3,80% este ano, abaixo da meta, portanto.

Mesmo assim a economia deverá movimentar R$ 4,7 trilhões este ano de acordo com o levantamento que aponta ainda uma tendência que parece irreversível e importante principalmente para as cidades médias: as capitais perdem espaço para as cidades do interior.

Há algumas semanas, o mesmo instituto divulgou que o interior paulista vai movimentar este ano mais de R$ 681 bilhões no consumo de itens como habitação, alimentação, transportes, saúde, vestuário e educação. A informação consolida o interior do Estado de São Paulo como o maior mercado consumidor do País, ficando à frente da Região Metropolitana de São Paulo.

O estudo mostrou que de 2014 a 2019, a participação do interior do Estado no consumo aumentou bastante, passando de 49,78% para 53,24% em 2019. O potencial de consumo do interior de São Paulo é tão grande, revela o estudo, que de cada R$ 100 gastos no País, R$ 14,54 são consumidos pela população do interior do Estado.

É por esse motivo que a região se torna cada vez mais atraente para os investidores por reunir desenvolvimento econômico, potencial de consumo e qualidade de vida. Sorocaba, pela sua localização, está inserida no chamado quadrilátero paulista formado pelas cidades de Campinas, São José dos Campos, Santos e Sorocaba, que possui uma das populações mais numerosas do País, com mais de 30 milhões de habitantes.

A concentração populacional, a existência de mão de obra de qualidade, universidades de primeira linha e um mercado consolidado de consumo atraem empresas da Capital e de outros Estados que buscam oportunidades de crescimento. A região oferece as melhores rodovias do Brasil e possui ainda aeroportos e portos, o que favorece o escoamento da produção.

De acordo com dados da Fundação Seade, o Produto Interno Bruto (PIB) do quadrilátero paulista é superior a R$ 1 trilhão por ano, representando 80% do PIB paulista e 27% do PIB nacional, um crescimento econômico que tem reflexo na qualidade de vida da população.

No que diz respeito a Sorocaba, a cidade reúne um grande parque industrial e um desenvolvido setor de serviços. É por essas características e pelo fato de ser um polo de atração regional que a cidade continua a atrair investimentos, principalmente de empresas do comércio varejista, como redes de lojas e supermercados, que encontram no município local ideal para o crescimento de suas operações. Uma situação privilegiada que pode contribuir positivamente com o crescimento do País.

Comentários

CLASSICRUZEIRO