Editorial

Calçada da rua da Penha

O aumento da área para os pedestres é provisório e, por enquanto, não envolve qualquer tipo de obra

A Prefeitura de Sorocaba iniciou no último sábado um projeto de ampliação de calçadas para garantir a acessibilidade e estimular o movimento de pedestres em três quarteirões da rua da Penha, na região central da cidade. O projeto envolve os quarteirões que vão do cruzamento da rua da Penha com a Miranda Azevedo até a rua Coronel Benedito Pires. O aumento da área para os pedestres é provisório e, por enquanto, não envolve qualquer tipo de obra. As calçadas de ambos os lados da rua foram ampliadas com cones plásticos e as vagas de estacionamento da Zona Azul foram temporariamente eliminadas.

Pelo seu traçado antigo, ruas estreitas, inúmeras interferências nas calçadas como postes de iluminação, de sustentação de fiação e mesmo de placas de trânsito, Sorocaba não trata bem os pedestres e muito menos as pessoas que têm algum problema de mobilidade. Um cadeirante, por exemplo, tem hoje inúmeras dificuldades em se locomover no trecho que passa pela experiência.

No final de sua administração, o ex-prefeito Antonio Carlos Pannunzio realizou um trabalho de revitalização em um trecho curto da rua Brigadeiro Tobias. Obstáculos foram eliminados, a calçada ficou maior e foi refeita, melhorando sensivelmente o espaço para pedestres e cadeirantes. No caso da rua da Penha, a alteração é temporária. Deverá durar até o dia 5 de março e até lá será feita uma pesquisa com os usuários da via e pessoas que moram ou trabalham no local. Nos primeiros dias é difícil saber se os pedestres sentem alguma melhora, mesmo porque só há mais espaço para caminhar, mas os obstáculos continuam lá. Já os comerciantes e pessoas que trabalham em estabelecimentos daquela via notaram queda no movimento, possivelmente em decorrência da eliminação das vagas do estacionamento regulamentado. Essa situação precisará ser examinada com cuidado pelos técnicos da Urbes. Sorocaba tem um número muito pequeno de vagas na Zona Azul. Se trabalhos semelhantes forem realizados em outras vias, terá que estudar a implantação de bolsões de estacionamento ao redor do Centro. Se nada for feito oficialmente, será um incentivo direto ao uso de estacionamentos particulares que existem às dezenas naquela região e que cobram muito mais do que o estacionamento público.

De acordo com a Urbes, a intenção é colocar nesse trecho da rua da Penha bancos, floreiras, guarda-sóis, pinturas artísticas no solo para privilegiar os pedestres e tornar a vida naquele trecho mais agradável. As calçadas, se as obras forem realizadas, ficarão dois metros mais largas.

No final de janeiro a Prefeitura realizou uma audiência pública nas dependências da Fundec para discutir a revitalização da região central de Sorocaba. No encontro foi decidido que serão criadas câmaras temáticas, com a participação da população e interessados, para discutir o assunto a partir do mês de abril. Na ocasião, o prefeito José Crespo (DEM) disse que o Centro ficou esvaziado nas últimas décadas e que a revitalização ocorrerá com sugestões da comunidade. A ideia é iniciar uma fase de estudos e análises técnicas para transformar aquela região, que já tem toda a infraestrutura, em uma área mais agradável, que possa ser frequentada com segurança a qualquer hora, com atrações culturais e transporte eficiente. Existe ainda a intenção de estudar a aplicação do imposto progressivo para promover ocupação de áreas não edificadas e incentivos para a preservação de bens tombados, um problema que sempre prejudica os proprietários de imóveis com reconhecido valor histórico ou arquitetônico.

Muitas cidades têm realizado projetos de revitalização com sucesso conseguindo que essas áreas nobres voltem a ser utilizadas pela população, inclusive para moradia. No caso da ampliação das calçadas do trecho da rua da Penha, será importante analisar o resultado da pesquisa que começa a ser feita. Poderá trazer indicações que certamente enriquecerão os debates sobre a revitalização do Centro nos próximos meses.

Comentários
Assuntos

CLASSICRUZEIRO