Buscar no Cruzeiro

Buscar

Editorial

Uma semana para ser comemorada

O resultado do estudo desenvolvido por uma revista inglesa traz a expectativa de um futuro ainda mais afirmativo

27 de Julho de 2021 às 00:01
Cruzeiro do Sul [email protected]
Primeira fase do programa habitacional Casa Nova Sorocaba melhora as expectativas de vida na cidade
Primeira fase do programa habitacional Casa Nova Sorocaba melhora as expectativas de vida na cidade (Crédito: ARQUIVO / JCS )

A semana passada foi marcada por notícias positivas para os sorocabanos em diversos setores. Além da tão ansiada melhoria dos índices relacionados à pandemia do novo coronavírus -- redução da taxa de ocupação de leitos de UTI, queda da mortalidade e aumento da imunização --, o jornal Cruzeiro do Sul registrou, igualmente, avanços consideráveis nas áreas da política habitacional, do saneamento básico e até mesmo nos âmbitos da retomada das atividades produtivas e da expectativa de desenvolvimento sustentável.

Uma das notícias de grande impacto na qualidade de vida da população, com consequências diretas na atenuação das desigualdades sociais, foi a aprovação, na quinta-feira (22), pela Câmara de Vereadores, de três projetos de lei de autoria do Poder Executivo que viabilizam a primeira fase do programa habitacional Casa Nova Sorocaba. Está prevista a construção de 1.044 unidades habitacionais no Jardim Tropical, na zona oeste da cidade, sendo 200 delas destinadas à população de baixo poder aquisitivo, com subsídios de 25%, 50%, 60%, 70% e 100%. Os novos empreendimentos serão erguidos pela iniciativa privada -- escolhidas por meio de concorrência -- em duas glebas doadas pela Prefeitura. A remuneração das empresas parceiras do poder público se dará por meio da comercialização dos 844 imóveis restantes.

A avaliação pura e simples dos números envolvidos nessa etapa inicial do programa Casa Nova Sorocaba demostra que o município ainda está muito distante de uma possível solução para o histórico problema do déficit habitacional. O Plano Local de Habitação de Interesse Social de Sorocaba, elaborado pela Secretaria Municipal de Habitação e Urbanismo em maio de 2011, por exemplo, registrou a necessidade imediata de 11.151 novos domicílios para fazer frente ao déficit habitacional básico (DHB) entre as famílias com renda mensal de até três salários mínimos. No dia 1º deste mês, o programa desenvolvido pelo atual governo municipal já registrava 41.327 inscrições. O montante subia para 78.469 quando somado ao total de famílias que demonstraram interesse em adquirir a casa própria a partir de 2019. No entanto, apesar da evidente desproporção entre a provável demanda -- mesmo que superestimada --, o significado das ações da Prefeitura no setor habitacional vai muito além das cifras. Na prática, simboliza o retorno da municipalidade ao papel que lhe cabe nas ações efetivas no setor habitacional, que é, nada menos do que o protagonismo.

Na mesma sessão extraordinária do Legislativo Municipal de quinta-feira, os parlamentares aprovaram também a chamada Lei da Liberdade Econômica. O oportuno instrumento -- apresentado pelo Poder Executivo, mas fundamentado em proposta original do vereador Ítalo Moreira -- pretende desburocratizar e facilitar o exercício da atividade econômica na cidade. Em resumo, ele estabelece a Declaração Municipal de Direitos da Liberdade Econômica, que institui normas relativas à livre iniciativa, ao livre exercício de atividade econômica e à atividade regulatória do município. Mesmo quem não é expert em economia reconhece nessa atitude um facilitador da imprescindível recuperação da renda e do emprego no pós-pandemia.

Por fim, o início efetivo das operações da Estação de Tratamento de Água (ETA) Vitória Régia, na tarde de sexta-feira (23), representou a consolidação de um estágio essencial no caminho da segurança hídrica. Cada um dos 750 litros de água captados diretamente do rio Sorocaba a cada segundo são uma conquista inestimável em todos os aspectos. Tratado pelo inédito processo -- nos limites da América do Sul -- de purificação por ozônio, esse volume do precioso líquido evitará os incômodos rodízios ou, pior ainda, as suspensões do abastecimento. Os resultados das duas décadas de trabalho e dos milhões de reais investidos na despoluição do rio e na construção da ETA serão imediatos, na forma de bem-estar para a população e implantação de novas empresas.

A chave de ouro -- como diziam nossos avós -- para encerrar a semana de boas notícias veio por meio do reconhecimento internacional de Sorocaba como a quarta melhor cidade das Américas para receber investimentos nos próximos anos, na categoria relação custo-benefício. O resultado do estudo desenvolvido pela revista inglesa Foreign Direct Investment Strategy, do grupo Financial Times, traz a expectativa de um futuro ainda mais afirmativo para Sorocaba. No presente, ele deve servir para incentivar a convergência dos pensamentos e das ações dos sorocabanos.