Editorial

Doação de sangue não pode parar

Independentemente da pandemia, a doação continua sendo absolutamente segura

Dar o sangue significa dedicar-se integralmente, empenhar-se, contribuir. E desde que o coronavírus apareceu no Brasil, no início de 2020, muita gente tem dado o sangue pela população.

Na linha de frente do combate à pandemia estão os enfermeiros e profissionais de saúde que merecem todo o nosso reconhecimento e aplauso. Muitos deles, inclusive, pagaram com a própria vida nessa inglória batalha.

Mas existe uma forma simples para que muitas pessoas “comuns” deem o sangue e ajudem o próximo nesse momento tão difícil. E esse dar o sangue é literal.

Desde o início da pandemia, todas as unidades de coleta de doação de sangue no Brasil vêm apresentando queda em relação aos últimos anos.

Se antes mesmo do Covid os estoques sempre precisavam de divulgação e campanhas para se manterem em níveis aceitáveis, com o coronavírus esse cenário ficou ainda mais complicado.

De um modo geral, os bancos de sangue têm trabalhado com média de 30% da capacidade, muito abaixo do desejável. Todos os tipos de sangue são necessários sempre.

É preciso enfatizar que, independentemente da pandemia, a doação de sangue nos postos oficiais continua sendo absolutamente segura. As entidades de coleta seguem todos os protocolos sanitários e mantêm as boas práticas preventivas.

Leia mais  O pequeno Jairo e o grande Henry

Mesmo na fase vermelha em que todo o Estado de São Paulo se encontra, a doação é algo indispensável. Afinal, ela não pode parar pois os hospitais e clínicas continuam atendendo pacientes que necessitam de hemocomponentes em seus tratamentos.

Nesse sentido, uma ideia que nasceu em Sorocaba já chegou a outros Estados e pode acabar sendo implantada em muitas regiões.

Ela foi concebida pelo juiz de Direito Jayme Walmer de Freitas, que lembrou do fato em visita ao Cruzeiro do Sul na manhã de anteontem.

Após 27 anos atuando no Poder Judiciário de Sorocaba, Jayme passa a ocupar agora o cargo de juiz substituto de 2º grau da 3ª Câmara de Direito Criminal do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo (TJ-SP).

Além da decisiva participação em muitos casos relevantes, o magistrado ficou conhecido na cidade por ter implantado na Comarca de Sorocaba as chamadas penas alternativas.

Ele teve a brilhante ideia de fazer a doação de sangue como uma medida de prestação social. A iniciativa foi tão boa que, recentemente, o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJ-GO) tomou a mesma medida nas execuções criminais daquele Estado, e o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) parabenizou a questão.

Leia mais  Vacinação: as listas da discórdia

Freitas pretende que tal medida seja adotada de forma nacional, também na esfera das execuções penais e criminais. “Isso para mim foi muito marcante porque a Justiça se aproximou da população e criou um mecanismo para ajudar aquelas pessoas que precisam da doação de sangue”, destacou. Portanto, parabéns ao juiz e a todos aqueles que doam sangue!

Para quem quiser doar, há várias recomendações. Uma delas é que as pessoas doem sangue antes de se vacinar contra a Covid, já que há um período de inaptidão das vacinas: 48 horas, no caso da Coronavac, e sete dias para a Oxford.

Além disso, o candidato deve estar em boas condições de saúde e alimentado, ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 kg e levar documento de identidade original com foto recente, que permita a identificação.

Leia mais  Dessa vez, bom senso prevaleceu

Recomenda-se também evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e, no caso de bebidas alcoólicas, 12 horas antes.

Se a pessoa estiver com gripe ou resfriado, temporariamente não deve doar. Mesmo que tenha se recuperado, deve aguardar uma semana para que esteja novamente apta à doação.

Vale lembrar que o coronavírus foi incluído nos critérios de triagem e pode trazer alguns impedimentos para as pessoas que viajaram para o exterior ou tiveram algum contato com a doença.

No mais, outros impedimentos poderão ser identificados durante a entrevista de triagem, no dia da doação. Em Sorocaba, o Pró-Sangue/Hemonúcleo atende de segunda a sábado, das 7h30 às 12h30, além de contar com agendamento on-line.

A unidade funciona na avenida Comendador Pereira Inácio, 564, no Jardim Vergueiro. Outras informações podem ser obtidas pelo site oficial e nos telefones (15) 3224-2930 e (15) 3332-9464.

Comentários