Buscar no Cruzeiro

Buscar

Editorial

Anjos da guarda da vacinação

Em Sorocaba, funcionários municipais de diversas secretarias e voluntários variados fazem importante papel de colaborar na imunização

07 de Julho de 2021 às 00:01
Cruzeiro do Sul [email protected]
placeholder
placeholder

Assim como criticamos políticos e agentes públicos quando merecem ser criticados e os elogiamos quando há motivos para isso, a vacinação no Brasil merece o mesmo tratamento.

Não foram poucas as vezes em que apontamos o dedo e fizemos reclamações e críticas para a imunização ou para casos e pessoas relacionados a ela, inclusive e sobretudo neste espaço.

Inicialmente reprovamos a demora para o começo da imunização no País. Quando ela teve início, os fura-filas foram impiedosamente achincalhados -- com absoluta razão, diga-se. Logo depois, quando começaram a surgir casos de “vacinas de vento”, nos quais o êmbolo não era corretamente apertado, seus autores foram sumariamente condenados, fossem os atos propositais ou não.

Por sinal, aqui mesmo em Sorocaba tivemos ao menos um episódio de “vacina de vento” que repercutiu muito mal. Ainda que inadmissível, felizmente ficou provado não se tratar de nenhuma tentativa de golpe e, sim, de uma gravíssima falha pontual, por conta da inexperiência de uma estagiária que estava na aplicação naquele momento. O erro foi corrigido e, afortunadamente, a paciente foi corretamente vacinada.

Mais recentemente, os alvos foram os brasileiros que passaram a escolher as marcas de imunizantes que queriam tomar. Batizados de “sommelier de vacina”, essa turma teve suas atitudes totalmente desaprovadas.

Entretanto, depois de tantos episódios com críticas, hoje o tom é totalmente diferente. Basicamente o oposto. Chegou o momento de elogiar algo que muitas vezes passa despercebido nesse turbilhão que tem sido o enfrentamento mundial da pandemia.

É o momento de agradecer e saudar as pessoas que gostam de servir ao próximo. No caso de Sorocaba, por exemplo, pelo menos 250 pessoas, entre servidores públicos municipais, funcionários e voluntários trabalham e ajudam nessa tarefa da vacinação contra a Covid.

Engana-se quem imagina que somente servidores da Secretaria da Saúde (SES) participam das ações de imunização aqui na cidade. Pouca gente sabe, mas funcionários de outras secretarias municipais também têm ajudado na campanha desde o ano passado.

Em relação aos servidores públicos -- comumente tão cobrados e criticados --, cerca de 110 funcionários de diversas pastas trabalham na imunização. Esse pessoal colabora com tarefas variadas como orientação do fluxo de drive-thru e da fila de pessoas que vão se vacinar, digitação de dados cadastrais, checagem de documentação, entre outras tarefas. Atuam também no apoio emocional às pessoas que chegam, muitas delas sensibilizadas, para receberem a vacina depois de tanto tempo de isolamento ou distanciamento social. Por trabalharem em outras secretarias, muitos são voluntários, e são desde chefes de gabinete a motoristas ou faxineiros.

Além deles, há também cerca de 20 voluntários, entre jovens que se alistaram no Tiro de Guerra de Sorocaba, de igrejas, e até do Corpo de Bombeiros. E ainda estagiários das escolas técnicas de enfermagem, de faculdades e universidades, que aprendem na prática e aproveitam parte das horas como atividades complementares para seus cursos.

Todo esse pessoal se junta aos cerca de 120 servidores da Secretaria de Saúde para formar o grupo de aproximadamente 250 pessoas que levam vacinas para os braços da população. Trabalhando, ajudando ou como voluntário, todos estão unidos pelo mesmo objetivo, que é ajudar na organização, eficiência, e agilidade da campanha de vacinação contra o coronavírus na cidade.

Em recente reportagem publicada neste Cruzeiro do Sul, ficou evidente o orgulho que sentem por fazerem parte de uma ação tão nobre e tão importante em um momento único na história da humanidade.

A eles nosso muito obrigado!